Semana 10 de Fevereiro a 15 de Fevereiro de 2020

De 10 de fevereiro de 2020 até 15 de fevereiro de 2020

GDIR LS
CCPLS
ACAD RE
CCMECH
ACAD LS
PROAD
CEC
CCEACL
CONSCPF
CONCUR
PROGRAD
DIR CH
PROGESP
GR
EDITAL Nº 54/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 55/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 56/GR/UFFS/2020 (RETIFICADO) EDITAL Nº 57/GR/UFFS/2020 (ALTERADO) EDITAL Nº 58/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 59/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 60/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 61/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 62/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 63/GR/UFFS/2020 (ALTERADO) EDITAL Nº 64/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 65/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 66/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 67/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 68/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 69/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 70/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 71/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 72/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 73/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 74/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 75/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 76/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 77/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 78/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 79/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 80/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 81/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 82/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 83/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 84/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 85/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 86/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 87/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 88/GR/UFFS/2020 (ALTERADO, RETIFICADO) EDITAL Nº 89/GR/UFFS/2020 (ALTERADO) EDITAL Nº 90/GR/UFFS/2020 EDITAL Nº 91/GR/UFFS/2020 PORTARIA Nº 130/GR/UFFS/2020 PORTARIA Nº 131/GR/UFFS/2020 PORTARIA Nº 132/GR/UFFS/2020 PORTARIA Nº 133/GR/UFFS/2020 PORTARIA Nº 134/GR/UFFS/2020 PORTARIA Nº 135/GR/UFFS/2020 PORTARIA Nº 136/GR/UFFS/2020 PORTARIA Nº 137/GR/UFFS/2020 PORTARIA Nº 138/GR/UFFS/2020 PORTARIA Nº 139/GR/UFFS/2020 PORTARIA Nº 140/GR/UFFS/2020 PORTARIA Nº 141/GR/UFFS/2020 PORTARIA Nº 142/GR/UFFS/2020 PORTARIA Nº 143/GR/UFFS/2020 PORTARIA Nº 144/GR/UFFS/2020

GDIR LS

CONSTITUIR Comissão Local para estudo de critérios para os pedidos de afastamento e prorrogação para Capacitação dos Técnicos Administrativos do campus Laranjeiras do Sul. (RETIFICADA)

RETIFICAÇÃO

O DIRETOR DO CAMPUS LARANJEIRAS DO SUL - UFFS, no uso de suas atribuições legais, retifica a Portaria Nº 01/DIR-LS/UFFS/2020,

ONDE SE LÊ: [...] Portaria Nº 1184/GR/UFFS/2014, de 17 de outubro de 2014, resolve:

LEIA-SE: [...] Portaria Nº 233/GR/UFFS/2018, de 15 de março de 2018, resolve:

Laranjeiras do Sul, 12 de fevereiro de 2020.

 

THIAGO BERGLER BITENCOURT
Diretor de Campus, em exercício


PORTARIA Nº 01/DIR-LS/UFFS/2020

 

O DIRETOR DO CAMPUS LARANJEIRAS DO SUL - UFFS, no uso de suas atribuições legais, considerando a Portaria Nº 1184/GR/UFFS/2014, de 17 de outubro de 2014, resolve:

Art. 1º CONSTITUIR Comissão Local para estudo de critérios para os pedidos de afastamento e prorrogação para Capacitação dos Técnicos Administrativos do campus Laranjeiras do Sul, conforme segue:

a) Willian Nathanael Cartelli de Paula, Siape 2173352 – Presidente;
b) Egon Elias Pasquatto, Siape 1915139;
c) Everton Donizetti Kielt, Siape 1957534;
d) Everton Vieira Martins, Siape 2139997;
e) Gabriela Ribeiro Cardoso, Siape 2036390.

Art. 2º A comissão tem por finalidade realizar estudos sobre critérios que auxiliem a direção de campus quanto aos pedidos de afastamento e prorrogação para Capacitação dos Técnicos Administrativos do campus Laranjeiras do Sul, tendo em vista o número de servidores com interesse pela capacitação formal.

Art. 3º Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Laranjeiras do Sul-PR, 10 de fevereiro de 2020.

Thiago Bergler Bitencourt

Diretor do Campus Laranjeiras do Sul, em exercício

CCPLS

Delibera ad referendum sobre inserção de Componentes Curriculares no roll de optativos do Projeto Pedagógico do Curso de graduação em Pedagogia – Licenciatura, Campus Laranjeiras do Sul, matriz 2018.

O Coordenador do Curso de Graduação em Pedagogia – Licenciatura do Campus Laranjeiras do Sul, na condição de Presidente do Colegiado e no uso de suas atribuições legais;

CONSIDERANDO decisão tomada pelo Colegiado do Curso, em reunião realizada no dia 29 de outubro de 2019, registrada na Ata nº 06/CCLP-LS/UFFS/2019;

CONSIDERANDO a aprovação do Ato Deliberativo Nº 02/CCLP-LS/UFFS/2019, em 29 de outubro de 2019 e enviado à PROGRAD;

CONSIDERANDO que os CCRs Optativos criados, neste Ato, integrados à Matriz 2018, serão migrados para a nova matriz do curso, em acordo com a Matriz expressa pelo Ato Deliberativo Nº 02/2019 e os ajustes necessários ao mesmo como reformulação curricular; e que há garantia de que os alunos não terão nenhum tipo de prejuízo;

CONSIDERANDO as necessidades legais e pedagógicas com relação ao cumprimento do que estabelece a Resolução nº 3/CONSUNI/CGAE/UFFS/2019, de 19 de março de 2019, que altera a Resolução nº 09/2017-CONSUNI/CGAE referente regulamentação da estrutura do Domínio Conexo entre os cursos de licenciatura dos campi da Universidade Federal da Fronteira Sul;

CONSIDERANDO o conteúdo da Portaria nº 31/PROGRAD/UFFS/2019 que aprova a caracterização do Domínio Conexo entre as licenciaturas do Campus Laranjeiras do Sul, retificada pela Portaria nº 35/PROGRAD/UFFS/2019 que apenas alterou o nome do CCR Política Educacional e Educação no Brasil para Política Educacional e Legislação do Ensino no Brasil;

CONSIDERANDO o disposto no Artigo 17-A da RESOLUÇÃO Nº 4/2014 –CONSUNI/CGRAD, que Aprova o Regulamento da Graduação da Universidade Federal da Fronteira Sul;

CONSIDERANDO a necessidade de viabilização, em tempo hábil, da oferta a partir do primeiro semestre de 2020 de novos Componentes Curriculares em consonância à proposta de reestruturação, ora em trâmites de análise na PROGRAD e CGAE, que visa alterações de carga horária na matriz Curricular do Projeto Pedagógico do Curso, que por sua vez não acarretarão alterações nas ementas e que a supressão e inclusão de CCRs, bem como a redução da carga horária e tempo de integralização não terão efeitos sobre os objetivos nem sobre o perfil do egresso do Curso;

DELIBERA:

Art. 1º Inserir no “Quadro 9: Componentes Curriculares Optativos” do PPC do curso de Pedagogia – Licenciatura do Campus Laranjeiras do Sul da Universidade Federal da Fronteira Sul, os seguintes componentes curriculares:

 

Código

COMPONENTES CURRICULARES OPTATIVOS

Créditos

Horas

GCH1209

Psicologia da educação e teorias da aprendizagem

4

60

GCH1319

Organização do trabalho pedagógico: extensão escolar

4

60

GCH1320

Didática na Educação Infantil

3

45

GCH1322

Organização do Trabalho Pedagógico: Magistério para formação de professores no Ensino Médio

3

45

GCH1323

Organização do Trabalho Pedagógico: Educação de Jovens e Adultos

3

45

GCH1321

Organização do Trabalho Pedagógico: Ensino Fundamental - 1º ao 5º ano

4

60

GCH1214

Estágio Curricular I

5

75

 

Parágrafo único – Ficam abaixo representadas as informações dos Componentes Curriculares inseridos no roll dos optativos do PPC do curso, matriz 2018:

 

Código

Componente Curricular

Créditos

Horas

GCH1209

PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO E TEORIAS DA APRENDIZAGEM

4

60

Ementa

O desenvolvimento humano e suas relações com o ensino e aprendizagem. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. Principais abordagens teóricas da psicologia da educação e suas implicações para a organização dos processos pedagógicos de ensino e aprendizagem escolar. Aprendizagem e desenvolvimento cognitivo como resultado de interações sociais. Estudos e Pesquisas em Psicologia da Educação.

Objetivo

Compreender as teorias da Psicologia aplicadas a educação. Compreender a relação entre aprendizagem e desenvolvimento humano.

Referência Básica

COLL, César; Palácios, J. e Marchesi, A. (org) Desenvolvimento Psicológico e Educação. Coleção Psicologia da Educação. Vol.2. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996

LEONTIEV, Alexis. Psicologia e Pedagogia: Bases Psicológicas da Aprendizagem e do Desenvolvimento. 4 ed. Rio Janeiro: Centauro, 2007.

LANE, Silvia Tatiana Maurer. Psicologia social: o homem em movimento. São Paulo: Brasiliense.

2017.

PIAGET, J. A Psicologia da inteligência. 1. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

VYGOTSKI, L. S. A Formação Social da Mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

WALLON, H. Psicologia e Educação da Infância. Lisboa: Estampa, 1986.

Referência Complementar

LA TAILLE, Yves de; OLIVEIRA, Marta Kohl de. DANTAS, Heloisa. Piaget, Vygotsky,Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. São Paulo: Summus, 1992.

OLIVEIRA, Marta Kohl. VYGOTSKY: desenvolvimento e aprendizado um processosócio histórico. São Paulo: Scipione, 1993.

PIAGET, Jean. & INHELDER, Bärbel. A Psicologia da Criança. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil Ed.,1998.

BEE, Helen. A criança em desenvolvimento. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

BIAGGIO, Â. M. Brasil. Psicologia do Desenvolvimento. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

COLL, C.; PALACIOS, J.; MARCHESI, A. Desenvolvimento psicológico e educação: necessidades educativas especiais e aprendizagem escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

PATTO, M. H. S. (Org.) Introdução à Psicologia Escolar. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1997.

PIAGET, Jean. Seis estudos de Psicologia. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004, PP. 127-132.

 

Código

COMPONENTE CURRICULAR

Créditos

Horas

GCH1319

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO: EXTENSÃO ESCOLAR

4

60

EMENTA

Prática orientada sobre a organização e desenvolvimento do trabalho pedagógico escolar sob a perspectiva da relação da escola com a comunidade. Espaços de participação da comunidade no processo de ensino e aprendizagem dos filhos na escola. Mecanismos de interlocução entre comunidade-escola e escola-comunidade. Sistematização e implementação de projetos nos processos de gestão da coordenação pedagógica da escola e da sua relação com a comunidade e com as práticas sociais.

OBJETIVO

Desenvolver atividades de extensão, orientadas pela pesquisa-ação, voltadas para o conhecimento e a caracterização social das comunidades atendidas pela Escola.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

ADDOR, Felipe. Extensão e políticas públicas: o agir integrado para o desenvolvimento Social. Rio de Janeiro: UFRJ, 2015.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Pesquisa participante: o saber da partilha. São Paulo: Brasiliense, 1986.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2006.

GOHN, Maria da Glória. Educação não-formal e cultura política: impactos sobre o associativismo do terceiro setor. São Paulo: Cortez, 2011.

SAVIANI, Dermeval. A Pedagogia no Brasil: história e teoria. Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler. São Paulo: Cortez, 1990.

FREITAS, Helena Costa Lopes de. O Trabalho como princípio articulador na prática de ensino e nos estágios. 9. ed. Campinas, SP: Papirus, 2014. (Magistério: formação e trabalho pedagógico).

MANACORDA, Mario Alighiero. O princípio educativo em Gramsci. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990.

PAIVA, Vanilda. História da educação popular no Brasil: educação popular e educação de adultos. São Paulo: Loyola, 2003.

VASCONCELLOS, C. S. Planejamento: projeto de ensino-aprendizagem e projeto político-pedagógico. São Paulo: Libertad, 2000.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro; CASTANHO, Maria Eugênia. (Org.). Pedagogia universitária: a aula em foco. Campinas, SP: Papirus, 2000.

 

Código

COMPONENTE CURRICULAR

Créditos

Horas

GCH1321

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO: ENSINO FUNDAMENTAL - 1º AO 5º ANO

4

60

EMENTA

Prática orientada sobre a organização e desenvolvimento do trabalho pedagógico escolar no Ensino Fundamental, do 1º ao 5º ano. Vivência nas instituições de ensino do Ensino Fundamental, do 1º ao 5º ano, na rede pública municipal. Identificação dos aspectos fundamentais da organização curricular, do planejamento, da gestão, do ensino-aprendizagem e da avaliação do 1º ao 5º ano no Ensino Fundamental.

OBJETIVO

Compreender aspectos fundamentais da organização curricular, do planejamento, da gestão, do ensino-aprendizagem e da avaliação no Ensino Fundamental, do 1º ao 5º ano.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

BRANDÃO, C. da F. Estrutura e funcionamento do ensino. São Paulo: Avercamp, 2009.

CURY, Carlos R. Jamil. Legislação educacional brasileira. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

GASPARIN, João Luiz. Uma didática para a pedagogia histórico-crítica. 2. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2003.

FREIRE, Paulo. A pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012.

HOFFMANN, Jussara. Pontos e contrapontos: do pensar ao agir em avaliação. Porto Alegre. Mediação, 1998.

XAVIER, Maria Luisa M.; ZEN, Maria Isabel H. Dalla (Org.). Planejamento em destaque: análises menos convencionais. Porto Alegre: Mediação, 2000.

REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

FONTANA, Roseli A. C.. A mediação pedagógica na sala de aula. Campinas: Autores Associados, 1996.

FREITAS, M.T. A. Vygotsky e Bakhtin: psicologia e Educação; um intertexto. São Paulo: Ática/EDUUFJF, 2002.

LIBÂNEO, José C., OLIVEIRA, João F., TOSCHI, Mirza Seabra. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez, 2003.

PIMENTA, Selma Garrido. (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 2008.

SACRISTÁN, J. Gimeno; GÒMEZ, A. I. Pérez. Compreender e transformar o ensino. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Construção do conhecimento em sala de aula. 10 ed. São Paulo: Libertad, 2000.

 

Código

COMPONENTE CURRICULAR

Créditos

Horas

GCH1320

DIDÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

3

45

EMENTA

Concepções de infância: teoria e prática e realidade da escola: Perspectivas teórico-metodológicas e suas implicações no aprendizado: diferentes abordagens, conteúdos e modos de conceber a elaboração conceitual na infância. Implicações sobre as modalidades de atendimento às crianças de 0 a 6 anos envolvendo as relações entre o cuidar e o educar. Contribuições teóricas atuais sobre o desenvolvimento infantil (perspectiva sociointeracionista) e suas implicações sobre a organização do tempo e do espaço na Educação Infantil a partir da caracterização da realidade da educação infantil.

OBJETIVO

Compreender a racionalidade presente na infância, a partir do ponto de vista da criança, bem como os caminhos para o ensino e o desenvolvimento de técnicas capazes de transmitir o conhecimento, levando em consideração a condição socioeconômica-cultural da criança.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

BARBOSA, M. C. S.; HORN, M. G. S. Projetos Pedagógicos na educação Infantil. Artmed: Porto Alegre, 2008.

CRAIDY, Carmem, KAERCHER, Gládis E. Educação Infantil: Pra que te quero? Porto Alegre: Artmed, 2001.

OLIVEIRA, Zilma Ramos de. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002.

ZABALZA, Miguel A. Qualidade em Educação Infantil. Porto Alegre, Artmed, 1998.

REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

ARIÉS, Philippe. História Social da Criança e da Família. 2 ed. Rio de Janeiro: LTC, 1981.

ENGUITA, Mariano F. A face oculta da escola. Porto Alegre, Artes Médicas, 1989.

FELTRAN, Antônio. et al. Técnicas de ensino: Por que não? 12 ed. São Paulo: Papirus, 2001.

FUSARI, José Carlos. O planejamento do trabalho pedagógico: algumas indagações e tentativas de respostas. São Paulo: FDE, 1998.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Contexto, 2006.

LUCKESI, Carlos Cipriano. Avaliação da Aprendizagem Escolar: estudos e proposições. São Paulo: Cortez, 2011.

SILVA, Aida Maria Monteiro (Org.). Didática, currículo e saberes escolares. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

 

Código

COMPONENTE CURRICULAR

Créditos

Horas

GCH1322

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO: MAGISTÉRIO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO ENSINO MÉDIO

3

45

EMENTA

Prática orientada sobre a organização e desenvolvimento do trabalho pedagógico escolar no Ensino Médio. Vivência nas instituições de ensino do Ensino Médio, na rede pública de ensino. Identificação dos aspectos fundamentais da organização curricular, do planejamento, da gestão, do ensino-aprendizagem e da avaliação no Ensino Médio.

OBJETIVO

Compreender aspectos fundamentais da organização curricular, do planejamento, da gestão, do ensino-aprendizagem e da avaliação no Magistério para formação de professores no Ensino Médio

REFERÊNCIAS BÁSICAS

BOMENY, Helena. Os intelectuais da educação. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

CAMBI, Franco. História da pedagogia. São Paulo: UNESP, 2001.

DUARTE, Newton (Org.). Sobre o construtivismo: contribuições para uma análise crítica. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2005.

SAVIANI, Dermeval. Histórias das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2010.

VASCONCELLOS, Celso dos S. Coordenação do trabalho pedagógico: do projeto político-pedagógico ao cotidiano da sala de aula. 14. ed. São Paulo: Libertad, 2013.

REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

ALMEIDA, Laurinda Ramalho de; PLACCO, Vera Maria Nigro de Souza. O coordenador pedagógico e o cotidiano da escola. São Paulo: Loyola, 2003.

BORDENAVE, Juan Días. PEREIRA, Adair Martins. Estratégias de ensino-aprendizagem. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

FREIRE, Paulo. A pedagogia do oprimido. 50 ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2011.

HENGEMÜHLE, Adelar. Gestão de ensino e práticas pedagógicas. 7. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e pedagogos, para quê? 12. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

_____. Didática. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2013.

VASCONCELLOS, Celso dos S. Planejamento: projeto de ensino-aprendizagem e projeto político-pedagógico. 22. ed. São Paulo: Libertad, 2012.

 

Código

COMPONENTE CURRICULAR

Créditos

Horas

GCH1323

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO: EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

3

45

EMENTA

Prática orientada sobre a organização e desenvolvimento do trabalho pedagógico escolar na Educação de Jovens e Adultos (EJA). Vivência nas instituições de ensino da Educação de Jovens e Adultos, na rede pública de ensino. Identificação dos aspectos fundamentais da organização curricular, do planejamento, da gestão, do ensino-aprendizagem e da avaliação na EJA.

OBJETIVO

Compreender aspectos fundamentais da organização curricular, do planejamento, da gestão, do ensino-aprendizagem e da avaliação na Educação de Jovens e Adultos.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

FREIRE, Paulo. A pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012.

GADOTTI, Moacir e ROMAO, José Eustáquio. Educação de jovens e adultos teorias práticas e propostas. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

PIMENTA, Selma Garrido. (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

PINTO, Álvaro Vieira. 7 lições sobre educação de adultos. 16. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

RIBEIRO, Vera Masagão (Org.). Educação de jovens e adultos: novos leitores, novas leituras. Campinas: Mercado de Letras, 2003.

REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler. São Paulo: Cortez, 2005.

PADILHA, Paulo Roberto. Planejamento dialógico: como construir o projeto político-pedagógico da esola. São Paulo: Cortez, 2017.

PIMENTA, Selma Garrido; GHEDIN, Evandro. (Org.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2012.

PAIVA, Vanilda. História da educação popular no Brasil: educação popular e educação de adultos. 6. ed. rev. e ampl. São Paulo: Loyola, 2003

PISTRAK, M. M. Fundamentos da escola do trabalho. São Paulo: Expressão Popular, 2000.

RIBEIRO, Vera Masagão. (Org.). Educação de jovens e adultos: novos leitores, novas leituras. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2003.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia Histórico-crítica: primeiras aproximações. 11. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

 

Código

Componente Curricular

Créditos

Horas

GCH1214

ESTÁGIO CURRICULAR I

5

75

Ementa

Observação e análise dos processos pedagógicos na escola. A docência e a organização do trabalho pedagógico na escola. Organização e funcionamento dos processos de gestão educacional e de coordenação pedagógica. Aspectos da Gestão democrática. PPP e regimento escolar. Formação continuada e produção de conhecimento na escola. A relação escola e comunidade.

Objetivo

Compreender a organização e o funcionamento da escola. Caracterizar as principais instâncias de organização e representação coletiva na escola. Problematizar a organização pedagógica na escola e as implicações e possibilidades de constituição de uma escola pública democrática e participativa.

Referência Básica

DUARTE, Newton. Educação escolar, teoria do cotidiano e a escola de Vigotski. – 4ª ed. – Campinas: Autores Associados, 2007.

FERREIRA, Naura Syria Carapeto. (Org.). Gestão democrática da educação: atuais tendências, novos desafios. São Paulo: Cortez, 2003.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

LIBÂNEO, José Carlos. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 4 ed. Goiânia: Alternativa, 2001.

OLIVEIRA, Dalila Andrade; DUARTE, Marisa R. T. (Org.). Política e trabalho na escola: administração dos sistemas públicos de educação básica. 3.ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e Docência. 7ª. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

Referência Complementar

NASCIMENTO, Maria Isabel Moura; SANDONO, Wilson; LOMBARDI, José Claudinei; SAVIANI, Dermeval (Orgs.). Instituições Escolares no Brasil: conceitos e reconstrução histórica. – Campinas; SP: Autores Associados, UEPG, 2007.

RIBEIRO, Maria Luisa Santos. Educação Escolar: que prática é essa? – Campinas, SP: Autores

Associados, 2001.

VASCONCELOS, Celso dos. Planejamento: projeto de ensino-aprendizagem e projeto políticopedagógico: Elementos metodológicos para elaboração e realização. 16 ed. São Paulo: Libertad, 2006.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. (Org.). Projeto Político Pedagógico da Escola: uma construção

possível. 24. ed. Campinas: Papirus, 2005.

 

Art. 2º Esta decisão entra em vigor na data de sua publicação.

 

GRACIALINO DA SILVA DIAS

Coordenador do Curso de Pedagogia e Presidente do Colegiado

Laranjeiras do Sul-PR, 14 de fevereiro de 2020.

Gracialino da Silva Dias

Coordenador do Curso de Graduação em Pedagogia do Campus Laranjeiras do Sul

ACAD RE

PROCESSO DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA O CURSO DE FORMAÇÃO DE JOVENS: CIDADANIA, POLÍTICA E AGRICULTURA SUSTENTÁVEL

 

O Coordenador Acadêmico do Campus Realeza da Universidade Federal da Fronteira Sul – UFFS, no uso de suas atribuições, torna público o presente edital do processo de seleção de candidatos para o Curso De Formação De Jovens: Cidadania, Política e Agricultura Sustentável, para ingresso em março de 2020.

 

1. DO CURSO, DO LOCAL DE OFERTA E DAS VAGAS

1.1 O Curso de Formação de Jovens: Cidadania, Política e Agricultura Sustentável, disponibiliza 40 vagas, para oferta na UFFS, Campus Realeza-PR.

1.2 Fica reservada 1 (uma) vaga para candidatos com deficiência, aprovados e classificados no processo seletivo.

1.3 Fica reservada 1 (uma) vaga para candidatos autodeclarados indígenas, aprovados e classificados no processo seletivo.

1.4 Fica reservada 1 (uma) vaga para candidatos autodeclarados negros (pretos e pardos), aprovados e classificados no processo seletivo.

1.5 Não havendo candidatos selecionados para ocuparem as vagas reservadas dos itens 1.2, 1.3 e 1.4, estas serão preenchidas pelos demais candidatos obedecendo a ordem de classificação;

1.6 O preenchimento total das vagas ofertadas fica condicionado à aprovação de candidatos no Processo Seletivo.

 

2. DO PÚBLICO ALVO

2.1 O público alvo deste projeto são jovens na faixa etária de 14 a 24 anos, preferencialmente da rede de educação básica do Sudoeste do Paraná.

 

3. DOS OBJETIVOS

3.1 O Curso de Formação de Jovens: Cidadania, política e Agricultura Sustentável tem como objetivo geral promover a vivência social e comunitária dos cursistas, assim como o estímulo a pensar nas práticas do curso como práticas integrativas de seus projetos pessoais de vida.

São objetivos específicos do curso:

3.2.1 Oportunizar aos jovens da Educação Básica da Rede Estadual, processos de iniciação científica como forma de preparação para a vida acadêmica, por meio da integração das ações do projeto com o conjunto de atividades de ensino, pesquisa e extensão já desenvolvidas no Campus Realeza.

3.2.2 Proporcionar a construção de um espaço de debate a respeito de questões sociopolíticas e culturais contemporâneas associadas à estruturação do projeto pessoal de vida dos cursistas.

Facilitar o processo de transição da juventude para a vida adulta;

3.2.4 Oportunizar espaços de formação e organização da juventude da agricultura familiar, a partir da afirmação e valorização do espaço rural, tendo em vista a sua permanência no campo com renda, educação e qualidade de vida.

3.2.5 Envolver os estudantes do ensino médio na pesquisa e desenvolvimento de metodologias que possibilitem a redução na geração de resíduos, bem como tratamentos mais eficientes que possibilitem a minimização dos impactos ambientais causados pelos resíduos gerados nos diversos processos de atividades de entes privados e públicos.

3.2.6 Capacitar os jovens para a adoção e disseminação de práticas ambientalmente sustentáveis no contexto de sua vivência comunitária.

 

4. DA ESTRUTURA CURRICULAR

4.1 O curso de extensão “Formação de Jovens: Cidadania, política e Agricultura Sustentável” apresenta a seguinte estrutura curricular:

MÓDULO 1: Democracia, Política e Redes Sociais

Bloco 1: Política, ética e democracia

20h

Bloco 2: Administração Pública, políticas públicas e participação popular

20h

Bloco 3: Engajamento e Cidadania, Culturas Políticas e Sensibilidades

20h

MÓDULO 2: OFICINAS TETICAS

Ciclo 1: Agroecologia – O “AGRO” que não é “POP”

12h

Ciclo 2: Reciclagem de resíduos sólidos orgânicos

08h

Ciclo 3: Metodologias para redução da geração, tratamento e remediação do impacto ambiental gerado por resíduos de atividades humanas de fontes privadas e públicas

40h

TOTAL GERAL DOS MÓDULOS

120h

 

4.2 O calendário das atividades estará disponível em um endereço eletrônico a divulgar, e serão ministradas, preferencialmente nos seguintes turnos e horários:

a) Sábados, turno matutino: das 7:30h às 12:30h;

b) Sábados, turno vespertino: das 13:30h às 18:30h;

4.3 Caso o cronograma sofra alterações, por motivo de qualquer ordem, os acadêmicos serão comunicados com a devida antecedência.

 

5. DAS INSCRIÇÕES

5.1 As inscrições serão realizadas exclusivamente pela internet, no seguinte endereço https://tinyurl.com/edital002uffs no período de 11 de fevereiro a 21 de fevereiro de 2020.

5.2 Na inscrição on-line, os candidatos deverão anexar, obrigatoriamente, os seguintes documentos:

a) Anexo I – Formulário de inscrição;

b) Anexo II – Modelo de carta de intenções;

c) Anexo III – Modelo de autodeclaração para inscrição;

d) Anexo IV – Fotocópia do documento de identidade (RG) e do CPF;

e) Anexo V – Fotocópia do histórico escolar;

 

6. Do PROCESSO SELETIVO

6.1 O processo de seleção será conduzido por Comissão de Seleção específica, designada pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura.

6.2 A seleção será constituída de entrevista (eliminatória e classificatória), que contemplará arguição acerca da carta de intenções.

6.3 A nota final será calculada com base na nota da entrevista, sendo considerado aprovado o candidato que obtiver média final igual ou superior a 6,0 (seis).

6.4 Serão classificados os candidatos com as melhores médias, até o limite de vagas disponíveis. Os demais aprovados comporão lista de espera.

6.5 Em caso de empate, a classificação dos candidatos será decidida com base na idade (será selecionado o candidato mais idoso).

6.7 O candidato poderá interpor recurso a homologação das inscrições e ao resultado da etapa única do Processo Seletivo em até 24 horas após a publicação do resultado no site da UFFS, conforme data e horário previsto no cronograma deste Edital.

 

7. Cronograma

Etapas

Datas

Período de inscrição

De 11/02/2020 a 21/02/2020,

exclusivamente pelo site

Homologação das inscrições e divulgação do horário para as entrevistas

24/02/2020, exclusivamente pelo site da UFFS - Página do Campus Realeza

Entrevistas

27 e 28/02/2020

Divulgação do resultado geral provisório

02/03/2020, na página do curso

Período para recursos ao resultado geral

03/03/2020, durante expediente da SEGEC

Divulgação do resultado final

04/03/2020

Início das atividades do curso

07/03/2020

 

8. DISPOSIÇÕES FINAIS

8.1 Será expedido certificado de curso de extensão ao cursista que obtiver a frequência mínima de 75% de presença nas atividades do curso.

8.2 Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão de Seleção e Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFFS.

 

 

Realeza-PR, 10 de fevereiro de 2020.

 

 

_________________________________

ADEMIR ROBERTO FREDDO

Coordenador Acadêmico

 

 

ANEXO I

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO

Nome do Candidato:

RG:

CPF:

Autodeclaração: ( ) Deficiente ( ) Indígena* ( ) Negro (Preto ou pardo)*

* Necessidade de preencher formulário Anexo III

Endereço:

Rua:

Numero:

Bairro:

UF:

CEP:

Contato:

Telefone Residencial:

Telefone Celular:

E-mail 1:

E-mail 2:

Cursos

Ensino Médio:

Ensino Superior - Graduação:

Ocupação profissional

Instituição/Empresa:

Cargo:

Telefone:

Declaro que li e concordo com as normas do presente edital.

 

_________________________

Assinatura do Candidato



ANEXO II

MODELO DE CARTA DE INTENÇÕES


Com até 3 (três) páginas (espaço simples, fonte Times New Roman, tamanho 12, margens de 2cm em todas as bordas), a carta de intenções deverá explicitar:

a) motivações para se candidatar a uma vaga do curso.



 

ANEXO III

MODELO DE AUTODECLARAÇÃO PARA INSCRIÇÃO



Eu, _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _,

portador do CPF No _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

e RG _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _,

declaro para fins específicos de atendimento ao disposto no Edital do Curso de formação de jovens: Cdadania, Política e Agricultura Sustentável, em consonância com a LEI No 12.711, DE 29 DE AGOSTO DE 2012, que tendo sido aprovado para uma das vagas de reservadas a pretos(as), pardos(as) e indígenas no Processo Seletivo me declaro (__) preto (__) pardo (__) indígena e assumo responsabilidade por estas informações.


Estou ciente de que, em caso de falsidade ideológica, ficarei sujeito às sanções prescritas no Código Penal*.


Local e Data


Assinatura do candidato



*O Decreto-Lei no 2.848, de 07 de dezembro de 1940 - Código Penal - Falsidade ideológica Art. 299: omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar, ou nele inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, com o fim de prejudicar direito, criar obrigação ou alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante: Pena - reclusão, de um a cinco anos, e multa, se o documento é público, e reclusão de um a três anos, e multa, se o documento é particular.




ANEXO IV


Inserir no ato da inscrição anexar fotocópia do RG e CPF.




ANEXO V


Inserir no ato da inscrição anexar fotocópia do Histórico Escolar.

Realeza-PR, 11 de fevereiro de 2020.

Ademir Roberto Freddo

Coordenador Acadêmico do Campus Realeza

Documento Histórico

EDITAL Nº 2/ACADRE/UFFS/2020

CCMECH

Delibera sobre a inserção nos Quadros de Ementários o campo: “Competências e Habilidades”.

A Coordenação do Curso de Medicina – do Campus Chapecó, no uso de suas atribuições legais, e de acordo com decisão tomada pelo Colegiado do Curso, e de acordo com o relatório enviado à Comissão da Comissão de Acompanhamento e Monitoramento de Escolas Médicas (item 3 do Relatório) - CAMEM em junho de 2019 (atendendo as orientações da nova comissão coordenada pela Profa Dra.Ana Cristina Ribeiro Zollner; e o definido na 8ª Reunião Ordinária de 2019 do Colegiado do Curso de Medicina realizada no dia 26 de novembro (terça-feira), às 19 horas, na sala de reuniões 1.3.12 da Reitoria e registrada na Ata nº 11/2019,

 

DELIBERA:

Art. 1º Inserir nos Quadros de Ementários, item 8.8 do Projeto Pedagógico do Curso de Medicina o campo Competências e Habilidades. Ficando da seguinte forma:

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA140

SAÚDE COLETIVA I

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender o processo histórico das políticas públicas de saúde no Brasil; reconhecer o funcionamento e organização do Sistema Único de Saúde e apropriar-se do conhecimento sobre a atenção primária à saúde e processo saúde-doença. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: interpretar a evolução histórica da saúde no Brasil e sua influência na construção e estruturação do Sistema Único de Saúde; compreender modelos explicativos, fatores e determinantes envolvidos no processo saúde-doença; identificar e caracterizar o trabalho em equipe na atenção primária à saúde; reconhecer as políticas indutoras de provimento e fixação de profissionais da saúde.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GCH290

INICIAÇÃO À PRÁTICA CIENTÍFICA

04

60

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO SUGERIDO

Onde se : Proporcionar reflexões sobre as relações existentes entre universidade, sociedade e conhecimento científico e fornecer instrumentos para iniciar o acadêmico na prática da atividade científica.

 

Leia-se: História da ciência. O pensar e o fazer científico. Tipos de estudo. Bases de dados eletrônicas. Estruturação de projeto de pesquisa. Estruturação de artigo científico. Softwares de gerenciamento de referências. Ética em pesquisa. Currículo lattes e plataforma Brasil.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA271

MORFOFISIOLOGIA I

14

 

210

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender o funcionamento e estrutura estabelecidos como normais dos sistemas do corpo humano em um contexto ambiental para consolidar a concepção de saúde. Compreender os mecanismos de ajustes dos sistemas fisiológicos em condições de variações não danosas da homeostase (jejum, frio, estresse). Ter autonomia para escrever, expor e divulgar conceitos básicos inerentes ao corpo humano. Ter atitudes éticas; saber trabalhar em grupo e saber comunicar seu conhecimento considerando a morfofisiologia (maneira oral e escrita). Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: aprender e saber a morfofisiologia dos sistemas: musculoesquelético, tegumentar, circulatório e respiratório humanos; identificar as estruturas anatômicas macro e microscópicas; dominar o uso e os cuidados do microscópio; respeitar o cadáver e peças anatômicas utilizadas para o estudo da anatomia; zelar e cuidar das peças e modelos artificiais, bem como lâminas de microscópio etc, que compõem o patrimônio público; seguir o previsto no regulamento disciplinar discente da universidade e código de ética do estudante de Medicina.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA142

PROCESSOS BIOLÓGICOS I

8

120

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender o funcionamento do organismo humano a nível celular e bioquímico, identificando suas particularidades, as quais servirão como base para o aprendizado e compreensão de situações saudáveis e patológicas no decorrer do curso. Compreender o funcionamento da reprodução humana e das fases do desenvolvimento embrionário e fetal. Ter atitudes éticas e saber trabalhar em grupo. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: Conhecer a estrutura e o metabolismo das macromoléculas (carboidratos, lipídeos e proteínas) indispensáveis ao funcionamento do organismo. Compreender o funcionamento enzimático e das vias metabólicas de produção de energia. Conhecer a organização celular e formação estrutural da célula. Compreender a função de cada organela celular bem como o seu papel no funcionamento do organismo. Conhecer a as etapas do processo reprodutivo humano. Compreender os processos de cada fase do desenvolvimento embrionário e fetal. Aprender a trabalhar em grupo, desenvolvendo a colaboração e liderança. Manter postura ética em sala de aula, bem como durante a realização de atividades em grupo e avaliações individuais.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA143

CONSTRUÇÃO HISTÓRICA DA MEDICINA

2

30

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Conhecer e contextualizar a construção histórica da Medicina e relacionar os fatos históricos com a prática médica atual. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: compreender e dialogar sobre o que motivou a origem das principais descobertas na área da Medicina, considerando a realidade social e econômica de cada época histórica. Entender os conceitos de doença, modelos médicos; além do papel, social e na academia, do estudante de Medicina.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA268

SEMINÁRIO INTEGRADOR I

1

15

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender o funcionamento integral do organismo a partir da integração dos conteúdos aprendidos durante a primeira fase do curso de medicina. Reconhecer o papel das várias áreas do conhecimento para a saúde humana a fim de alcançar uma prática interdisciplinar na formação profissional. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: compreender os principais conceitos aprendidos nos componentes curriculares da primeira fase; aplicar o conhecimento adquirido nos componentes da primeira fase na resolução de uma situação-problema integradora; visualizar que a integração dos diferentes CCR é indispensável para a compreensão do funcionamento do organismo em situações fisiológicas e patológicas; integrar os conhecimentos visando promoção da saúde e prevenção de doenças na perspectiva de uma formação interdisciplinar e interprofissional.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA148

SAÚDE COLETIVA II

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Reconhecer o território (área geográfica) como participante da condição de saúde ou doença das pessoas e os determinantes e condicionantes aos quais está exposta a população que nele habita; identificar os agravos de interesse epidemiológico no território de atuação; conhecer as normas vigentes quanto a notificação de agravos expedidos pela vigilância em saúde; conhecer a estrutura de organização da Vigilância em Saúde no Brasil. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: Coletar dados em sistemas de informações de saúde e proceder a leitura crítica desses dados; elaborar gráficos e tabelas a partir dos dados coletados; calcular e interpretar indicadores de saúde; elaborar análise de situação de saúde local, a partir da identificação dos principais agravos e doenças de notificação compulsória; proceder a leitura e análise crítica dos resultados encontrados nas atividades práticas desenvolvidas no componente.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA269

MORFOFISIOLOGIA II

14

210

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender o funcionamento e estrutura estabelecidos como normais dos sistemas do corpo humano em um contexto ambiental para consolidar a concepção de saúde. Compreender os mecanismos de ajustes dos sistemas fisiológicos em condições de variações não danosas da homeostase (jejum, frio, estresse). Ter autonomia para escrever, expor e divulgar conceitos básicos inerentes ao corpo humano. Ter atitudes éticas; saber trabalhar em grupo e saber comunicar seu conhecimento considerando a morfofisiologia (maneira oral e escrita). Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: aprender e saber a morfofisiologia dos sistemas: digestório, endócrino, geniturinário, nervoso e sensorial humanos; identificar as estruturas anatômicas macro e microscópicas; dominar o uso e os cuidados do microscópio; respeitar o cadáver e peças anatômicas utilizadas para o estudo da anatomia; zelar e cuidar das peças e modelos artificiais, bem como lâminas de microscópio etc, que compõem o patrimônio público; seguir o previsto no regulamento disciplinar discente da universidade e código de ética do estudante de Medicina.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA146

PROCESSOS BIOLÓGICOS II

8

120

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender os conceitos fundamentais em genética e das leis que regem os padrões de herança em humanos, incluindo sinalização molecular e as doenças genéticas. Aplicar conhecimentos de biologia molecular e biofísica no funcionamento geral do organismo, bem como no diagnóstico e no tratamento de doenças. Ter atitudes éticas e saber trabalhar em grupo. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: conhecer o funcionamento da genética e as bases moleculares que determinam os padrões de herança em humanos; identificar e diferenciar os principais tipos de doenças genéticas em humanos; conhecer os mecanismos relacionados à excitabilidade das membranas biológicas; conhecer os efeitos biológicos das radiações ionizantes e suas aplicações clínicas; interpretar e aplicar métodos em biologia molecular e biofísica no diagnóstico e tratamento de doenças em humanos; aprender a trabalhar em grupo, desenvolvendo a colaboração e liderança; manter postura ética em sala de aula, bem como durante a realização de atividades em grupo e avaliações individuais.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA270

SEMINÁRIO INTEGRADOR II

1

15

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender as relações entre os CCR oferecidos durante a fase do curso, associando os conhecimentos abordados; compreender os fenômenos biológicos, sociais, ambientais e culturais em que está inserido. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: expor de maneira oral e escrita os conhecimentos associados aos mecanismos inerentes aos processos biológicos; o funcionamento do Sistema Único de Saúde e suas bases legais; e a estrutura e função do corpo humano.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA167

SAÚDE COLETIVA III

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Reconhecer a saúde como direito de toda população brasileira cuja visão do papel social do médico proporcionará entendimento e disposição para atuar em atividades de política e de planejamento em saúde; reafirmar conhecimentos de Vigilância em Saúde, sobretudo de Saúde do Trabalhador e Saúde Ambiental; dominar os conhecimentos relacionados à atuação profissional no atendimento primário em saúde (APS). Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: atuar de forma a garantir a integralidade da assistência preventiva e curativa, individual e coletiva; considerar a relação custo-benefício nas decisões médicas, (considerando as reais necessidades da população); lidar criticamente com a dinâmica do mercado privado de trabalho e com as políticas públicas de saúde; conhecer os instrumentos institucionais em notificação de doenças e agravos que subsidiam a elaboração de políticas públicas; debater temas relacionados aos agrotóxicos e transgênicos; reconhecer a importância dos instrumentos de notificação em Saúde do Trabalhador; contribuir no desenvolvimento de ações de promoção, prevenção, proteção e reabilitação em Saúde do Trabalhador; atuar em equipe multiprofissional; tomar ciência do processo de nexo causal; discutir meios de implantar a Saúde Ambiental na APS; identificar questões relacionadas à Biossegurança na APS; apontar aspectos de Segurança do Paciente na APS.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA169

PROCESSOS PATOLÓGICOS I

4

60

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender os conceitos da patologia geral e correlacionar com o processo saúde-doença; entender os mecanismos responsáveis pelo surgimento e manutenção de doenças agudas e crônicas; conhecer os aspectos éticos relacionados com a patologia humana. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: entender e dialogar sobre o processo saúde doença (tanto em doenças inflamatórias, infecciosas e crônico-degenerativas); zelar e saber manusear equipamentos de laboratório como microscópicos, meios de cultura, vidraria, etc de acordo com os objetivos do CCR; discutir e contextualizar oralmente súmulas de compreensão dos conteúdos trabalhados.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA171

ATENÇÃO À SAÚDE: EPIDEMIOLOGIA E BIOESTATÍSTICA

4

60

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Aplicar os conceitos e princípios da epidemiologia na prática médica; saber como utilizar os indicadores de saúde e dados epidemiológicos de uma população; realizar diagnósticos de saúde populacionais através da análise e interpretação de dados em saúde. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: calcular índices epidemiológicos como incidência, prevalência; morbidade e mortalidade; utilizar softwares de informática para auxiliar em planejamento de metodologia e de análise de diagnósticos populacionais; sumarizar achados encontrados utilizado gráficos e tabelas; saber utilizar os principais testes estatísticos e relacionar achados encontrados com dados publicados na literatura.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA281

SEMINÁRIO INTEGRADOR III

1

15

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender o funcionamento integral do organismo a partir da integração dos conteúdos aprendidos durante a fase do curso de medicina, através de práticas colaborativas. Reconhecer o papel das várias áreas do conhecimento para a saúde humana a fim de alcançar uma prática interdisciplinar na formação profissional. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: compreender os principais conceitos aprendidos nos componentes curriculares da fase; aplicar o conhecimento adquirido nos componentes do semestre através de através de práticas colaborativas; visualizar que a integração dos diferentes CCR é indispensável para a compreensão do funcionamento do organismo em situações fisiológicas e patológicas; integrar os conhecimentos visando promoção da saúde e prevenção de doenças na perspectiva de uma formação interdisciplinar e interprofissional.

 

DIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA180

SAÚDE COLETIVA IV

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Reconhecer os princípios fundantes e elementos de ação de políticas e ações concernentes ao Sistema Único de Saúde, a listar: Política Nacional de Atenção Básica, Assistência Farmacêutica, Financiamento e judicialização da saúde, Imunizações, Programa Saúde na Escola e da Educação Permanente em Saúde no contexto do Sistema Único de Saúde brasileiro. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: apropriar-se dos conceitos descritivos e operacionais destas políticas e ações, de forma que elas articulem a teoria com as vivências práticas nos distintos cenários de promoção da saúde, assim como das atividades de pesquisa/ extensão.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA181

PROCESSOS BIOLÓGICOS IV

12

180

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Entender a fisiopatologia das doenças infecto contagiosas mais relevantes, incluindo as do município de Chapecó, como parte do processo de formação, além de integrá-lo aos projetos vigentes do curso; compreender os mecanismos de insultos por micro-organismos e ambientais, as consequentes alterações fisiológicas e os métodos de tratamento; compreender o funcionamento do sistema imunológico em relação às doenças causadas por microrganismos e em relação às doenças relacionadas às disfunções imunes; ter atitudes éticas e saber trabalhar em grupo. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: Identificar os microorganismos mais prevalentes na população brasileira e na região de Chapecó; caracterizar a interação dos micro-organismos no organismo do hospedeiro; descrever os sinais e sintomas causados pelos micro-organismos; descrever os principais métodos de tratamento para as doenças abordadas no CCR; discutir no âmbito de equipe multiprofissional os temas relacionados às interações entre parasita e hospedeiro e doenças infecciosas em geral; descrever o funcionamento do sistema imunológico em resposta a invasão de micro-organismos e parasitas; caracterizar o sistema imunológico em situações de doenças autoimunes, reações de hipersensibilidade e imunodeficiências; aliar à anamnese conceitos aprendidos neste componente no que tange aos sinais e sintomas, epidemiologia, fisiopatologia, tratamento e diagnóstico das doenças abordadas; cultivar o trabalho em grupo, desenvolvendo a colaboração e liderança, por meio da metodologia ativa denominada “problem-based-learning”; manter postura ética em sala de aula, bem como durante a realização de atividades em grupo e avaliações individuais.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA182

PROCESSOS PATOLÓGICOS II

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender os conceitos da patologia clínica e correlacionar a morfologia macro e microscópicas das doenças humanas mais prevalentes; reconhecer alterações relacionadas a doenças em exames de imagem e de laboratório mais utilizados; entender os mecanismos responsáveis pelo surgimento e manutenção de doenças agudas e crônicas; conhecer os aspectos éticos relacionados com a patologia humana. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: saber solicitar um exame anátomo-patológico; entender a nomenclatura na patologia humana (tanto em doenças inflamatórias, infecciosas e crônico-degenerativas); zelar e saber manusear equipamentos de laboratório como microscópicos, peças em formol, vidraria, etc; discutir e contextualizar oralmente súmulas de compreensão dos conteúdos trabalhados.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA301

DIAGNÓSTICO E TERAPÊUTICA II

10

150

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Desenvolver os conceitos e princípios da semiologia médica aprendidos no CCR "Diagnóstico e Terapêutica I"; realizar o raciocínio clínico atendendo paciente real; correlacionar o processo saúde doença; conhecer os princípios gerais da farmacologia e da farmacocinética de grupos de fármacos trabalhados no CCR; entender sobre farmacologia relacionada utilizados para o tratamento de doenças do sistema digestório, sistema endócrino, sistemas cardiovascular, renal, antimicrobianos e antineoplásicos. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: saber coletar e descrever uma história clínica; realizar exame físico completo; respeitar e seguir a normas de cada cenário de prática, de acordo com o previsto no termo de compromisso; comunicar-se de forma clara e objetiva; utilizar princípios éticos na relação médico-paciente.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA282

SEMINÁRIO INTEGRADOR IV

1

15

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender o funcionamento integral do organismo a partir da integração dos conteúdos aprendidos durante a fase do curso de medicina, através de gamificação. Reconhecer o papel das várias áreas do conhecimento para a saúde humana a fim de alcançar uma prática interdisciplinar na formação profissional. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: compreender os principais conceitos aprendidos nos componentes curriculares da fase; aplicar o conhecimento adquirido nos componentes do semestre através de através de práticas colaborativas; visualizar que a integração dos diferentes CCR é indispensável para a compreensão do funcionamento do organismo em situações fisiológicas e patológicas; integrar os conhecimentos visando promoção da saúde e prevenção de doenças na perspectiva de uma formação interdisciplinar e interprofissional.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA188

SAÚDE COLETIVA V

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competência a ser desenvolvida: Reconhecer o funcionamento das Redes de Atenção à Saúde (RAS). Para alcançar essa competência, serão necessárias as seguintes habilidades: apropriar-se do conceito e prática de humanização em saúde e de matriciamento; reconhecer e utilizar ferramentas de abordagem familiar e comunitária; identificar, notificar e intervir em situações de vulnerabilidade e violência.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA189

CLÍNICA I: ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO ADULTO E DA PESSOA IDOSA

8

120

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: compreender os aspectos clínicos e propedêuticos das doenças mais prevalentes na cardiologia e pneumologia, desenvolver estratégias terapêuticas, de prevenção e de reabilitação; realizar raciocínio clínico a partir dos métodos propedêuticos; desenvolver a técnica da relação médico-paciente. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: Realizar com proficiência a anamnese e a consequente construção da história clínica; aprimorar os conhecimentos adquiridos na semiologia, sobretudo no que tange a ausculta do sistema cardiorrespiratório, diferenciando os achados normais dos patológicos; conhecer os principais métodos complementares e suas limitações; estabelecer hipóteses diagnósticas mais prováveis, relacionando os dados da história, exame físico e exames complementares solicitados; estabelecer diagnósticos diferenciais coerentes perante cada situação; identificar situações e sinais de alerta que indiquem a necessidade de imediata intervenção médica (emergências médicas); elaborar plano terapêutico baseado no contexto clínico e social do paciente e na efetividade da ação médica; atuar na proteção e na promoção da saúde e na prevenção de doenças, bem como no tratamento e reabilitação dos problemas de saúde; avaliar e acompanhar a efetividade das intervenções realizadas; atuar em equipe multidisciplinar; agir com ética com o paciente, sua família e a equipe de atendimento; conhecer os aspectos psicológicos das principais etapas do ciclo vital humano; conhecer as reações mais comuns ao adoecimento, refletir sobre a formação ética e psicológica do médico e do estudante de medicina.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA191

CLÍNICA CIRÚRGICA I

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: conhecer os fundamentos em cirurgia que servirão de base para desenvolver as competências de Atenção às Necessidades Individuais de Saúde e de Atenção às Necessidades de Saúde Coletiva (DCNs 2014); realizar consulta pré-operatória e avaliação pós operatória; identificar as principais complicações pós cirúrgicas e antibioticoterapia; compreender e realizar técnicas assepsia e antissepsia; conhecer a dinâmica do centro cirúrgico e se familiarizar com espaço; executar os principais tipos de sutura e conhecer drenos, sondas, fios e agulhas; aprender noções de procedimentos cirúrgicos ambulatoriais. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: estudar os fundamentos de cirurgia (história, conceitos gerais, evolução da técnica no decorrer dos anos, técnicas, nomenclaturas, etc..); realizar antissepsia e assepsia das mãos; calçar corretamente luvas e aventais cirúrgicos; executar nós e suturas básicas; reconhecer e manusear materiais cirúrgicos, como as mais diversas pinças, tesouras, porta-agulhas e afastadores.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA192

ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA MULHER I

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: realizar propedêutica considerando aspectos específicos da saúde da mulher; conhecer a Política Nacional de Atenção Integral em Saúde da Mulher; saber realizar consulta de pré-natal e o que é preconizado para o atendimento médico da gestante. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: revisar os aspectos clínicos, morfológicos e funcionais do sexo feminino, praticar coleta de história clínica e exame físico em pacientes ambulatoriais nas áreas de ginecologia e obstetrícia, praticar coleta de material para citologia cervical, desenvolver a habilidade de síntese e registro das informações colhidas na anamnese e exame físico, revisar a farmacologia e patologia aplicadas para tratamento de doenças do trato genital feminino.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA193

ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE I

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: realizar todas etapas da propedêutica em puericultura, pediatria e hebiatria; conhecer as políticas e programas de atenção à saúde de crianças e adolescentes; diferenciar o crescimento/desenvolvimento saudável do patológico; saber o calendário vacinal; saber orientar quanto aleitamento, alimentação saudável na primeira infância, saúde bucal e prevenção de acidentes domésticos. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: treinar todas etapas da propedêutica (coletar história clínica e realizar exame físico completo) em puericultura, pediatria e hebiatria, utilizando simuladores e em consultas com pacientes monitoradas por professor; estudar aspectos clínicos sobre aleitamento materno; conferir a carteira de vacinas e orientar o esquema vacinal em consultas pediátricas; correlacionar o que é definido nas políticas e programas de atenção à saúde de crianças e adolescente com a realidade das consultas médicas; revisar métodos de prevenção de doenças da boca e de acidentes domésticos na infância; usar vocabulário adequado sabendo adaptar a linguagem técnica usada em documentos e com os outros profissionais para uma linguagem entendível pelo paciente e sua família; agir com ética com o paciente, sua família e a equipe de atendimento.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA190

ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE MENTAL I

2

30

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: compreender as alterações mais prevalentes do funcionamento mental e do comportamento humano; reconhecer as principais entidades nosológicas em psiquiatria. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: estudar as principais funções psíquicas e suas alterações, segundo a psicopatologia fenomenológica; conhecer a história que permeia a psiquiatria e a assistência ao portador de saúde até os dias de hoje; refletir sobre as repercussões do estigma em relação aos pacientes acometidos por transtornos mentais.

 

Código

COMPONENTE CURRICULAR

Créditos

Horas

GSA283

Informação e Comunicação em Saúde

04

60

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: comunicar-se no contexto de atenção à saúde por meio de diferentes recursos e linguagens (verbal e não-verbal), pautando-se na abordagem do cuidado centrado na pessoa, nos princípios éticos e humanísticos. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: apropriar-se das etapas e habilidades de comunicação utilizadas na consulta centrada na pessoa; utilizar habilidades de comunicação de forma ética e efetiva com a equipe de saúde, demonstrando capacidade de trabalho com outros profissionais da saúde e liderança; encorajar o paciente a participar das decisões de forma compartilhada e a expressar seus sentimentos e dúvidas; utilizar estratégias para a comunicação de más notícias; promover ações educativas para grupos sociais; comunicar-se de forma ética e efetiva com as diferentes mídias.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA284

SEMINÁRIO INTEGRADOR V

1

15

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender o funcionamento integral do organismo a partir da integração dos conteúdos aprendidos durante a fase do curso de medicina, através de simulação clínica. Reconhecer o papel das várias áreas do conhecimento para a saúde humana a fim de alcançar uma prática interdisciplinar na formação profissional. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: compreender os principais conceitos aprendidos nos componentes curriculares da fase; aplicar o conhecimento adquirido nos componentes do semestre através de através de práticas colaborativas; visualizar que a integração dos diferentes CCR é indispensável para a compreensão do funcionamento do organismo em situações fisiológicas e patológicas; integrar os conhecimentos visando promoção da saúde e prevenção de doenças na perspectiva de uma formação interdisciplinar e interprofissional.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA196

SAÚDE COLETIVA VI

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Reconhecer e intervir no campo das políticas públicas voltadas para a Saúde da Mulher, Saúde do Homem, Saúde do Idoso, cuidados oncológicos na atenção primária à saúde, enfrentamento do tabagismo, incentivo das práticas de atividade física e Práticas Integrativas Complementares no Sistema Único de Saúde. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: reconhecer as linhas de cuidados direcionadas à Saúde da Mulher, Saúde do Homem e Saúde do Idoso que possibilitam a integralidade da atenção; aplicar os conhecimentos relacionados às ações de promoção de saúde e prevenção de doenças; identificar e promover estratégias para o gerenciamento de doenças crônicas não transmissíveis; reconhecer os determinantes sociais que resultam na vulnerabilidade da população feminina, masculina e idosa; reconhecer as Práticas Integrativas e Complementares no SUS.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA197

CLÍNICA II: ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO ADULTO E DA PESSOA IDOSA

10

150

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: compreender os aspectos clínicos e propedêuticos das doenças mais prevalentes na gastroenterologia, nefrologia, dermatologia e geriatria; desenvolver estratégias terapêuticas, de prevenção e de reabilitação; realizar raciocínio clínico a partir dos métodos propedêuticos; desenvolver a técnica da relação médico-paciente, considerando os temas abordados no componente. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: Realizar com proficiência a anamnese e a consequente construção da história clínica ampliada; aprimorar os conhecimentos adquiridos na semiologia, sobretudo no relacionando os sistemas gastroenterológico, rins e vias urinárias, doenças da pele e doenças relacionadas ao idoso, diferenciando os achados normais dos patológicos; conhecer os principais métodos complementares e suas limitações; estabelecer hipóteses diagnósticas mais prováveis, relacionando os dados da história, exame físico e exames complementares solicitados; estabelecer diagnósticos diferenciais coerentes perante cada situação; identificar situações e sinais de alerta que indiquem a necessidade de imediata intervenção médica (emergências médicas); elaborar plano terapêutico baseado no contexto clínico e social do paciente e na efetividade da ação médica; diagnosticar lesões elementares de pele e a propedêutica dermatológica; compreender o processo de envelhecimento cutâneo intrínseco e extrínseco, bem como os processos fisiopatológicos dermatológicos; compreender a fisiologia e o processo de saúde-doença das doenças renais, do aparelho digestório e que acometem fígado e vias biliares; saber atuar na proteção e na promoção da saúde e na prevenção de doenças, bem como no tratamento e reabilitação dos problemas de saúde; avaliar e acompanhar a efetividade das intervenções realizadas; atuar em equipe multidisciplinar; agir com ética com o paciente, sua família e a equipe de atendimento; conhecer os aspectos psicológicos das principais etapas do ciclo vital humano; conhecer as reações mais comuns ao adoecimento, refletir sobre a formação ética e psicológica do médico e do estudante de medicina.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA198

CLÍNICA CIRÚRGICA II

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: ser capaz de compreender as etapas da prevenção, do diagnóstico, dos princípios de tratamento e da reabilitação das doenças prevalentes na atenção básica que se apresentam com sinais e sintomas relacionados aos sistemas digestivo e urinário, além das bases do atendimento ao paciente politraumatizado, adquirindo as competências e habilidades de Atenção às Necessidades Individuais de Saúde e de Atenção às Necessidades de Saúde Coletiva (DCNs 2014). Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: Realizar anamnese e manobras de exame físico dirigido às afecções cirúrgicas do aparelho urinário e digestório (inspeção, ausculta, palpação e percussão); praticar regras de biossegurança (calçar avental e luvas cirúrgicas, uso de equipamentos de proteção individual); simular atendimento ao politraumatizado, seguindo o preconizado no ATLS e realizar ventilação e assegurar via aérea, através de práticas de entubação oro-traqueal.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA199

ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA MULHER II

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: realizar propedêutica considerando aspectos específicos de endocrinologia ginecológica, sexualidade, infertilidade; saber diagnosticar doenças infecciosas em ginecologia; conhecer as especificidades do período infanto-puberal feminino; saber realizar consulta de pré-natal e o que é preconizado para o atendimento médico da gestante que entra em trabalho de parto e identificar as fases do trabalho parto normal. Saber acompanhar e conduzir a puérpera identificando possíveis complicações deste período puerperal. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: revisar os aspectos clínicos, morfológicos e funcionais do sexo feminino, praticar coleta de história clínica e exame físico em pacientes ambulatoriais nas áreas de ginecologia e obstetrícia, revisar a farmacologia e patologia aplicadas para tratamento de doenças do trato genital feminino; praticar em simuladores: exame físico ginecológico e obstétrico, coleta de exame preventivo, a assistência ao parto normal. Revisar os princípios de ética médica aplicados para o atendimento da mulher. Saber orientar pacientes em consultas ambulatoriais ou em palestras sobre formas de prevenção primária e secundária de câncer de colo útero e câncer de mama. Desenvolver a habilidade de síntese elencando lista de problemas e hipóteses diagnósticas no atendimento ginecológico e obstétrico.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA200

ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE II

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Diagnosticar e tratar as doenças mais comuns que acometem crianças e adolescentes no nível de atenção primária e urgência/emergência nos sistemas respiratório, cardíaco, endócrino e cutâneo; conhecer os métodos de prevenção nestas doenças; conhecer a epidemiologia destas doenças; compreender a importância destas doenças para a saúde desta população. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: conhecer a técnica de obtenção de anamnese completa, identificando suas etapas e aplicando as perguntas adequadas a fim de obter os dados necessários para construir a história clínica; registrar a anamnese de modo adequado usando nomenclatura apropriada; conhecer a semiologia dos sinais e sintomas descritos; dominar e praticar com desenvoltura as técnicas de semiologia necessárias para realizar o exame físico completo; reconhecer os achados normais e patológicos ao fazer o exame físico; formular hipóteses diagnósticas coerentes com os achados de anamnese e exame físico; estabelecer diagnósticos diferenciais coerentes perante cada situação; instituir investigação complementar se necessário; estabelecer tratamento adequado a cada uma das patologias; reconhecer a necessidade de encaminhamento para outro profissional a fim de instituir a melhor conduta para o paciente; dominar os métodos de prevenção e reabilitação de cada uma dessas doenças e aplicá-los em sua comunidade de ação; usar vocabulário adequado sabendo adaptar a linguagem técnica usada em documentos e com os outros profissionais para uma linguagem entendível pelo paciente e sua família; cumprir com as normas de assepsia durante o atendimento; agir com ética com o paciente, sua família e a equipe de atendimento.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO SUGERIDO

Onde se Lê: Sistema respiratório: Tosse – Diagnóstico diferencial, epidemiologia e tratamento das Infecções de vias aéreas superiores (otite média aguda, amigdalite e sinusite, otite externa, abscesso periamigdaliano, respirador bucal Tosse – Diagnóstico diferencial, epidemiologia e tratamento das pneumonias (incluindo tuberculose pulmonar). Obstrução nasal crônica e estridor respiratório – Diagnóstico, epidemiologia e tratamento da rinite alérgica e do estridor respiratório. Sibilância recorrente – Diagnóstico diferencial, epidemiologia e tratamento da bronquiolite viral aguda e asma brônquica. Sistema cardiovascular: Insuficiência cardíaca. Endocardites e miocardites. Sopro cardíaco, precordialgia e síncope. Febre reumática. Hipertensão arterial na infância. Sistema Endocrinológico: Obesidade. Hiperplasia adrenal congênita e dos distúrbios do crescimento. Diabetes mellitus e hipoglicemia. Doenças da tireoide (hipo e hipertireoidismo). Sistema Cutâneo: Dermatozoonoses e infecções fúngicas. Infecções Bacterianas e virais de pele. Dermatite de contato. Doenças exantemáticas. Urticária, angioedema e anafilaxia.

 

Leia-se: Sistema respiratório: Epidemiologia, diagnóstico e tratamento: resfriado - gripe - faringoamigdalite – otite média e otite externa - rinossinusite - epiglotite - laringite - laringotraqueite – laringotraqueobronquite. Rinite e síndrome do respirador bucal. Sibilância: bronquiolite - asma - lactente chiador. Pneumonia. Tuberculose pulmonar.

Sistema cardiovascular: Epidemiologia, diagnóstico e tratamento: Sopro cardíaco, precordialgia e síncope. Endocardite-miocardite-pericardite. Hipertensão arterial. Insuficiência cardíaca. Cardiopatia reumática.

Sistema endocrinológico: epidemiologia, diagnóstico e tratamento: Obesidade. Diabetes mellitus e hipoglicemia. Doenças da tireoide (hipo e hipertireoidismo).

Sistema cutâneo: Epidemiologia, diagnóstico e tratamento:

Infecções cutâneas parasitárias: escabiose – pediculose da cabeça – pediculose do corpo – pediculose púbica – larva migrans cutânea – tungíase – miíase.

Infecções cutâneas fúngicas: tinea capitis - tinea corporis - tinea cruris - tinea pedis - onicomicose - pitiríase versicolor - candidíase oral, das fraldas, intertrigo.

Infecções cutâneas bacterianas: impetigo - foliculite - ectima - celulite – erisipela.

Infecções cutâneas virais: molusco contagioso - verrugas - herpes - herpes zoster – SMPB. Dermatite de contato/atópica/seborreica. Urticária/angioedema/anafilaxia/urticária papular.

Doenças exantemáticas: sarampo - rubéola - eritema infeccioso - exantema súbito - mononucleose - varicela - Gianotti/Crosti - dengue – escarlatina.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA201

ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE MENTAL II

4

60

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender as alterações mais prevalentes do funcionamento mental e do comportamento humano; instituir plano terapêutico adequado ao portador dos transtornos mentais mais prevalentes na prática médica.. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: reconhecer as principais entidades nosológicas em psiquiatria; compreender noções básicas para a entrevista clínica do portador de transtornos mentais; aplicar conhecimentos de psicofarmacologia à prática clínica; conhecer estratégias terapêuticas não-farmacológica com evidência científica no tratamento de transtornos mentais; refletir sobre as repercussões do estigma em relação aos pacientes acometidos por transtornos mentais.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA285

SEMINÁRIO INTEGRADOR VI

1

15

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender o funcionamento integral do organismo a partir da integração dos conteúdos aprendidos durante a fase do curso de medicina, sumarizando em metodologias como gamificação/simulação clínica; reconhecer o papel das várias áreas do conhecimento para a saúde humana a fim de alcançar uma prática interdisciplinar na formação profissional. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: compreender os principais conceitos aprendidos nos componentes curriculares da fase; aplicar o conhecimento adquirido nos componentes do semestre através de gamificação; visualizar que a integração dos diferentes CCR é indispensável para a compreensão do funcionamento do organismo em situações fisiológicas e patológicas; integrar os conhecimentos visando promoção da saúde e prevenção de doenças na perspectiva de uma formação interdisciplinar e interprofissional.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA286

TRABALHO DE CURSO I

2

30

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Elaborar um projeto de pesquisa científica (quantitativa ou qualitativa ou quanti-qualitativa). Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: escolher um professor orientador de acordo com o tema de interesse para a realização da pesquisa; estudar o roteiro de pesquisa; estudar as normas do Comitê de Ética em Pesquisa; socializar o projeto elaborado com os demais colegas e professores; encaminhar o projeto elaborado ao Comitê de Ética em Pesquisa

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA213

SAÚDE COLETIVA VII

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Subsidiar raciocínio e prática clínica, baseados em evidências científicas, com vistas a atender as demandas da população geral e populações vulneráveis, de forma a promover atenção integral. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: Utilizar as ferramentas de abordagem familiar e comunitária; elaborar plano de intervenção familiar ou comunitária considerando as evidências e as necessidades de saúde, individual e coletiva; intervir, individualmente e em equipe, em diversos contextos, na defesa da saúde, da cidadania e da dignidade humana.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA215

CLÍNICA III: ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO ADULTO E DA PESSOA IDOSA

10

150

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: compreender os aspectos clínicos e propedêuticos das doenças mais prevalentes na endocrinologia, neurologia, imunologia e doenças infecto-parasitárias; desenvolver estratégias terapêuticas, de prevenção e de reabilitação; realizar raciocínio clínico a partir dos métodos propedêuticos; desenvolver a técnica da relação médico-paciente, considerando os temas abordados no componente. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: Realizar com proficiência a anamnese e a consequente construção da história clínica ampliada; aprimorar os conhecimentos adquiridos na semiologia, sobretudo no relacionando os sistemas endocrinológico, neurológico, imunológico e doenças infecto-parasitárias, diferenciando os achados normais dos patológicos; conhecer os principais métodos complementares e suas limitações; estabelecer hipóteses diagnósticas mais prováveis, relacionando os dados da história, exame físico e exames complementares solicitados; estabelecer diagnósticos diferenciais coerentes perante cada situação; identificar situações e sinais de alerta que indiquem a necessidade de imediata intervenção médica (emergências médicas); elaborar plano terapêutico baseado no contexto clínico e social do paciente e na efetividade da ação médica; saber atuar na proteção e na promoção da saúde e na prevenção de doenças, bem como no tratamento e reabilitação dos problemas de saúde; avaliar e acompanhar a efetividade das intervenções realizadas; atuar em equipe multidisciplinar; agir com ética com o paciente, sua família e a equipe de atendimento; conhecer os aspectos psicológicos das principais etapas do ciclo vital humano; conhecer as reações mais comuns ao adoecimento, refletir sobre a formação ética e psicológica do médico e do estudante de medicina.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA214

CLÍNICA CIRÚRGICA III

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: compreender as etapas da prevenção, do diagnóstico, dos princípios de tratamento e da reabilitação das doenças cirúrgicas prevalentes na atenção básica que se apresentam com sinais e sintomas relacionados aos sistemas cardiovascular, digestivo e pulmonar, além das bases do atendimento ao portador de doença neoplásica, queimaduras e lesões com necessidade de cirurgia plástica reparadora, adquirindo as competências e habilidades de Atenção às Necessidades Individuais de Saúde e de Atenção às Necessidades de Saúde Coletiva (DCNs 2014). Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: realizar anamnese e manobras de exame físico dirigido às afecções cirúrgicas do aparelho cardiovascular, digestivo, pulmonar e da pele (inspeção, ausculta, palpação e percussão); praticar regras de biossegurança (calçar avental e luvas cirúrgicas, uso de equipamentos de proteção individual); simular atendimento com situações de necessidade de suturas cutâneas, de acesso venoso central e de drenagem torácica.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA216

ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA MULHER III

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: realizar anamnese e exame físico ginecológico completos, realizar a lista de problemas e hipóteses diagnósticas desenvolvendo habilidades iniciadas nos CCRs anteriores. Além destas habilidades, espera-se que o aluno seja também capaz de estratificar o risco e a complexidade do atendimento que o paciente precisa. Saber realizar avaliação clínica fetal; diferenciar uma gravidez de alto risco de uma gravidez habitual, considerando as condutas a serem tomadas; diagnosticar doenças endocrinológicas relacionadas com o climatério. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: aprimorar o desenvolvimento do raciocínio lógico, aprender a avaliar a anamnese e exame físico de modo amplo em pacientes ambulatoriais nas áreas de ginecologia e obstetrícia e fazer associações da prática clínica com o conteúdo teórico estudado no CCR. Revisar os aspectos clínicos, morfológicos e funcionais do sexo feminino, revisar a farmacologia e patologia aplicadas para tratamento de doenças do trato genital feminino. Aprender a fazer os encaminhamentos para atendimentos especializados nos casos de gestações de alto risco e oncologia. Deverá saber acolher e confortar o paciente frente a suspeita/ diagnósticos de prognóstico reservados e para tal deverá desenvolver habilidade de comunicação de más notícias, empatia e complacência

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA217

ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE III

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Diagnosticar e tratar as doenças mais comuns que acometem crianças e adolescentes no nível de atenção primária e urgência/emergência considerando doenças gastroenterológicas, nefrológicas, hematológicas, infecto-parasitárias e reumatológicas; conhecer os métodos de prevenção nestas doenças; conhecer a epidemiologia destas doenças; compreender a importância destas doenças para a saúde desta população. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: conhecer a técnica de obtenção de anamnese completa, identificando suas etapas e aplicando as perguntas adequadas a fim de obter os dados necessários para construir a história clínica; registrar a anamnese de modo adequado usando nomenclatura apropriada; conhecer a semiologia dos sinais e sintomas descritos; dominar e praticar com desenvoltura as técnicas de semiologia necessárias para realizar o exame físico completo; reconhecer os achados normais e patológicos ao fazer o exame físico; formular hipóteses diagnósticas coerentes com os achados de anamnese e exame físico; estabelecer diagnósticos diferenciais coerentes perante cada situação; instituir investigação complementar se necessário; estabelecer tratamento adequado a cada uma das patologias; reconhecer a necessidade de encaminhamento para outro profissional a fim de instituir a melhor conduta para o paciente; dominar os métodos de prevenção e reabilitação de cada uma dessas doenças e aplicá-los em sua comunidade de ação; usar vocabulário adequado sabendo adaptar a linguagem técnica usada em documentos e com os outros profissionais para uma linguagem entendível pelo paciente e sua família; cumprir com as normas de assepsia durante o atendimento; agir com ética com o paciente, sua família e a equipe de atendimento.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA186

ÉTICA E BIOÉTICA

2

30

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: conhecer os aspectos éticos mais relevantes para a formação a partir do Código de Ética Médica, correlacionando com a prática da Medicina; conhecer os deveres e direitos como estudante e como médico, assim e os deveres e direitos do paciente; considerar a relação custo-benefício nas decisões médicas, levando em conta as reais necessidades da população. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: estudar o Código de ética do Estudante de Medicina e o Código de Ética Médica; correlacionar situações clínicas com o previsto no Código de Ética Médica; buscar informações diante de casos envolvendo dilemas éticos.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA287

SEMINÁRIO INTEGRADOR VII

1

15

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender o funcionamento integral do organismo a partir da integração dos conteúdos aprendidos durante a fase do curso de medicina, sumarizando em metodologias como OSCE (Exame estruturado de habilidades clínicas)/simulação clínica; reconhecer o papel das várias áreas do conhecimento para a saúde humana a fim de alcançar uma prática interdisciplinar na formação profissional. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: compreender os principais conceitos aprendidos nos componentes curriculares da fase; aplicar o conhecimento adquirido nos componentes do semestre através de OSCE (Exame estruturado de habilidades clínicas)/simulação clínica; visualizar que a integração dos diferentes CCR é indispensável para a compreensão do funcionamento do organismo em situações fisiológicas e patológicas; integrar os conhecimentos visando promoção da saúde e prevenção de doenças na perspectiva de uma formação interdisciplinar e interprofissional.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA288

SAÚDE COLETIVA VIII

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender os princípios de gestão em saúde da medicina baseada em evidências voltada para a Medicina de Família e Comunidade. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: conhecer a estrutura e funcionamento dos serviços de saúde e dos modelos de gestão; Realizar o diagnóstico de saúde de uma comunidade e interpretar dados epidemiológicos; utilizar o sistema de informação em saúde; conhecer o processo de regulação e de fiscalização em saúde; utilizar os princípios da metodologia científica e da medicina baseada em evidências na sustentação de argumentos e tomadas de decisões; reconhecer os conceitos de terminalidade da vida e cuidados paliativos, estabelecendo comunicação e cuidado centrado na pessoa.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA289

CLÍNICA IV: ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO ADULTO E DA PESSOA IDOSA

8

120

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: conhecer a epidemiologia das doenças oncológicas, hematológicas e reumatológicas mais comuns; compreender a importância destas doenças para a saúde da população; saber diagnosticar as doenças oncológicas, hematológicas e reumatológicas mais comuns; conhecer o tratamento inicial mais indicado dessas doenças; conhecer o prognósticos dessas doenças; saber os métodos de prevenção do grupo de doenças estudado. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: conhecer a técnica de obtenção de anamnese completa, identificando suas etapas e aplicando as perguntas adequadas a fim de obter os dados necessários para construir a história clínica relacionada às doenças oncológicas, hematológicas e reumatológicas mais comuns; documentar a anamnese de modo adequado usando nomenclatura apropriada; formular hipóteses diagnósticas coerentes com os achados de anamnese e exame físico; saber solicitar investigação complementar adequada, racional e determinante para auxílio na diferenciação das hipóteses diagnósticas; estabelecer tratamento inicial mais adequado a cada uma das doenças mais comuns do espectro hematológico, reumatológico e oncológico; reconhecer a necessidade do encaminhamento para profissional especializado a fim de instituir a melhor conduta para o paciente; conhecer e saber aplicar os métodos de prevenção e reabilitação de cada uma das doenças estudadas; agir com ética com o paciente, sua família e a equipe de atendimento; usar vocabulário adequado adaptando a linguagem técnica usada entre profissionais para a linguagem compreensível para os pacientes e familiares.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA298

CLÍNICA CIRÚRGICA IV

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: compreender as etapas da prevenção, do diagnóstico, dos princípios de tratamento e da reabilitação das doenças cirúrgicas prevalentes na atenção básica que se apresentam com sinais e sintomas relacionados à ortopedia e traumatologia, doenças que necessitam tratamento cirúrgico das regiões de cabeça e pescoço (incluindo doenças oftalmológicas, otorrinolaringológicas e neurológicas), adquirindo as competências e habilidades de Atenção às Necessidades Individuais de Saúde e de Atenção às Necessidades de Saúde Coletiva (DCNs 2014). Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: realizar anamnese e manobras de exame físico dirigido às afecções cirúrgicas ortopédicas (ósseas e musculares), cabeça e pescoço (incluindo doenças oftalmológicas, otorrinolaringológicas e neurológicas); praticar regras de biossegurança (calçar avental e luvas cirúrgicas, uso de equipamentos de proteção individual); simular atendimento com situações de necessidade de exame com otoscópio, oftalmoscópio; analisar radiografias com alterações ortopédicas e/ou secundárias a trauma e correlacionar com a conduta médica; correlacionar doenças neurológicas, que necessitem tratamento cirúrgico, com a propedêutica e com exames complementares.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA290

ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA MULHER IV

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: realizar propedêutica considerando aspectos específicos relacionados a doenças do da vulva, vagina, corpo uterino e anexos; conduzir um trabalho de parto; diagnosticar e saber a conduta em situações clínicas de emergência em Ginecologia e Obstetrícia. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: revisar os aspectos clínicos, morfológicos e funcionais do sexo feminino, praticar coleta de história clínica e exame físico em pacientes ambulatoriais nas áreas de ginecologia e obstetrícia, revisar a farmacologia e patologia aplicadas para tratamento de doenças obstétricas e ginecológicas; praticar em simuladores o exame obstétrico e assistência ao parto; revisar os princípios de ética médica aplicados para o atendimento da mulher (consultas de ginecologia e obstetrícia); saber encaminhar os casos que necessitam de atendimento secundário ou terciário; desenvolver a empatia e continência no atendimento da mulher diagnosticada com as patologias oncológicas ou obstétricas adversas sabendo ser encorajador enquanto realista.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA291

ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE IV

6

90

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Diagnosticar e tratar as doenças mais comuns que acometem crianças e adolescentes no nível de atenção primária e urgência/emergência considerando doenças neurológicas, do período neonatal, de emergências pediátricas e que necessitem de tratamento cirúrgico; conhecer os métodos de prevenção nestas doenças; conhecer a epidemiologia destas doenças; compreender a importância destas doenças para a saúde desta população. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: conhecer a técnica de obtenção de anamnese completa, identificando suas etapas e aplicando as perguntas adequadas a fim de obter os dados necessários para construir a história clínica; registrar a anamnese de modo adequado usando nomenclatura apropriada; conhecer a semiologia dos sinais e sintomas descritos; dominar e praticar com desenvoltura as técnicas de semiologia necessárias para realizar o exame físico completo; reconhecer os achados normais e patológicos ao fazer o exame físico; formular hipóteses diagnósticas coerentes com os achados de anamnese e exame físico; estabelecer diagnósticos diferenciais coerentes perante cada situação; instituir investigação complementar se necessário; estabelecer tratamento adequado a cada uma das patologias; reconhecer a necessidade de encaminhamento para outro profissional a fim de instituir a melhor conduta para o paciente; dominar os métodos de prevenção e reabilitação de cada uma dessas doenças e aplicá-los em sua comunidade de ação; usar vocabulário adequado sabendo adaptar a linguagem técnica usada em documentos e com os outros profissionais para uma linguagem entendível pelo paciente e sua família; cumprir com as normas de assepsia durante o atendimento; agir com ética com o paciente, sua família e a equipe de atendimento.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA292

MEDICINA LEGAL

2

30

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Conhecer os temas importantes relacionados à Medicina Legal; diferenciar e conceituar os diferentes tipos de morte, assim como os fenômenos relacionados a ela; conhecer os aspectos envolvidos em uma perícia médica/necropsia, assim como as indicações e os documentos necessários. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: revisar conceitos de Direito penal, civil, administrativo e ético aplicado à prática médica; praticar simulação orientada de atendimento de perícias médicas; praticar preenchimento de documentação médica como receitas, atestados, declaração de óbito etc; conhecer conceitos em tanatologia, sexologia forense e criminologia e onde são aplicados na prática da Medicina Legal.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA293

TRABALHO DE CURSO II

2

30

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Elaborar um artigo científico sumarizando todo o processo de pesquisa científica (quantitativa ou qualitativa ou quanti-qualitativa); apresentar para banca examinadora a pesquisa finalizada. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: apresentar periodicamente ao professor orientador as etapas realizadas da pesquisa; finalizar a disposição dos resultados da pesquisa; escrever a discussão dos resultados encontrados com os publicados na literatura; escolher uma revista para publicação, adequar a metodologia; preparar a apresentação da pesquisa para defesa/arguição final.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA294

URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS

4

60

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: diagnosticar e saber conduta em pacientes em situação clínica de emergência ou urgência. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: entender os protocolos de atendimento em urgência e emergência; revisar a legislação e princípios do atendimento pré-hospitalar; reconhecer a diferença entre atendimento pré- hospitalar e hospitalar do paciente com trauma; revisar os aspectos éticos envolvidos no atendimento do paciente com situação clínica de urgência/emergência; conhecer o fluxograma/funcionamento da rede de urgência e emergência vigente; treinar em simuladores situações clínicas mais prevalentes.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA295

SEMINÁRIO INTEGRADOR VIII

1

15

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: Compreender o funcionamento integral do organismo a partir da integração dos conteúdos aprendidos durante a fase do curso de medicina, sumarizando em metodologias como OSCE (Exame estruturado de habilidades clínicas)/simulação clínica; reconhecer o papel das várias áreas do conhecimento para a saúde humana a fim de alcançar uma prática interdisciplinar na formação profissional. Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: compreender os principais conceitos aprendidos nos componentes curriculares da fase; aplicar o conhecimento adquirido nos componentes do semestre através de OSCE (Exame estruturado de habilidades clínicas)/simulação clínica; visualizar que a integração dos diferentes CCR é indispensável para a compreensão do funcionamento do organismo em situações fisiológicas e patológicas; integrar os conhecimentos visando promoção da saúde e prevenção de doenças na perspectiva de uma formação interdisciplinar e interprofissional.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA296

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO I

59

885

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: desenvolver as habilidades e atitudes e conhecimentos teóricos trabalhados em todos CCRs prévios; praticar as habilidades previstas no perfil do egresso definido no PPC; desenvolver e praticar as competências e habilidades definidas nas DCNs para o curso de Medicina vigentes Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: Comunicar-se adequadamente com os colegas de trabalho, os pacientes e seus familiares; informar e educar seus pacientes, familiares e comunidade em relação à promoção da saúde, prevenção, tratamento e reabilitação das doenças, usando técnicas apropriadas de comunicação; realizar com proficiência a anamnese e a consequente construção da história clínica, bem como dominar a arte e a técnica do exame físico; dominar os conhecimentos científicos básicos da natureza biopsicosocioambiental subjacentes à prática médica e ter raciocínio crítico na interpretação dos dados, na identificação da natureza dos problemas da prática médica e na sua resolução; diagnosticar e tratar corretamente as principais doenças do ser humano em todas as fases do ciclo biológico, tendo como critérios a prevalência e o potencial mórbido das doenças, bem como a eficácia da ação médica; otimizar o uso dos recursos propedêuticos, valorizando o método clínico em todos seus aspectos; exercer a medicina utilizando procedimentos diagnósticos e terapêuticos com base em evidências científicas; utilizar adequadamente recursos semiológicos e terapêuticos, validados cientificamente, contemporâneos, hierarquizados para atenção integral à saúde, no primeiro, segundo e terceiro níveis de atenção; reconhecer a saúde como direito e atuar de forma a garantir a integralidade da assistência entendida como conjunto articulado e contínuo de ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema; atuar na proteção e na promoção da saúde e na prevenção de doenças, bem como no tratamento e reabilitação dos problemas de saúde e acompanhamento do processo de morte; conhecer os princípios da metodologia científica, possibilitando-lhe a leitura crítica de artigos técnicos-científicos e a participação na produção de conhecimentos; atuar no sistema hierarquizado de saúde, obedecendo aos princípios técnicos e éticos de referência e contra-referência; considerar a relação custo-benefício nas decisões médicas, levando em conta as reais necessidades da população; ter visão do papel social do médico e disposição para atuar em atividades de política e de planejamento em saúde; atuar em equipe multiprofissional; manter-se atualizado com a legislação pertinente à saúde; conhecer os direitos e deveres do médico, baseado do que é previsto no Código de Ética Médica.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA297

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II

60

900

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: desenvolver as habilidades e atitudes e conhecimentos teóricos trabalhados em todos CCRs prévios; praticar as habilidades previstas no perfil do egresso definido no PPC; desenvolver e praticar as competências e habilidades definidas nas DCNs para o curso de Medicina vigentes Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: Comunicar-se adequadamente com os colegas de trabalho, os pacientes e seus familiares; informar e educar seus pacientes, familiares e comunidade em relação à promoção da saúde, prevenção, tratamento e reabilitação das doenças, usando técnicas apropriadas de comunicação; realizar com proficiência a anamnese e a consequente construção da história clínica, bem como dominar a arte e a técnica do exame físico; dominar os conhecimentos científicos básicos da natureza biopsicosocioambiental subjacentes à prática médica e ter raciocínio crítico na interpretação dos dados, na identificação da natureza dos problemas da prática médica e na sua resolução; diagnosticar e tratar corretamente as principais doenças do ser humano em todas as fases do ciclo biológico, tendo como critérios a prevalência e o potencial mórbido das doenças, bem como a eficácia da ação médica; otimizar o uso dos recursos propedêuticos, valorizando o método clínico em todos seus aspectos; exercer a medicina utilizando procedimentos diagnósticos e terapêuticos com base em evidências científicas; utilizar adequadamente recursos semiológicos e terapêuticos, validados cientificamente, contemporâneos, hierarquizados para atenção integral à saúde, no primeiro, segundo e terceiro níveis de atenção; reconhecer a saúde como direito e atuar de forma a garantir a integralidade da assistência entendida como conjunto articulado e contínuo de ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema; atuar na proteção e na promoção da saúde e na prevenção de doenças, bem como no tratamento e reabilitação dos problemas de saúde e acompanhamento do processo de morte; conhecer os princípios da metodologia científica, possibilitando-lhe a leitura crítica de artigos técnicos-científicos e a participação na produção de conhecimentos; atuar no sistema hierarquizado de saúde, obedecendo aos princípios técnicos e éticos de referência e contra-referência; considerar a relação custo-benefício nas decisões médicas, levando em conta as reais necessidades da população; ter visão do papel social do médico e disposição para atuar em atividades de política e de planejamento em saúde; atuar em equipe multiprofissional; manter-se atualizado com a legislação pertinente à saúde; conhecer os direitos e deveres do médico, baseado do que é previsto no Código de Ética Médica.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA299

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO III

60

900

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: desenvolver as habilidades e atitudes e conhecimentos teóricos trabalhados em todos CCRs prévios; praticar as habilidades previstas no perfil do egresso definido no PPC; desenvolver e praticar as competências e habilidades definidas nas DCNs para o curso de Medicina vigentes Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: Comunicar-se adequadamente com os colegas de trabalho, os pacientes e seus familiares; informar e educar seus pacientes, familiares e comunidade em relação à promoção da saúde, prevenção, tratamento e reabilitação das doenças, usando técnicas apropriadas de comunicação; realizar com proficiência a anamnese e a consequente construção da história clínica, bem como dominar a arte e a técnica do exame físico; dominar os conhecimentos científicos básicos da natureza biopsicosocioambiental subjacentes à prática médica e ter raciocínio crítico na interpretação dos dados, na identificação da natureza dos problemas da prática médica e na sua resolução; diagnosticar e tratar corretamente as principais doenças do ser humano em todas as fases do ciclo biológico, tendo como critérios a prevalência e o potencial mórbido das doenças, bem como a eficácia da ação médica; otimizar o uso dos recursos propedêuticos, valorizando o método clínico em todos seus aspectos; exercer a medicina utilizando procedimentos diagnósticos e terapêuticos com base em evidências científicas; utilizar adequadamente recursos semiológicos e terapêuticos, validados cientificamente, contemporâneos, hierarquizados para atenção integral à saúde, no primeiro, segundo e terceiro níveis de atenção; reconhecer a saúde como direito e atuar de forma a garantir a integralidade da assistência entendida como conjunto articulado e contínuo de ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema; atuar na proteção e na promoção da saúde e na prevenção de doenças, bem como no tratamento e reabilitação dos problemas de saúde e acompanhamento do processo de morte; conhecer os princípios da metodologia científica, possibilitando-lhe a leitura crítica de artigos técnicos-científicos e a participação na produção de conhecimentos; atuar no sistema hierarquizado de saúde, obedecendo aos princípios técnicos e éticos de referência e contra-referência; considerar a relação custo-benefício nas decisões médicas, levando em conta as reais necessidades da população; ter visão do papel social do médico e disposição para atuar em atividades de política e de planejamento em saúde; atuar em equipe multiprofissional; manter-se atualizado com a legislação pertinente à saúde; conhecer os direitos e deveres do médico, baseado do que é previsto no Código de Ética Médica.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR

CRÉDITOS

HORAS

GSA300

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO IV

58

870

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Competências a serem desenvolvidas: desenvolver as habilidades e atitudes e conhecimentos teóricos trabalhados em todos CCRs prévios; praticar as habilidades previstas no perfil do egresso definido no PPC; desenvolver e praticar as competências e habilidades definidas nas DCNs para o curso de Medicina vigentes Para alcançar essas competências, serão necessárias as seguintes habilidades: Comunicar-se adequadamente com os colegas de trabalho, os pacientes e seus familiares; informar e educar seus pacientes, familiares e comunidade em relação à promoção da saúde, prevenção, tratamento e reabilitação das doenças, usando técnicas apropriadas de comunicação; realizar com proficiência a anamnese e a consequente construção da história clínica, bem como dominar a arte e a técnica do exame físico; dominar os conhecimentos científicos básicos da natureza biopsicosocioambiental subjacentes à prática médica e ter raciocínio crítico na interpretação dos dados, na identificação da natureza dos problemas da prática médica e na sua resolução; diagnosticar e tratar corretamente as principais doenças do ser humano em todas as fases do ciclo biológico, tendo como critérios a prevalência e o potencial mórbido das doenças, bem como a eficácia da ação médica; otimizar o uso dos recursos propedêuticos, valorizando o método clínico em todos seus aspectos; exercer a medicina utilizando procedimentos diagnósticos e terapêuticos com base em evidências científicas; utilizar adequadamente recursos semiológicos e terapêuticos, validados cientificamente, contemporâneos, hierarquizados para atenção integral à saúde, no primeiro, segundo e terceiro níveis de atenção; reconhecer a saúde como direito e atuar de forma a garantir a integralidade da assistência entendida como conjunto articulado e contínuo de ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema; atuar na proteção e na promoção da saúde e na prevenção de doenças, bem como no tratamento e reabilitação dos problemas de saúde e acompanhamento do processo de morte; conhecer os princípios da metodologia científica, possibilitando-lhe a leitura crítica de artigos técnicos-científicos e a participação na produção de conhecimentos; atuar no sistema hierarquizado de saúde, obedecendo aos princípios técnicos e éticos de referência e contra-referência; considerar a relação custo-benefício nas decisões médicas, levando em conta as reais necessidades da população; ter visão do papel social do médico e disposição para atuar em atividades de política e de planejamento em saúde; atuar em equipe multiprofissional; manter-se atualizado com a legislação pertinente à saúde; conhecer os direitos e deveres do médico, baseado do que é previsto no Código de Ética Médica.

 

CÓDIGO

COMPONENTE CURRICULAR OPTATIVO

CRÉDITOS

HORAS

GSA203

TÓPICOS EM TOXICOLOGIA CLÍNICA

2

30

OBJETIVO

Onde se lê: Entender os mecanismos gerais de intoxicação, as substâncias mais prevalentes envolvidas em intoxicação humana, bem como princípios básicos de assistência clínica aos pacientes intoxicados.

 

Leia-se: Orientar o entendimento os mecanismos gerais de intoxicação, as substâncias mais prevalentes envolvidas em intoxicação humana, bem como princípios básicos de assistência clínica aos pacientes intoxicados.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO SUGERIDO

Introdução a toxicologia. Plantas tóxicas. Toxicologia dos alimentos. Pesticidas. Principais poluentes ambientais. Dopping e toxicologia forense. Carcinogênse e alimentos. Drogas de abuso.

 

Art. 2 Alterar “Contéudo Programático sugerido” do CCR GCH290 e GSA200. E Alterar o objetivo e inserir “Contéudo Programático sugerido”do CCR GSA203, conforme descrito nas tabelas acima. O curso também fez ajustes em algumas referências bilbiográfias e correções textuais.

 

Esta Deliberação entra em vigor na data de sua publicação.

Sala de reuniões nº 1.3.12 da Reitoria da Universidade Federal da Fronteira Sul, Avenida Fernando Machado, 108 E, Centro, Chapecó, 8ª Reunião Ordinária, 26 de novembro de 2019.

 

MARCELO MORENO
Coordenador do Curso de Medicina

Presidente do Colegiado

SIAPE - 2421784

Chapecó-SC, 13 de fevereiro de 2020.

Marcelo Moreno

Coordenador do Curso de Graduação em Medicina do Campus Chapecó

ACAD LS

RESULTADO FINAL DA SELEÇÃO DE MONITORES DE ENSINO UFFS/CAMPUS LARANJEIRAS DO SUL, CONFORME EDITAL Nº 01/ACAD-LS/UFFS/2020.

A COORDENAÇÃO ACADÊMICA DO CAMPUS LARANJEIRAS DO SUL, no uso de suas atribuições e tendo em vista a delegação de competência da Resolução Nº 1/CONSUNI/CGAE/UFFS/2018 torna público o resultado final de seleção de monitores de ensino para o projetos classificados através do Edital Nº 36/PROGRAD/UFFS/2019 a serem desenvolvidos junto ao Campus LARANJEIRAS DO SUL.

1 RESULTADO
1.1 CAMPUS LARANJEIRAS DO SUL
MODALIDADE DE MONITORIA DE ENSINO POR CURSO

Título do Projeto

Coordenador

Monitores remunerados

Monitores voluntários

Enriquecimento de aprendizagem de estudantes em situação de vulnerabilidade agravada e em situações de risco: Atendimento a estudantes que são mães, indígenas, haitianos e com necessidades especiais (Processo 23205.001977/2018-81)

Priscila Ribeiro Ferreira.

- Akila Priscila Lima de Souza

- Jaqueline Sopschuk Pereira

 

2 DA HABILITAÇÃO DOS MONITORES

2.1 A habilitação dos monitores se dará mediante apresentação da documentação requerida para o exercício da função.

2.2 Para habilitação inicial das monitorias remuneradas, os Coordenadores e/ou colaboradores dos respectivos projetos devem informar ao Setor de Assuntos Estudantis (ASSAE), o nome completo dos estudantes, CPF, agência e número da conta bancária, sendo conta-corrente individual e obrigatoriamente no Banco do Brasil.

2.3 Cabe ao Setor de Assuntos Estudantis (ASSAE)/Coordenação Acadêmica encaminhar as informações do item 9.2 à DPGRAD no e-mail dir.dpg@uffs.edu.br na data da publicação do resultado.

2.4 Para habilitação plena dos monitores (remunerados e não remunerados), os mesmos deverão elaborar, com orientação do coordenador ou colaboradores do Projeto, o seu Plano de Trabalho e encaminhá-lo, juntamente com o Termo de Compromisso e Documentação Comprobatória dos requisitos constantes no Projeto, ao Setor de Assuntos Estudantis (SAE) que deverá cadastrar no SGPD com destino à DPGRAD até 13 de março de 2020.

2.4.1 Vias adicionais do Termo de Compromisso poderão ser enviadas somente se existir interesse no retorno das vias para o coordenador e/ou monitor(es).

2.4.2 Os monitores serão incluídos no Plano de Trabalho do Projeto de Monitoria que já foi encaminhado previamente à DPGRAD.

2.4.3 Somente será exigido o Plano de Trabalho nos casos de projetos que venham a ser implementados em razão de ampliação de bolsas de monitoria por edital publicado pela Pró-Reitoria de Graduação ou se o Plano de Trabalho do Projeto de Monitoria ainda não tenha sido encaminhado à DPGRAD.

2.5 Os modelos de Termo de Compromisso e Plano de Trabalho se encontram no link http://www.uffs.edu.br/institucional/proreitorias/graduacao/programas/programa_de_monitorias

3 CRONOGRAMA:

ETAPAS

PERÍODO

HORÁRIO

LOCAL

Resultado Provisório

06/02/2020

Até às 17h

Sítio da UFFS/Campus Laranjeiras do Sul/Coordenação Acadêmica/Documentos e Legislação/editais

Recurso sobre o resultado

07/02/2020

Até às 17h

Setor de Assuntos Estudantis (ASSAE)

Resultado Final

10/02/2020

Até às 17hs

Sítio da UFFS/Campus Laranjeiras do Sul/Coordenação Acadêmica/Documentos e Legislação/editais


Esclarecimentos sobre o conteúdo deste Edital podem ser obtidos com o Setor de Assuntos Estudantis (ASSAE), através do e-mail: franciele.lenschuko@uffs.edu.br.

5 Os casos omissos serão resolvidos pela Coordenação Acadêmica do Campus Laranjeiras do Sul.

Laranjeiras do Sul-PR, 10 de fevereiro de 2020.

Thiago Bergler Bitencourt

Coordenador Acadêmico do Campus Laranjeiras do Sul

Documento Histórico

EDITAL Nº 4/ACADLS/UFFS/2020

CHAMADA PÚBLICA PARA APOIO A EVENTOS NA UFFS – CAMPUS LARANJEIRAS DO SUL.

O Coordenador Acadêmico da Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Laranjeiras do Sul – PR, faz saber por meio e nos termos deste Edital, que receberá PROPOSTAS DE APOIO ECONÔMICO para as atividades pertinentes ao projeto “Hora do Mate: integração e resgate”.

1 – DA FINALIDADE

A finalidade da presente Chamada Pública é atrair recursos de pessoas jurídicas para a promoção das atividades culturais pertencentes ao Projeto “Hora do Mate: integração e resgate”, a ser realizada no período de 29/03/2020 até 13/12/2020.

2 – FORMAS DE PARTICIPAÇÃO

Para a participação no presente Edital, e consequentemente nos Eventos, as empresas interessadas poderão oferecer as cotas a seguir especificadas:

a) Cota Econômica – Material

Fornecimento de material didático, crachás, material promocional, brindes, entre outros, desde que aprovados, a serem disponibilizados durante e/ou após términos das atividades culturais aos participantes.

b) Cota Econômica – Serviços

Fornecimento de prestação de serviços que auxiliem a viabilização dos Eventos, como: hospedagem e/ou alimentação de artistas, divulgação e cobertura do evento, decoração e paisagismo dos espaços dos Eventos e/ou alimentação a ser oferecida durante as atividades.

3 – PROPOSTAS E PRAZO

3.1 Fica de forma única e exclusiva o contato para apoio, o e-mail cristian.pazini@uffs.edu.br, com a finalidade de organização das propostas, para que prevaleça a ordem dos contatos e a relevância das Cotas para os Eventos, conforme as regras gerais.

3.2 Serão aceitas propostas e apoio até 10 (dez) dias antes de cada evento, não ultrapassando o dia 01/12/2020, ás 23h59min horário de Brasília.

3.3 Após o fechamento do acordo, se for do interesse, o proponente deverá fornecer a logomarca da empresa em um prazo máximo de 10 (dez) dias úteis em alta qualidade de definição.

4 – CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

4.1 Serão selecionadas as propostas que atendam ao edital, respeitando a ordem cronológica e levando em consideração:

• Interesse da empresa pela produção de conhecimento artístico e cultural;

• Apoio oferecido;

• Espaço disponível;

• Exigências da empresa para fornecer apoio.

4.2 Qualquer dúvida ou esclarecimento a respeito dos critérios abordados poderão ser resolvidos entrando em contato direto com os organizadores dos Eventos pelo e-mail cristian.pazini@uffs.edu.br.

4.3 A quantidade de recursos de apoio disponibilizados será definida pela coordenação do projeto, sendo esta limitada a necessidade.

5 – CONDIÇÕES PARA PARTICIPAR

Não poderão participar empresas que comercializem produtos nocivos à saúde, que atentem à moral e aos bons costumes, bem como assuntos políticos e religiosos.

6 – DAS CONTRAPARTIDAS OFERECIDAS

6.1 A divulgação dos apoiadores se dará de igual forma, no mesmo espaço de tempo, se ocorrer por áudio, ou com ocupação de espaço físico de igual tamanho, se for mídia impressa ou site.

6.2 É permitido às empresas parceiras durante os Eventos:

• Ter seu nome divulgado no microfone.

• Publicar banner com o logo do parceiro no site do evento;

• Afixar cartazes nas dependências onde serão realizados os Eventos, além de poder distribuir material de divulgação em estande próprio (estande, montagem do estande, desmontagem do estande e material de divulgação são de inteira responsabilidade do parceiro);

• Todos os parceiros poderão fornecer para a organização dos Eventos materiais como livros, canetas, blocos de anotação, camisetas, canecas plásticas personalizadas, bonés, brindes, bônus, erva mate, chás, flores, produtos alimentícios, sucos, cuias, bombas de chimarrão, mateiras e outros para a distribuição em sorteios.

7 – DO RESULTADO

O resultado da análise das propostas será divulgado com 3 (três) dias antes de cada evento e publicado no site da UFFS.

8 – ENTREGA DAS COTAS ECONÔMICAS – MATERIAL E/OU SERVIÇOS

8.1 Os parceiros deverão entregar as Cotas Econômicas – Material e/ou Serviços até 2 (dois) dias antes de cada atividade.

8.2 Os parceiros receberão instruções da Comissão Organizadora para entrega das Cotas através de e-mail disponibilizado no formulário de proposta.

8.3 Quaisquer dúvidas ou esclarecimentos a respeito da entrega das Cotas poderão ser resolvidos entrando em contato direto com os organizadores dos Eventos pelo e-mail cristian.pazini.@uffs.edu.br.

9 – DISPOSIÇÕES GERAIS

A Coordenação Acadêmica do Campus Laranjeiras do Sul reserva-se ao direito de alterar, reprogramar ou cancelar toda ou partes desta Chamada por interesses próprios ou motivos de força maior.

10 – DATAS IMPORTANTES

Lançamento da Chamada (www.uffs.edu.br)

12/02/2020

Prazo para Impugnação da Chamada

13/02/2020

Submissão de Propostas

No máximo, até 10 (dez) dias antes de cada evento

Publicação do Resultado

Até 3(três) dias antes de cada evento

Datas dos eventos (sujeito a alterações)

03/02/2020;

29/03/2020;

26/04/2019;

31/05/2020;

28/06/2020;

26/07/2020;

30/08/2020;

27/09/2020;

25/10/2020;

29/11/2020;

13/12/2020.

Laranjeiras do Sul-PR, 12 de fevereiro de 2020.

Thiago Bergler Bitencourt

Coordenador Acadêmico do Campus Laranjeiras do Sul

Documento Histórico

EDITAL Nº 5/ACADLS/UFFS/2020

RESULTADO PROVISÓRIO DO EDITAL Nº 03/ACAD–LS/UFFS/2020 – CHAMADA PÚBLICA 01/2020 CHAMADA PÚBLICA PARA APOIO A EVENTOS NA UFFS CAMPUS LARANJEIRAS DO SUL

A Coordenação Acadêmica da Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Laranjeiras do Sul – PR, faz saber por meio e nos termos do EDITAL Nº 03/ACAD–LS/UFFS/2020 – Chamada Pública 01/2020 o Resultado Provisório das PROPOSTAS DE APOIO ECONÔMICO para a promoção de eventos voltados a acolhida no período de matrículas de estudantes ingressantes no ano letivo de 2020.

Cota Econômica – Material:

1. SICREDI;

Laranjeiras do Sul-PR, 12 de fevereiro de 2020.

Thiago Bergler Bitencourt

Coordenador Acadêmico do Campus Laranjeiras do Sul

Documento Histórico

EDITAL Nº 6/ACADLS/UFFS/2020

PROAD

Dispõe sobre os procedimentos para afastamento da sede e do país e concessão de diárias e passagens em viagens nacionais e internacionais, a serviço, no âmbito da UFFS. (ANTIGA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 34/PROAD/UFFS/2020)

O Pró-Reitor de Administração e Infraestrutura da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), no uso de suas atribuições e considerando a Portaria nº 204, de 06 de fevereiro 2020, do Ministério da Educação,

RESOLVE,

Art. 1º. Para fins desta instrução normativa seguem definições de termos técnicos, a saber:
I. SEI - SISTEMA ELETRÔNICO DE INFORMAÇÕES. É um sistema de produção e gestão de documentos e processos eletrônicos desenvolvido pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), gerido pelo Ministério da Economia, Planejamento, Desenvolvimento e Gestão e cedido gratuitamente à administração pública.
II. SCDP: Sistema de Concessão de Diárias e Passagens, disponibilizado pelo Ministério da Economia, Planejamento, Desenvolvimento e Gestão é de utilização obrigatória, conforme Decreto nº 5.992/2006;
III. PCDP: Proposta de Concessão de Diárias e Passagens cadastrada no SCDP, em que deverão constar os dados do proposto, as informações do deslocamento, as justificativas da missão, os documentos comprobatórios da demanda e os dados financeiros;
IV. PROPOSTO: aquele que realizará o afastamento a serviço, nacional ou internacional, no interesse da Administração Pública, o qual se responsabiliza pela fidelidade das informações fornecidas. São classificados conforme grupo e tipo disponíveis no SCDP.
a) SERVIDOR: pessoa legalmente investida em cargo público em exercício na UFFS.
b) SERVIDOR CONVIDADO: pessoa legalmente investida em cargo público em exercício em outro órgão do Poder Executivo Federal;
c) COLABORADOR EVENTUAL: pessoa física sem vínculo com a Administração Pública, inclusive servidor aposentado, que lhe presta algum tipo de serviço em caráter eventual e sem remuneração, fazendo jus, quando cabível, ao recebimento de passagens, diárias e auxílio deslocamento, para gastos com transporte e estada que assumir em decorrência do serviço desempenhado, sem qualquer caráter empregatício;
d) SEPE - SERVIDOR DE OUTROS PODERES E ESFERAS: servidor de outras esferas de poder, podendo, inclusive, ser agente ocupante de emprego público na administração direta ou indireta, abrangendo empregados das autarquias, fundações, empresas públicas ou sociedades de economia mista;
e) NÃO SERVIDOR/OUTROS: pessoa sem vínculo com a Administração Pública e sem CPF, abrange estrangeiros, indígenas e outros com respaldo legal;
V. USUÁRIOS: todas as pessoas que utilizam o sistema SCDP. O nível de permissão de acesso é determinado segundo o perfil. Os servidores serão designados para cada perfil através de publicação de portaria;
VI. PERFIS:
a) SOLICITANTE DE VIAGEM: servidor designado, no âmbito de cada unidade demandante, responsável pela conferência e inclusão no SCDP de todas as informações relativas ao cadastramento da solicitação, alteração, cancelamento, antecipação, prorrogação, complementação e prestação de contas da viagem. Pode ser o próprio proposto.
b) SOLICITANTE DE PASSAGEM: servidor, responsável por realizar a cotação de preços conforme as justificativas e demandas do Solicitante de Viagem de voos nacionais e internacionais, efetuar a reserva de melhor preço, encaminhar para aprovação superior e acompanhar a emissão do(s) bilhete(s), por meio da agência de viagem ou diretamente das companhias aéreas credenciadas;
c) PROPONENTE: servidor responsável pela avaliação da indicação do proposto e pertinência da missão, bem como pela ponderação do custo-benefício e análise e aprovação tanto da viagem quanto da prestação de contas no SCDP (Reitor, Vice-Reitor, Pró-Reitores, Secretários Especiais, Diretores de Campi e Chefe do Gabinete do Reitor).
d) AUTORIDADE SUPERIOR: autoridade responsável pela aprovação das viagens internacionais ou que apresentam algum tipo de restrição: por prazo superior a cinco dias contínuos; em quantidade superior a trinta diárias intercaladas por proposto no ano; de mais de cinco pessoas para o mesmo evento; que envolvam o pagamento de diárias nos finais de semana; em caráter de urgência; para o exterior sem ônus e com ônus limitado.
e) ORDENADOR DE DESPESAS: autoridade nomeada como tal, investida de competência legal para autorizar ou rejeitar a emissão de empenho e o pagamento da despesa prevista na PCDP em conformidade com a legislação e as aprovações superiores.
f) ASSESSOR DE PROPONENTE/AUTORIDADE SUPERIOR/ORDENADOR DE DESPESAS: servidor formalmente designado pela autoridade competente para realizar análise prévia e requerer do solicitante eventuais adequações e justificativas, antes da aprovação da PCDP pela autoridade correspondente.
g) ADMINISTRADOR DE REEMBOLSO: servidor responsável, por requerer e acompanhar junto à agência de viagem o crédito dos valores relativos aos bilhetes de passagens não utilizados, conferir os valores disponibilizados, acatar ou não, total ou parcialmente, a proposta de reembolso enviada pela agência de viagem e registrar aqueles efetivamente recebidos, confirmados por meio de carta de crédito.
h) COORDENADOR ORÇAMENTÁRIO SUPERIOR: É o responsável por controlar o orçamento disponibilizado para o órgão e distribuir o recurso por UGR - Unidade Gestora Responsável.
i) COORDENADOR ORÇAMENTÁRIO SETORIAL: É o responsável por distribuir o recurso por UGR - Unidade Gestora Responsável de acordo com a configuração orçamentária por natureza de despesa ou por empenho.
j) COORDENADOR FINANCEIRO: É o responsável pelo cadastro dos empenhos de diárias e passagens emitidas no SIAFI e pelo pagamento das diárias.
k) GESTOR SETORIAL: É o responsável, por acompanhar os procedimentos necessários à implantação e operacionalização do SCDP. Compete-lhe também a disseminação das informações e capacitação dos usuários, no âmbito do órgão.
VII. VIAGEM URGENTE: PCDP encaminhada para emissão do bilhete de passagem fora do prazo regimental necessário para garantir que a compra dos trechos ocorra com antecedência mínima de quinze dias da data prevista para o início da viagem;
VIII. AUTORIZAÇÃO DE AFASTAMENTO DO PAÍS: autorização que toma como base os critérios estabelecidos pelo Decreto nº 91.800, de 18 de outubro de 1985 e pelo Decreto nº 1.387, de 7 de fevereiro de 1995, e julga a pertinência do afastamento do país do servidor e a compatibilidade com o interesse da Administração;
IX. AUTORIZAÇÃO DE EMISSÃO DE DIÁRIAS E PASSAGENS: autorização que toma como base os critérios de governança que possam acarretar qualquer despesa para a Administração.

CAPÍTULO II
DAS CONDIÇÕES DE CONCESSÃO

Art. 2º. Fará jus à percepção de diárias, segundo as disposições do Decreto nº 5.992 de 19 de dezembro de 2006, o servidor que se deslocar a serviço da localidade onde tem exercício para outro ponto do território nacional ou para o exterior.
Parágrafo único. Os valores de diárias nacionais são os constantes no anexo do Decreto nº 5.992 de 19 de dezembro de 2006. Os valores de diárias internacionais são os constantes no anexo III do Decreto 71.733 de 18 de janeiro de 1973, alterado pelo Decreto 6.576 de 25 de setembro de 2008.
Art. 3º. As diárias serão concedidas por dia de afastamento da sede de serviço e destinam-se a indenizar o proposto por despesas extraordinárias com pousada, alimentação e locomoção urbana.
Parágrafo único. Nos casos em que o proposto for um colaborador eventual, brasileiro ou estrangeiro, fará jus a diária somente quando estiver a convite da Instituição.
Art. 4º. É vedada a concessão de diárias e/ou passagens a um mesmo colaborador eventual por períodos de tempo que, por sua duração, frequência ou ininterrupção, possam descaracterizar a eventualidade dos trabalhos realizados.
Art. 5º. Todas as viagens devem ser cadastradas e tramitadas no SCDP, mesmo nos casos de afastamento sem ônus ou com ônus limitado.
Art. 6º. O fluxo das PCDPs é definido pelo SCDP.
Art. 7º. Os fluxos para solicitações de diárias e passagens nacionais e internacionais serão
definidos pelos processos do SEI.

CAPÍTULO III
DAS LIMITAÇÕES E IMPEDIMENTOS DA CONCESSÃO

Art. 8º. Fará jus somente à metade do valor das diárias, conforme disposto no art. 2º, §1º do Decreto 5.992/2006, nos seguintes casos:
I. Quando o afastamento não exigir pernoite fora da sede;
II. No dia de retorno à sede de serviço;
III. Quando a União custear, por meio diverso, as despesas de pousada;
IV. Quando o servidor ficar hospedado em imóvel pertencente à União ou que esteja sob administração do Governo brasileiro ou de suas entidades;
V. Quando designado para compor equipe de apoio às viagens do Presidente ou do Vice-Presidente da República.
Art. 9º. Não fará jus às diárias:
I. O servidor cujo deslocamento da sede constituir exigência do próprio cargo;
II. Quando ocorrer dentro da mesma região metropolitana, aglomeração urbana ou microrregião, constituídas por municípios limítrofes e regularmente instituídas, ou em áreas de controle integrado mantidas com países limítrofes, cuja jurisdição e competência dos órgãos, entidades e servidores brasileiros considera-se estendida, conforme anexo I, salvo se houver pernoite fora da sede. (Lei 8.112/90 art. 58, § 3º);
III. Quando, em viagens internacionais, não ocorrer publicação no Diário Oficial da União da autorização para o afastamento do servidor dentro dos prazos legais;
IV. O proposto que for contemplado com estadia, alimentação e transporte gratuitos e integrantes das programações relacionadas aos motivos do deslocamento;
V. Quando o envio da requisição e/ou o cadastro das diárias for efetuado no SCDP após a data de início da viagem.
Art. 10. Servidor que estiver em férias ou afastamento de suas atividades laborais não poderá receber diárias e/ou passagens.

CAPÍTULO IV
DA COMPETÊNCIA

Art. 11. Cada Centro de Custos contará com um TITULAR e um SUPLENTE, que ficarão responsáveis pelo cadastramento das requisições do respectivo centro, os quais receberão perfil de Solicitante de Viagem.
Art. 12. Estão autorizados a assinar a Certidão Negativa de Encargos todos os solicitantes de viagem com acesso ao SCDP.

CAPÍTULO V
DA SOLICITAÇÃO DE AFASTAMENTO

Art. 13. As solicitações de afastamento da sede para deslocamento dentro do território nacional, devem ser geradas e tramitadas através de processo administrativo do SEI utilizando o formulário “Requisição de Viagem”, que deve ser assinado pelo proposto e pelo proponente eletronicamente e enviada para autorização com antecedência mínima de 20 dias para solicitações com necessidade de aquisição de passagens aéreas e de 10 dias para solicitações sem necessidade de aquisição de passagens aéreas.
I. Nos casos de Diretores de Campus, Pró-Reitores, Secretários Especiais, Reitor e Vice-Reitor fica dispensada a assinatura por parte do proponente na Requisição de Viagem.
II. Nos casos de servidor em férias, no momento de solicitar diárias e/ou passagens, o chefe imediato deverá assinar os formulários de solicitação, justificando a ausência da assinatura do proposto, visando respeitar os prazos.
III. Nos casos de não servidores da UFFS, deve haver a assinatura eletrônica do servidor responsável pela organização da viagem.
IV. O não cumprimento dos prazos estabelecidos devem ser devidamente justificados no formulário de requisição de viagem, o qual será objeto de apreciação do proponente.
V. Os afastamentos que iniciarem a partir da sexta-feira, bem como os que incluam sábados, domingos e feriados, deverão ser expressamente justificados no formulário de requisição de viagem, detalhado-se a necessidade da participação do proposto.
VI. O processo administrativo do SEI deve conter a Requisição de Viagem incluindo informações sobre a pertinência do afastamento com os interesses da UFFS e a correlação das atividades desenvolvidas pelo servidor com o objetivo da viagem, o convite, a programação da missão, a documentação que comprove a participação em atividades que exijam a realização de trechos com embarque e desembarque em locais distintos (quando houver), e a autorização formal.
Art. 14. Compete ao Reitor a autorização de afastamento da sede para deslocamento dentro do território nacional.
Parágrafo único. A competência supracitada poderá ser objeto de subdelegação, em caráter ordinário, ao Vice-Reitor, Pró-Reitores, Secretários e Diretores.
Art. 15. Após autorizado, o processo administrativo deverá ser encaminhado ao solicitante de viagem, do Centro de Custos que motivou o deslocamento, para a inserção da solicitação no SCDP.
Art. 16. O processo administrativo com vistas à autorização de afastamento do país deverá ser encaminhado pela unidade solicitante para com antecedência de, no mínimo, trinta dias do início da missão, e deverá constar:
I. solicitação de autorização para afastamento do país, disponível no SEI;
II. documento(s) que justifique(m) o afastamento, tais como carta-convite ou documento congênere manifestando interesse da organização do evento, governo estrangeiro, organismo ou entidade internacional quanto à participação de representante da UFFS;
III. agenda ou programação do evento com a especificação das atividades previstas, que deverão ser compatíveis com a justificativa apresentada para o pedido de afastamento do país;
IV. ofício com solicitação de autorização do Reitor, ou seu substituto legal, informando o nome da pessoa indicada a participar da missão, expressando a existência de ônus, ônus limitado ou sem ônus para o MEC, conforme disposto no Decreto nº 91.800, de 18 de outubro de 1985;
V. discriminação dos valores das passagens, das diárias e do custo total do afastamento;
VI. esclarecimento detalhado do Proponente quando o afastamento do servidor estiver previsto para se iniciar na sexta-feira, ou o evento incluir dias de sábado, domingo e feriado;
VII. estimativa e disponibilidade orçamentária para emissão de passagens e pagamento de diárias; e
VIII. termo de responsabilidade e compromisso de entrega do Relatório de viagem internacional, assinado pelo servidor e por sua chefia imediata.
§1º Nos casos de solicitação de passagens e/ou diárias para missão no exterior de pessoas sem vínculo com a administração pública, a unidade demandante deverá, além do requerido no caput, elaborar minuta de exposição de motivos, contendo as justificativas quanto à escolha do colaborador, a ser submetida ao Ministro de Estado, com a finalidade de obter autorização do Presidente da República, na forma do §2º do art. 10 do Decreto nº 5.992, de 2006.
§2º A autorização de que trata o caput deverá ser publicada no Diário Oficial da União antes da data inicial da viagem.
§3º A não observância do prazo estabelecido no caput implicará devolução do processo à unidade, sem análise da solicitação.
Art. 17. O proposto deve abster-se de viajar sem que a PCDP tenha sido aprovada por todas as instâncias competentes.

CAPÍTULO VI
DA SOLICITAÇÃO DE VIAGEM NO SCDP

Art. 18. Compete ao Solicitante de Viagem da unidade o cadastro e a inclusão de todos os dados relativos à PCDP no SCDP.
§1º O encaminhamento de PCDP que ensejar a necessidade de emissão de bilhete aéreo deverá ser realizado de forma a garantir que a compra dos trechos ocorra com antecedência mínima de quinze dias da data prevista para o início da viagem.
§2º O encaminhamento de PCDP que não ensejar a necessidade de emissão de bilhete aéreo deverá ser realizado ordinariamente até cinco dias úteis antes do início do afastamento, de forma a viabilizar o prévio pagamento de eventuais diárias.
Art. 19. O Solicitante de Viagem, ao cadastrar a PCDP no SCDP, deve incluir os dados exigidos e anexar os seguintes documentos:
I. requisição de diárias e passagens;
II. convite;
III. programação da missão;
IV. documentação que comprove a participação em atividades que exijam a realização de trechos com embarque e desembarque em locais distintos (quando houver);
V. autorização da viagem pelo Proponente; e
VI. autorização de afastamento da sede, conforme art. 14.
Art. 20. Fica vedada a escolha, pela unidade solicitante, por voos específicos ou companhias aéreas que não atendam aos requisitos estabelecidos nesta Instrução Normativa, salvo em casos de justificada e comprovada necessidade.
Parágrafo único. Para orientar a escolha do voo e da companhia aérea pelo solicitante de passagem, deverá constar da PCDP informações do tempo necessário para os deslocamentos entre o aeroporto até o local da ação/evento e vice-versa.
Art. 21. As solicitações de deslocamentos que se iniciarem em sextas-feiras, bem como as que incluam sábados, domingos e feriados deverão ser expressamente justificadas, realizando-se com estrita finalidade pública.
Parágrafo único. É vedada a solicitação de viagem em data não condizente com a participação do servidor no evento.
Art. 22. As solicitações poderão incluir restrições quanto ao aeroporto de embarque ou desembarque nas cidades em que houver mais de um, desde que estejam acompanhadas de justificativas que evoquem interesses da Administração, otimização do tempo de trabalho ou preservação da capacidade laborativa do proposto.
Art. 23. Para fins de cadastramento na PCDP, deve-se considerar que as diárias serão concedidas por dia de afastamento da sede do serviço, destinando-se a indenizar o servidor por despesas com hospedagem, alimentação e locomoção urbana, e serão calculadas com valores definidos na legislação específica.
§1º O proposto não fará jus ao recebimento de diárias, devendo o Solicitante de Viagem escolher a opção de 0% (zero por cento) para o percentual no valor das diárias, quando do cadastramento da PCDP, nos seguintes casos:
I. as despesas com pousada, alimentação e locomoção urbana forem custeadas pela administração, entidade nacional ou entidade estrangeira;
II. a natureza da missão implicar a ausência de despesas com pousada, alimentação e locomoção urbana;
III. o deslocamento da sede constituir exigência permanente do cargo;
IV. o deslocamento ocorrer dentro da mesma região metropolitana, aglomeração urbana ou microrregião em que o servidor estiver sediado, desde que constituídas por municípios limítrofes e regularmente instituídas por Lei Complementar;
V. as despesas com hospedagem, alimentação e locomoção urbana forem custeadas por governo estrangeiro ou organismo internacional de que o Brasil participe ou com o qual coopere; e
VI. o servidor público for removido de ofício ou nomeado para exercer cargo em comissão, no interesse da Administração, e passar a ter exercício em nova sede, com mudança de domicílio em caráter permanente.
§2º O proposto fará jus à metade do valor da diária, devendo o Solicitante de Viagem escolher a opção de 50% (cinquenta por cento) para o percentual no valor das diárias, quando do cadastramento da PCDP, nos seguintes casos:
I. nos deslocamentos dentro do território nacional:
a) quando o afastamento não exigir pernoite fora da sede;
b) no dia do retorno à sede de serviço;
c) quando a União custear, por meio diverso, as despesas de pousada;
d) quando o servidor ficar hospedado em imóvel pertencente a União ou que esteja sob administração do governo brasileiro ou de suas entidades; ou
e) quando designado para compor equipe de apoio às viagens do Presidente ou do Vice-Presidente da República;
II. nos deslocamentos para o exterior:
a) quando o deslocamento não exigir pernoite fora da sede;
b) no dia da partida do território nacional, quando houver mais de um pernoite fora do país;
c) no dia da chegada ao território nacional;
d) quando a União custear, por meio diverso, as despesas de pousada;
e) quando o servidor ficar hospedado em imóvel pertencente a União ou que esteja sob administração do governo brasileiro ou de suas entidades; ou
f) quando o governo estrangeiro ou organismo internacional de que o Brasil participe ou com o qual coopere custear as despesas com alimentação ou pousada.
§3º O proposto fará jus à totalidade do valor da diária, devendo o Solicitante de Viagem escolher a opção de 100% (cem por cento) para o percentual no valor das diárias, quando do cadastramento da PCDP, em todas as situações não previstas nos §§1º e 2º deste artigo.
§4º O servidor que, na qualidade de assessor, acompanhar o Ministro de Estado da Educação, bem como o titular de cargo de natureza especial, prestando auxílio, orientação, assistência direta e imediata, subsidiando-os com análises, proposições, dados ou informações de caráter técnico e tático, em matérias afetas aos compromissos, eventos e reuniões da Autoridade Superior, fará jus à diária correspondente a de titular de cargo de natureza especial.
§5º O servidor que acompanhar o Ministro de Estado da Educação, bem como o titular de cargo de natureza especial, para preparar ou prestar apoio logístico em assuntos relacionados à organização de eventos, reuniões ou compromissos, bem como informá-lo dos detalhes de sua participação, fará jus à diária correspondente ao cargo que ocupa.
§6º Para os servidores nomeados em caráter interino ou designados como substitutos, o valor da diária a ser considerado é aquele correspondente ao cargo em comissão ou função comissionada exercida interinamente ou em substituição.
§7º Quando a missão no exterior abranger mais de um país, adotar-se-á a diária aplicável ao país onde houver o pernoite; no retorno ao Brasil, prevalecerá a diária referente ao país onde o servidor tenha cumprido a última etapa da missão.
Art. 24. Será concedido adicional, nos deslocamentos dentro do território nacional, por localidade de destino, nos valores previstos em legislação, destinado a cobrir despesas de deslocamento do local de embarque e do desembarque até o local de trabalho ou de hospedagem e vice-versa.
Parágrafo único. É vedado o pagamento de adicional de deslocamento quando a locomoção urbana ocorrer por meio de serviço oficial de transporte de servidores e colaboradores da Administração Pública Federal.
Art. 25. De forma a garantir que a reserva dos trechos ou, em sua impossibilidade, a emissão do bilhete ocorra com antecedência mínima de quinze dias da data prevista da partida, a PCDP deverá ser encaminhada, ordinariamente, 96 horas antes ao Solicitante de Passagem.

CAPÍTULO VII
DA AQUISIÇÃO DE PASSAGENS RODOVIÁRIAS

Art. 26. A UFFS não realizará a aquisição de passagens rodoviárias, ficando estas sob responsabilidade do proposto, priorizando a escolha pela companhia e horários de menor valor.
Art. 27. A PCDP deverá ser cadastrada normalmente pelo solicitante de viagem no SCDP, deixando somente de adquirir as passagens terrestres via sistema.
Art. 28. O proposto deverá guardar os bilhetes de passagens pois somente de posse destes poderá solicitar o ressarcimento no momento da prestação de contas.

CAPÍTULO VIII
DA AQUISIÇÃO DE PASSAGENS AÉREAS

Art. 29. A pesquisa de preços e a escolha da tarifa será realizada pelo Solicitante de Passagem, lotado no Departamento de Transportes e Logística - DTL, seguindo estritamente os critérios definidos nesta Instrução Normativa ou em legislação que a sobreponha.
Art. 30. A escolha da tarifa mais vantajosa deverá ser realizada considerando o horário e o período da participação do servidor no evento, o tempo de traslado e a otimização do trabalho,visando garantir condição laborativa produtiva, utilizando os seguintes parâmetros:
I. a escolha do voo deve recair prioritariamente em percursos de menor duração, evitando-se, sempre que possível, trechos com escalas e conexões;
II. os horários de partida e de chegada do voo devem estar compreendidos no período entre 7h e 21h, salvo em casos de inexistência de voos que atendam a esses horários;
III. em viagens nacionais, deve-se priorizar o horário de chegada do voo que anteceda em, no mínimo, três horas o início previsto dos trabalhos, evento ou missão;
IV. em viagens internacionais, realizadas no período noturno, quando a soma dos trechos da origem até o destino ultrapassar oito horas, o embarque ocorrerá, prioritariamente, com um dia de antecedência; e
V. A escolha da tarifa deve privilegiar o menor preço, identificado entre os voos disponíveis na data de realização da pesquisa de passagens, prevalecendo, sempre que possível, a tarifa em classe econômica, observado o disposto neste artigo e no art. 1º do Decreto nº 9.280, de 6 de fevereiro de 2018.
Parágrafo único. É vedada a emissão de bilhete em data não condizente com a participação do servidor no evento.
Art. 31. O servidor fará jus à compra de passagem com bagagem despachada inclusa ou ao ressarcimento de gastos relativos à compra de bagagem junto à companhia aérea, quando o afastamento se der por mais de dois pernoites fora de sede, limitado a uma peça por pessoa, observadas as restrições de peso ou volume impostas pela companhia aérea.
Parágrafo único. Recomenda-se a compra de passagem sem bagagem quando o custo de compra de passagem com bagagem despachada inclusa for maior que o de compra de passagem sem bagagem, acrescido do custo de ressarcimento ao proposto pela compra junto à companhia.
Art. 32. De forma a garantir que a reserva dos trechos ou, em sua impossibilidade, a emissão do bilhete ocorra com antecedência mínima de quinze dias da data prevista da partida, o DTL deverá, preferencialmente, encaminhar a PCDP, 72 horas antes para aprovação pelo Proponente.
§1º É considerado deslocamento em caráter de urgência a solicitação que não permita a reserva do trecho ou, em sua impossibilidade, a emissão do bilhete com prazo de antecedência inferior a quinze dias da data de partida.
§2º A autorização para deslocamentos em caráter de urgência será discricionária e analisará a imprevisibilidade, a inviabilidade de agendamento posterior e o risco institucional do não afastamento, bem como dependerá de justificativa expressamente apresentada pelo Proponente apontando obrigatoriamente:
I. o motivo que impossibilitou a apresentação das informações dentro do prazo;
II. a imprescindibilidade para a ocorrência da atividade fora do prazo; e
III. a impossibilidade de remarcação.
§3º A recorrência dos encaminhamentos, em caráter de urgência, poderá gerar consideração de "ato antieconômico" e, por decorrência, a responsabilização do Proponente.

CAPÍTULO IX
DA APROVAÇÃO DA PCDP

Art. 33. Compete ao Proponente a avaliação da indicação do proposto e da pertinência da missão, bem como a aprovação da viagem e da prestação de contas no SCDP, incluindo questões orçamentária e financeira envolvidas.
Parágrafo único. O servidor Proponente fica impedido de aprovar seu próprio afastamento a serviço.
Art. 34. A critério do Proponente, poderá ser formalmente indicado um Assessor que proceda à análise e solicitações de eventuais ajustes antes da sua aprovação no SCDP.
Art. 35. Cabe ao servidor responsável pela autorização eletrônica o controle sobre a inserção de dados no SCDP, de modo que o processo virtual reflita fielmente à autorização realizada no SEI, inclusive no que concerne ao limite para o número de participantes do evento, programa, projeto ou ação.
Parágrafo único. O disposto no caput deste artigo não exime de responsabilidade os demais agentes envolvidos nos processos virtuais de concessão de diárias e passagens.
Art. 36. De forma a garantir que a reserva dos trechos ou, em sua impossibilidade, a emissão do bilhete ocorra com antecedência mínima de quinze dias da data prevista da partida, o Proponente deverá encaminhar a PCDP, preferencialmente, 48 horas antes para aprovação do Ordenador de Despesas.

CAPÍTULO X
DA APROVAÇÃO DA DESPESA

Art. 37. Compete ao Ordenador de Despesas a autorização para emissão de empenho e aprovação do pagamento relativo às diárias e passagens.
Art. 38. A função de Ordenador de Despesas, no SCDP, será exercida por servidor designado em Portaria.
§1º O servidor Ordenador de Despesas fica impedido de aprovar despesas nas quais conste como Proposto ou Proponente.
§2º A critério do Ordenador de Despesas, poderá ser formalmente indicado um Assessor que proceda à análise e solicitações de eventuais ajustes antes da sua aprovação no SCDP.
§3º O Ordenador de Despesas responde solidariamente pelos atos praticados em desacordo com a legislação.
Art. 39. De forma a garantir que a reserva dos trechos ou, em sua impossibilidade, a emissão do bilhete ocorra com antecedência mínima de quinze dias da data prevista da partida, o Ordenador de Despesas deverá autorizar a PCDP, preferencialmente, 24 horas antes do prazo limite.

CAPÍTULO XI
DA EMISSÃO DOS BILHETES

Art. 40. A emissão de bilhetes ocorrerá com, pelo menos, quinze dias de antecedência da data prevista da partida.
§1º A emissão de bilhetes observará os parâmetros descritos nos arts. 29 e 30 desta Instrução Normativa.
§2º O bilhete será emitido exclusivamente após aprovação da despesa no SCDP.
§3º As alterações de bilhetes emitidos devem seguir o estabelecido nos arts. 46 a 49 desta Instrução Normativa.
Art. 41. Em nenhuma hipótese serão emitidos bilhetes em data não condizente com a participação do servidor no evento.

CAPÍTULO XII
DO PAGAMENTO DAS DIÁRIAS

Art. 42. As diárias serão pagas antecipadamente, de uma só vez, exceto nas seguintes situações, a critério da autoridade concedente:
I. situações de urgência, devidamente caracterizadas; e
II. quando o afastamento compreender período superior a quinze dias, caso em que poderão ser pagas parceladamente.
§1º As diárias, inclusive as que se referem ao seu próprio afastamento, serão concedidas pelo Ordenador de Despesas à qual estiver subordinado o servidor.
§2º Quando o afastamento se estender por tempo superior ao previsto, o servidor fará jus, ainda, às diárias correspondentes ao período prorrogado, desde que autorizada sua prorrogação.
Art. 43. Serão descontadas as importâncias percebidas pelo servidor como auxílio-transporte e auxílio-alimentação relativos aos dias úteis, inclusive o de retorno.
Art. 44. As diárias para servidor ou colaborador eventual que acompanhar servidor com deficiência em deslocamento a serviço seguirá o estabelecido no Decreto nº 5.992, de 2006, e alterações.
Art. 45. Os atos de concessão de diárias serão publicados no Boletim de Serviço.

CAPÍTULO XII
DAS ALTERAÇÕES

Seção I
Da remarcação

Art. 46. A remarcação de bilhetes já emitidos fica restrita aos casos de justificada e comprovada impossibilidade de sua utilização, mediante autorização do Proponente e das demais autoridades competentes que compõem o fluxo do SCDP.
§1º Não serão realizadas alterações de voos, datas e horários sem a prévia autorização do Proponente.
§2º A autorização deverá ser formalizada, preferencialmente, via SEI e deverá ser anexada à PCDP.
Art. 47. O proposto poderá alterar, às suas custas, percurso, data ou horário dos bilhetes nacionais anteriormente emitidos, desde que cumprido o objetivo de sua viagem e que não haja comprometimento do desempenho de suas atribuições no órgão de exercício.
Parágrafo único. Nos casos em que a alteração implicar a prorrogação do afastamento, configurando ausência do servidor ao local de trabalho em dia devido, caberá ao Proponente, no momento da prestação de contas, formalizar processo no SEI e comunicar à Coordenação-Geral de Gestão de Pessoas para que sejam providenciados os devidos ajustes relativos à remuneração e benefícios, quando couber.
Art. 48. Os procedimentos para alteração terão andamento no SCDP, mediante complementação ou nova solicitação.
§1º O Solicitante de Viagem deverá registrar, no campo "motivo da viagem", a motivação resumida da alteração: antecipação, prorrogação, complementação e/ou cancelamento total ou parcial, sem prejuízo da justificativa detalhada da solicitação.
§2º Nos casos de complementação ou alteração, o Solicitante de Viagem fará constar na PCDP, o detalhamento dos custos decorrentes da alteração, tais como as diferenças de valores entre bilhetes, as taxas de alteração/remarcação e as tarifas não reembolsáveis, entre outras que representem despesa para a Administração.
Art. 49. Qualquer alteração de viagem que ocasione a não utilização do bilhete comprado pela UFFS, deverá ser comunicado ao DTL, com pelo menos um dia útil de antecedência da data prevista para o embarque, por mensagem ao correio eletrônico: transportes.reitoria@uffs.edu.br.

Seção II
Do cancelamento

Art. 50. Em caso de cancelamento da viagem, ou de apenas um dos trechos, o Solicitante de Viagem deverá ser avisado com a máxima antecedência possível, limitada a, pelo menos, um dia útil antes da data prevista para o embarque, sob pena de ressarcimento total das despesas.
Art. 51. Nos casos em que o proposto cancelar a viagem ou não comparecer ao embarque no horário estabelecido (no show), ficarão sob sua responsabilidade todas as despesas relacionadas a eventuais alterações.

Seção III
Do ressarcimento ao erário

Art. 52. Os prejuízos causados ao erário decorrentes de cancelamentos ou alterações de viagem em desacordo com o estabelecido no art. 46 ensejarão responsabilização e ressarcimento.
§1º O Solicitante de Viagem da unidade solicitante emitirá GRU para a ressarcimento dos prejuízos havidos.
§2º Deverão ser ressarcidas as despesas com bilhetes emitidos e todas as taxas relacionadas, inclusive as decorrentes da prestação de serviços pela agência de viagem, conforme termo contratual.
§3º Nos casos em que o proposto apresentar justificativa para a inobservância dos termos desta Instrução Normativa, o Proponente da unidade deverá submetê-la à análise do Reitor, para subsidiar a decisão de acatá-la, isentando-o da necessidade de ressarcimento ao erário, ou não.

Seção IV
Da aprovação das alterações

Art. 53. Quaisquer alterações que impliquem em custos à Administração deverão ser aprovadas pelo Proponente da unidade e pelo Ordenador de Despesas.
§1º Se houver alterações de planejamento, em prazo inferior a quinze dias da viagem, deverão ser adotados os procedimentos de viagem urgente, incluindo as imprescindíveis justificativas.
§2º Solicitação de alterações nas PCDPs que tenham sido objeto de aprovação pela Autoridade Superior deverão ser precedidas de nova autorização em caso de qualquer alteração.
§3º Quaisquer alterações de percurso, data ou horário de deslocamentos não autorizadas ou não determinadas pela Administração serão de inteira responsabilidade do servidor, que ressarcirá ao erário eventuais valores pagos por taxas ou serviços.

CAPÍTULO XIV
DA PRESTAÇÃO DE CONTAS

Art. 54. Para a prestação de contas de missões em território nacional, o proposto, seja servidor ou colaborador eventual, deverá apresentar, no prazo máximo de cinco dias corridos, no SCDP, contados da conclusão da missão, os seguintes documentos:
I. relatório de viagem, constando, além da agenda realizada, relato detalhado de atividades desenvolvidas, bem como proposição de ações, programas ou plano de trabalho como consequência da missão realizada;
a) No caso do proposto não ser servidor da UFFS (convidado, colaborador eventual, etc.), pode ser utilizado o formulário Relatório de Viagem anexo II. Este será aceito original ou cópia digitalizada com assinatura e enviado por e-mail pelo Proposto ao solicitante de viagem.
II. apresentação dos bilhetes ou canhotos dos cartões de embarque, em original ou segunda via, ou recibo do passageiro obtido quando da realização do check-in via internet, ou a declaração fornecida pela companhia aérea, bem como por meio do registro eletrônico da situação da passagem no SCDP; e
III. apresentação de documentos relacionados com o objetivo das viagens realizadas a serviço, a exemplo de atas de reunião, certificados de participação ou presença, entre outros.
Art. 55. Para a prestação de contas de missões em território internacional, o proposto, seja servidor ou colaborador eventual autorizado pelo Presidente da República, deverá apresentar, no prazo máximo de trinta dias, no SCDP, contados da conclusão da missão, os seguintes documentos:
I. relatório de viagem substanciado, informando relato detalhado de atividades desenvolvidas no período, os objetivos esperados e alcançados, os benefícios auferidos para a proteção da Educação a partir da missão, bem como sugestões de encaminhamentos internos e relativos a desenvolvimento de cooperação técnica internacional;
II. original ou segunda via dos canhotos dos cartões de embarque, ou bilhete eletrônico, ou o recibo do passageiro obtido quando da realização do check-in via internet, ou a declaração fornecida pela empresa de transporte;
III. documentos relacionados com o objetivo das viagens realizadas a serviço, a exemplo de atas de reunião, certificados de participação ou presença, entre outros; e
IV. documentação que comprove a impossibilidade de participação quando se tratar de solicitação de cancelamento de bilhetes.
Art. 56. Nos casos em que se aplica o ressarcimento de gastos com passagens terrestres, deverá o proposto comprovar o pagamento nominal à companhia através dos canhotos dos cartões de embarque, ou bilhete eletrônico, ou o recibo do passageiro obtido quando da realização da aquisição.
Art. 57. Nos casos em que se aplica o ressarcimento de gastos com bagagem despachada, deverá o proposto comprovar o pagamento nominal à companhia aérea, observadas as limitações estabelecidas no art. 31.
Art. 58. Na hipótese de alteração do período da viagem por interesse da Administração, a unidade solicitante deverá, no ato da prestação de contas no SCDP, realizar o ajuste necessário para adequação dos valores das diárias com vistas à complementação.
Parágrafo único. O servidor que permanecer na localidade de destino por tempo superior ao autorizado em decorrência de atraso/cancelamento de voos e que tiver as despesas custeadas pela companhia aérea que deu causa, não fará jus à diária no período prorrogado.
Art. 59. Serão restituídas pelo servidor, em cinco dias contados da data do retorno à sede originária de serviço, as diárias recebidas em excesso, quando o deslocamento ocorrer em prazo menor que o previsto, mediante pagamento de Guia de Recolhimento da União ‒ GRU.
§1º Serão, também, restituídas, em sua totalidade, no prazo estabelecido neste artigo, as diárias recebidas pelo servidor quando, por qualquer circunstância, não ocorrer o afastamento.
§2º Nos casos de diárias internacionais, a devolução do valor deve ser na mesma moeda recebida, cabendo ao proposto realizar o câmbio na instituição financeira autorizada para converter a moeda estrangeira em moeda nacional e assim proceder com a devolução.
Art. 60. Na impossibilidade do proposto apresentar a prestação de contas, a responsabilidade será do Proponente.
Art. 61. O servidor ou o colaborador eventual ficará impedido de realizar nova viagem enquanto não apresentar, ou não for aprovada, sua prestação de contas.

CAPÍTULO XV
DA APROVAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS

Art. 62. Compete ao Proponente a avaliação das informações prestadas pelo Proposto, bem como a aprovação da prestação de contas apresentada.
Parágrafo único. O servidor Proponente fica impedido de aprovar sua própria prestação de contas.
Art. 63. Responderão solidariamente pelos atos praticados em desacordo com a legislação, a autoridade Proponente, o Ordenador de Despesas da unidade e o Proposto.

CAPÍTULO XVI
DA TRANSPARÊNCIA DE GASTOS

Art. 64. Será publicado mensalmente, relatório de gastos com diárias e passagens detalhando:
I. custo mensal total da UFFS relativo ao pagamento de diárias e passagens;
II. custo mensal com emissão de passagens dentro do prazo estabelecido de quinze dias de antecedência, total e por unidade;
III. custo mensal com emissão de passagens em caráter de urgência, total e por unidade;
IV. valor mensal pago em diárias, total e por unidade; e
V. valor mensal de todos os cancelamentos.

CAPÍTULO XVII
DA FISCALIZAÇÃO

Art. 65. Cabe ao servidor formalmente designado como fiscal:
I. confirmar se os bilhetes de passagem emitidos pela agência de turismo contratada correspondem às reservas efetuadas pela unidade administrativa;
II. fiscalizar, por amostragem, se os valores de tarifas encaminhados, via sistema, pelas companhias aéreas ao buscador, encontram-se majorados em relação aos valores oferecidos no mercado e se as condições comerciais mais vantajosas estão sendo cumpridas;
III. fiscalizar o reembolso dos bilhetes emitidos e não utilizados; e
IV. comunicar formalmente à instituição financeira ou à agência de turismo, preferencialmente por escrito, sobre qualquer ocorrência de erro de cobrança que venha a identificar, para que a devida correção seja realizada na fatura subsequente.
§1º Poderão ser atribuídas responsabilidades e obrigações complementares nos instrumentos firmados entre a Administração e as instituições financeiras ou agências de turismo.
§2º Caso o servidor designado encontre indícios de fraude ou falhas na execução contratual, no exercício da fiscalização a que se refere esta Instrução Normativa, deverá ser instaurado processo administrativo, devendo, se for o caso, aplicar as sanções previstas na Lei nº 10.520, de 17 de julho de 2002, e na Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993.

CAPÍTULO XVIII
DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

Art. 66. A operacionalização do SCDP será realizada por servidores da UFFS formalmente designados através de Portaria publicada pela PROAD.
Art. 67. A solicitação de viagem para servidor público, e seus dependentes, em decorrência de remoção, nomeação ou exoneração seguirá os critérios estabelecidos nesta Instrução Normativa, salvo em casos justificados e aprovados pela Autoridade Superior.
Art. 68. A emissão de bilhetes de viagem para servidor exonerado de cargo em comissão, e seus dependentes, fica condicionada à quitação de eventuais pendências patrimoniais ou financeiras junto à Administração.
Art. 69. A participação de servidores em feiras, fóruns, seminários, congressos, simpósios, grupos de trabalho e outros eventos será de, no máximo, dois representantes para eventos no país e um representante para eventos no exterior, por unidade, órgão singular ou entidade vinculada.
Parágrafo único. Somente em caráter excepcional e quando houver necessidade devidamente justificada, por meio de exposição de motivos dos dirigentes das unidades, o número de participantes poderá ser ampliado mediante autorização prévia e expressa do Reitor.
Art. 70. Qualquer demanda referente a cadastro ou exclusão de usuários, alteração de perfil ou atualização de dados cadastrais no SCDP deverá ser dirigida à Superintendência Administrativa pelas unidades solicitantes, com o envio dos atos legais, se for o caso.
§1º Para autorização dos Solicitantes de Viagem, o Proponente da área demandante deverá encaminhar o formulário de Solicitação de Cadastro e o Termo de Responsabilidade preenchido à Pró-Reitoria de Administração e Infraestrutura, via SEI.
§2º As demais solicitações de perfil deverão ser encaminhadas à Pró-Reitoria de Administração e Infraestrutura, encaminhando o formulário de Solicitação de Cadastro, via SEI.
Art. 71. Os servidores cadastrados no SCDP deverão observar, igualmente, o tutorial do SCDP, que detalha a legislação sobre os afastamentos do país, concessão de diárias e passagens e outras questões correlatas.
Art. 72. Os prazos estabelecidos nesta instrução normativa, têm por objetivo mitigar gastos com compras de passagens urgentes, mas não garantem a manutenção de disponibilidade do trecho pela companhia aérea.
Art. 73. Os casos omissos e as dúvidas surgidas na aplicação desta Instrução Normativa serão dirimidos pelo Pró-Reitor de Administração e Infraestrutura.
Art. 74. A autorização para o afastamento da sede e a concessão de diárias e passagens nacionais para deslocamentos, inclusive nas hipóteses previstas no artigo 8º do Decreto nº 10.193, de 27 de dezembro de 2019, é de responsabilidade do Reitor ou das autoridades subdelegadas.
§1º O afastamento do país e a concessão de diárias e passagens para deslocamentos internacionais, e a autorização de despesas relativas a diárias e passagens internacionais para colaboradores eventuais provenientes do exterior, convidados para participarem em eventos ou outras atividades relacionadas à sua missão institucional é de responsabilidade exclusiva do Reitor.
§2º O afastamento do país e a concessão de diárias e passagens para deslocamentos internacionais do Reitor de que trata o caput deverão ser submetidos à autorização do Conselho Superior.
Art. 75. Os formulários de solicitação de diária e passagens, nota técnica e relatório de viagem estão disponíveis no SEI.
Art. 76. O formulário referente ao relatório de viagem para não servidores da UFFS, (convidado, colaborador eventual, etc.), está disponível no endereço eletrônico da Universidade no espaço administrado pela Pró-Reitoria de Administração e Infraestrutura.
Art. 77. Solicitações que não atendam a quaisquer destas instruções serão negadas e devolvidas ao requerente para as devidas providências.
Art. 78. Conforme consta no art. 11. do Decreto nº 5.992, de 19 de dezembro de 2006, nos casos em que forem praticados atos em desacordo com o referido decreto, responderão solidariamente, a Autoridade Proponente, a Autoridade Concedente, o Ordenador de Despesas e o Servidor que houver recebido as diárias.
Art. 79. É revogada a partir da data de publicação desta Instrução Normativa, a Instrução Normativa nº 033, de 13 de janeiro de 2020.

Art. 79. Fica revogada a Instrução Normativa nº 30, de 13 de janeiro de 2020. (NOVA REDAÇÃO DADA PELA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40/PROAD/UFFS/2021)
Art. 80. Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação.

Chapecó-SC, 14 de fevereiro de 2020.

Rafael Santin Scheffer

Pró-Reitor de Administração e Infraestrutura

Gestores e Fiscais do Contrato nº 76/2019, RDC Presencial (SRP) nº 03/2018 – UASG 158137, Processo nº 23205.003445/2019-69, contratada a empresa OWNERGY SOLUÇÕES E INSTALAÇÕES ECO EFICIENTES LTDA - EPP

O Pró-Reitor de Administração e Infraestrutura no uso de suas atribuições e tendo em vista a delegação de competência do Magnífico Reitor através da Portaria nº 354/GR/UFFS/2010, de 30/08/2010, publicada no Boletim Oficial da UFFS na mesma data, resolve:

Art. 1º DESIGNAR os servidores abaixo relacionados para, com observância da legislação vigente, atuarem como Gestores e Fiscais do Contrato nº 76/2019, decorrente do RDC Presencial (SRP) nº 03/2018 – UASG 158137, Processo nº 23205.003445/2019-69, contratada a empresa OWNERGY SOLUÇÕES E INSTALAÇÕES ECO EFICIENTES LTDA - EPP:

I. Item I:
a) Gestor Titular: Fábio Corrêa Gasparetto, Secretário Especial de Obras, Siape 2015260;
b) Gestor Suplente: Daniel Espig, Engenheiro Mecânico, Siape 1940221;
c) Fiscal Titular: Silvio Antonio Teston, Engenheiro Eletricista, Siape 1762435;
d) Fiscal Suplente: Matheus Todescatt, Engenheiro Eletricista, Siape 1911027;
e) Fiscal: Itacir Casarin Camelatto, Técnico em Eletrotécnica, Siape 2133013;
f) Fiscal Administrativo: Sandra Salete Vilbert, Chefe do Departamento de Apoio à Fiscalização, Siape 1767634;
g) Fiscal: Marcelo Esposito, Docente, Siape 1802811;
h) Fiscal: Marcelo Corrêa Ribeiro, Docente, Siape 1053283.

II. Item II:
a) Gestor Titular: Fábio Corrêa Gasparetto, Secretário Especial de Obras, Siape 2015260;
b) Gestor Suplente: Daniel Espig, Engenheiro Mecânico, Siape 1940221;
c) Fiscal Titular: Juliana Ana Chiarello, Engenheira Civil, Siape 1764330;
d) Fiscal Suplente: Matheus Todescatt, Engenheiro Eletricista, Siape 1911027;
e) Fiscal: Itacir Casarin Camelatto, Técnico em Eletrotécnica, Siape 2133013;
f) Fiscal: Silvio Antonio Teston, Engenheiro Eletricista, Siape 1762435;
g) Fiscal: Marcelo Esposito, Docente, Siape 1802811;
h) Fiscal: Marcelo Corrêa Ribeiro, Docente, Siape 1053283;
i) Fiscal: Luis Carlos Ribeiro, Mestre de Edificações e Infraestrutura, Siape 1183736;
j) Fiscal: Renato Calegari, Técnico de Laboratório/Física, Siape 1871360.

Art. 2º Os gestores e os fiscais serão responsáveis por fiscalizar e acompanhar o andamento e a execução dos serviços prestados, de acordo com o Manual nº 3/PROAD/UFFS/2014, de Gestão e Fiscalização de Contratos da UFFS.

Art. 3º O objeto do referido Contrato é a contratação indireta, sob regime de empreitada integrada, por preço global de pessoa jurídica especializada para: I. elaboração dos projetos básico e executivo; II. fornecimento de materiais e equipamentos, construção, montagem e colocação em operação, realização de testes, a pré-operação e todas as demais operações necessárias e suficientes para colocar em pleno funcionamento de 22 (vinte e duas) usinas de Geradores de Energia Solar Fotovoltaicos, conforme anteprojeto e demais documentos componentes do correspondente processo, destinados a princípio atender aos Campi da UFFS Chapecó, Erechim e Realeza. A interesse da Administração a instalação poderá ser feita em número menor de cidades.

Art. 4º Fica revogada a Portaria nº 005/PROAD/UFFS/2020, de 20 de janeiro de 2020.

Art. 5º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação no Boletim Oficial da UFFS.

Chapecó-SC, 13 de fevereiro de 2020.

Rafael Santin Scheffer

Pró-Reitor de Administração e Infraestrutura

Gestores e Fiscais dos Contratos nº 29/2017, 30/2017, 31/2017, 32/2017 e 33/2017, Pregão Eletrônico nº 12/2017, Processo nº 23205.005322/2016-10

O Pró-Reitor de Administração e Infraestrutura no uso de suas atribuições e tendo em vista a delegação de competência do Magnífico Reitor através da Portaria nº 354/GR/UFFS/2010, de 30/08/2010, publicada no Boletim Oficial da UFFS na mesma data, resolve:

Art. 1º DESIGNAR os servidores abaixo relacionados para, com observância da legislação vigente, atuarem como Gestores e Fiscais dos Contratos nº 29/2017, 30/2017, 31/2017, 32/2017 e 33/2017, oriundos do Pregão Eletrônico nº 12/2017, Processo nº 23205.005322/2016-10.

I. Reitoria – Contrato nº 29/2017:
a) Gestor Titular: Sandro de Moura, Administrador, Siape 1792391;
b) Fiscal Titular: Andre Tiago Andreola, Técnico em Eletrotécnica, Siape 1962760;
c) Fiscal Suplente: Paulo Didoné Junior, Técnico em Eletrotécnica, Siape 1943251.

II. Campus Chapecó-SC – Contrato nº 29/2017:
a) Gestor Titular: Sandro de Moura, Administrador, Siape 1792391;
b) Fiscal Titular: João Felipe Hudyma de Camargo, Assistente em Administração, Siape 2279331;
c) Fiscal Suplente: Elise Cristina Eidt, Assistente em Administração, Siape 2907979.

III. Campus Realeza-PR – Contrato nº 30/2017:
a) Gestor Titular: Sandro de Moura, Administrador, Siape 1792391;
b) Fiscal Titular: Rony Ristow, Técnico em Eletrotécnica, Siape 2148100;
c) Fiscal Suplente: Fabrício Balestrin, Engenheiro Civil, Siape 1973025.

IV. Campus Laranjeiras do Sul-PR – Contrato nº 31/2017:
a) Gestor Titular: Sandro de Moura, Administrador, Siape 1792391;
b) Fiscal Titular: Roberto Roseira, Técnico em Edificações, Siape 1945626;
c) Fiscal Suplente: Fabio Onetta, Engenheiro Civil, Siape 1770053.

V. Campus Cerro Largo-RS – Contrato nº 32/2017:
a) Gestor Titular: Sandro de Moura, Administrador, Siape 1792391;
b) Fiscal Titular: Luana Inês Damke, Assistente em Administração, Siape 1807713;
c) Fiscal Suplente: Francesco Jurinic, Técnico em Eletrotécnica, Siape 2124404.

VI. Campus Erechim-RS – Contrato nº 33/2017:
a) Gestor Titular: Sandro de Moura, Administrador, Siape 1792391;
b) Fiscal Titular: Daniel de Castro Gonçalves, Técnico em Edificações, Siape 2078676;
c) Fiscal Suplente: Juliana Ana Chiarello, Engenheira Civil, Siape 1764330.

Art. 2º Os gestores e os fiscais serão responsáveis por fiscalizar e acompanhar o andamento e a execução dos serviços prestados, de acordo com o Manual nº 3/PROAD/UFFS/2014, de Gestão e Fiscalização de Contratos da UFFS.

Art. 3º O objeto do referido Pregão Eletrônico é a contratação, sob a forma de execução indireta, no regime de empreitada por preço unitário, sob demanda, de empresa especializada na prestação de serviços de manutenção Preventiva e Corretiva, Instalação e Desinstalação, incluindo o fornecimento de peças e demais insumos para aparelhos de ar condicionado, instalados na Reitoria e nos Campi da Universidade Federal da Fronteira Sul – UFFS.

Art. 4º Fica revogada a Portaria nº 120/PROAD/UFFS/2018, de 17 de julho de 2018.

Art. 5º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação no Boletim Oficial da UFFS.

Chapecó-SC, 13 de fevereiro de 2020.

Rafael Santin Scheffer

Pró-Reitor de Administração e Infraestrutura

CEC

PROCESSO ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS REPRESENTANTES DA COMISSÃO INTERNA DE SUPERVISÃO (CIS) – PERÍODO 2020-2023

A COMISSÃO ELEITORAL DA CIS (CEC), nomeada pela Portaria nº 86/GR/UFFS/2020, considerando o disposto no § 3º do artigo 22 da Lei nº 11.091 de 12 de janeiro de 2005, bem como as Portarias nº 2.519, de 15 de julho de 2005 e nº 2.562, de 21 de julho de 2005, publicadas pelo Ministério da Educação, estabelece as normas e os procedimentos do processo eleitoral para escolha dos representantes da Comissão Interna de Supervisão do Plano de Carreira dos cargos técnico-administrativos em educação (CIS) da UFFS para o período de 2020-2023.

 

1 DA COMISSÃO INTERNA DE SUPERVISÃO DA CARREIRA TÉCNICO-ADMINISTRATIVA EM EDUCAÇÃO

 

1.1 A Comissão Interna de Supervisão (CIS) da Carreira Técnico-administrativa em Educação segue o disposto nas Portarias nº 2.519 e 2.562, de julho de 2005, com as seguintes atribuições:

 

a) Acompanhar a implantação do plano de carreira em todas as suas etapas, bem como o trabalho da Comissão de Enquadramento;

 

b) Auxiliar a área de pessoal, bem como os servidores, quanto ao plano de carreira dos cargos técnico-administrativos em educação;

 

c) Fiscalizar e avaliar a implementação do plano de carreira no âmbito da respectiva instituição federal de ensino;

 

d) Propor à Comissão Nacional de Supervisão as alterações necessárias para o aprimoramento do plano;

 

e) Apresentar propostas e fiscalizar a elaboração e a execução do plano de desenvolvimento de pessoal da Instituição Federal de Ensino (IFE) e seus programas de capacitação, de avaliação e de dimensionamento das necessidades de pessoal e modelo de alocação de vagas;

 

f) Avaliar, anualmente, as propostas de lotação da instituição federal de ensino, conforme o inciso I do § 1º, do Art. 24 da Lei 11.091 de 12 de janeiro de 2005;

 

g) Acompanhar o processo de identificação dos ambientes organizacionais da IFE proposto pela área de pessoal, bem como os cargos que os integram;

 

h) Examinar os casos omissos referentes ao plano de carreira e encaminhá-los à Comissão Nacional de Supervisão.

 

1.2 O mandato de cada membro da CIS tem duração de 3 (três) anos.

 

1.2.1 Os mandatos terão seu início a partir do dia 04/05/2020.

 

1.3 Será garantida frequência integral a todos os membros quando em atividade pela Comissão, seja em reuniões ordinárias ou em atividades delegadas por seu Coordenador ou pelo Pleno, assegurada a liberação de, no mínimo, um turno semanal aos membros para cumprimento das atribuições da mesma.

 

1.4 A UFFS disponibilizará a estrutura física, material e de pessoal necessária para o funcionamento da Comissão.

 

 

2 DA CONDUÇÃO DO PROCESSO ELEITORAL

 

2.1 A condução do processo eleitoral será de responsabilidade dos membros da Comissão Eleitoral, designados pela Portaria nº 86/GR/UFFS/2020, de 29/01/2020.

 

2.2 A Comissão Eleitoral poderá requerer membros locais para acompanhamento e apoio.

 

2.2.1 O requerimento de membros locais para acompanhamento e apoio no processo eleitoral deverá ser encaminhado à Direção do Campus ou à Diretoria de Desenvolvimento de Pessoal (DDP).

 

2.3 A Comissão Eleitoral fará a divulgação e promoverá o envolvimento dos servidores técnico-administrativos no processo eleitoral.

 

 

3 DAS VAGAS

 

3.1 A CIS deverá ser composta por membros titulares e seus respectivos suplentes.

 

3.2 As vagas estão atreladas à representação da Unidade Organizacional na qual o servidor estiver lotado.

 

3.3 A representatividade de cada Unidade será definida em função da média de servidores técnico-administrativos, considerando o número total desses servidores e as Unidades Organizacionais.

 

3.3.1 A média definirá a proporcionalidade representativa de cada Unidade.

 

3.3.2 Para as Unidades em que o número de servidores é inferior à média será considerado 1 (um) representante.

 

3.3.3 Para as Unidades em que o número de servidores seja superior à média, será acrescida nova representação, tantas vezes quantas se multiplique a média, não havendo arredondamentos.

 

3.4 São consideradas como Unidades Organizacionais:

 

a) Campus Cerro Largo;

 

b) Campus Chapecó;

 

c) Campus Erechim;

 

d) Campus Laranjeiras do Sul;

 

e) Campus Passo Fundo;

 

f) Campus Realeza;

 

g) Reitoria.

 

3.5 O número de vagas para a CIS observa o teto estipulado no Art. 1º da Portaria 2.519/2005, do Ministério da Educação (MEC).

 

3.6 A lista de eleitores homologada, a ser divulgada no dia 03/03/2020, conforme cronograma eleitoral, será a base considerada para a proporção citada no item 3.3.

 

 

4 DOS ELEITORES

 

4.1 Poderão votar nas chapas dos respectivos representantes de cada Unidade os servidores técnico-administrativos em educação, em efetivo exercício, com base no Art. 102 da Lei 8.112/90, regularmente cadastrados no órgão de Gestão de Pessoas da UFFS até o dia 31/01/2020.

 

4.2 No dia 14/02/2020 serão divulgadas as listas preliminares de eleitores por Unidade, na página da CIS: https://www.uffs.edu.br/institucional/comissoes/comissao-interna-de-supervisao/editais-1

 

4.3 Caso ocorra alguma inconsistência no cadastro de eleitores, o servidor deve se reportar por meio do e-mail cegcis@uffs.edu.br, entre os dias 17 e 28/02/2020 (até as 16h), solicitando a regularização da situação.

 

4.3.1 Findo este prazo, a lista de eleitores será formalizada para todos os efeitos e publicada no dia 03/03/2020, na página da CIS: https://www.uffs.edu.br/institucional/comissoes/comissao-interna-de-supervisao/editais-1

 

4.4 Os servidores técnico-administrativos deverão votar nos candidatos de sua respectiva Unidade Organizacional.

 

4.4.1 Não haverá voto em trânsito ou qualquer outra forma que não seja a votação presencial do servidor.

 

4.4.2 Cada eleitor tem direito a um único voto.

 

 

5 DAS INSCRIÇÕES DAS CHAPAS

 

5.1 A inscrição deve ser feita mediante preenchimento do Formulário de Inscrição (Anexo I) o qual deve ser anexado ao Tipo Documental “Formulário”, Assunto 011, no SIPAC.

 

5.1.1 As inscrições serão feitas por chapa devendo haver, obrigatoriamente, a indicação do titular e do suplente.

 

5.1.2 No caso de interesse da candidatura inscrever fiscais deverá fazê-lo no ato de inscrição da chapa, quando realizar o preenchimento do Formulário de Inscrição.

 

5.1.3 A candidatura referente a Unidade Organizacional da Reitoria poderá indicar até dois fiscais, dado que serão viabilizados dois locais de votação (no campus Chapecó e no Bom Pastor).

 

5.2 As inscrições devem ser protocoladas via SIPAC, Assunto 011, e destinadas à fila de trabalho SERVIÇO DE EXPEDIÇÃO E PROTOCOLO - REALEZA, no período de 04/03/2020 a 13/03/2020 (até as 16 horas).

 

5.3 Não serão aceitas inscrições protocoladas após o período e horário estabelecido no item 5.2.

 

5.4 Recebidas as inscrições, a Comissão Eleitoral constatará o vínculo do interessado e julgará as inscrições.

 

5.5 Será motivo para indeferir as inscrições:

 

I - Solicitação realizada fora do prazo estipulado;

 

II - Candidatura de chapa cujos integrantes não sejam servidores em efetivo exercício na UFFS;

 

III - Formulário de inscrição rasurado ou preenchido de forma incorreta ou incompleta;

 

IV – Requerimento de candidatura para Unidade diferente da Unidade de lotação dos candidatos.

 

5.6 Findo o período de inscrições, a Comissão Eleitoral divulgará, na página da CIS (https://www.uffs.edu.br/institucional/comissoes/comissao-interna-de-supervisao/editais-1).

, a lista de candidaturas deferidas e indeferidas, no dia 18/03/2020, conforme cronograma eleitoral.

 

5.7 Eventuais recursos quanto à lista de inscrições devem ser realizados mediante preenchimento do Requerimento Geral de Recurso (Anexo II), o qual deve ser anexado ao Tipo Documental “Requerimento”, a ser protocolado no SIPAC, Assunto 011, e destinado à fila de trabalho do SERVIÇO DE EXPEDIÇÃO E PROTOCOLO - REALEZA, no dia 19/03/2020 (até as 16h).

 

5.7.1 Os recursos devem ser redigidos de modo circunstanciado, trazendo elementos de materialidade para que a Comissão Eleitoral possa emitir Parecer.

 

5.7.2 A não materialidade implicará o indeferimento do pedido de recurso.

 

5.8 A Comissão Eleitoral deverá proferir julgamento até o dia 23/03/2020, conforme prazo estabelecido no cronograma eleitoral.

 

5.8.1 No dia 23/03/20 Comissão Eleitoral divulgará, na página da CIS (https://www.uffs.edu.br/institucional/comissoes/comissao-interna-de-supervisao/editais-1), o resultado final das candidaturas deferidas e indeferidas.

 

 

6 DA CAMPANHA ELEITORAL

 

6.1 A campanha eleitoral somente será permitida entre os dias 24 de março e 10 de abril de 2020.

 

6.2 Os candidatos poderão distribuir panfletos, utilizar cartazes, faixas e outros meios de divulgação na UFFS, sem danificar bens da Instituição.

 

6.3 É vedada a propaganda que perturbe as atividades didáticas e administrativas da Instituição.

 

 

6.4 Nos locais de votação permanecerão apenas os membros da Comissão Eleitoral da Unidade, o eleitor em processo de votação, os mesários, os fiscais de chapa e os servidores que eventualmente forem designados para auxiliar a Comissão no processo eleitoral.

 

6.5 No dia da eleição, 13/04/2020, não será permitido nenhum tipo de campanha eleitoral.

 

6.5.1 O descumprimento deste item poderá incorrer em impugnação da candidatura promotora da campanha, mediante deliberação da Comissão Eleitoral.

 

 

7 DA ELEIÇÃO

 

7.1 A eleição será realizada no dia 13 de abril de 2020 das 11h às 15h, nos seguintes locais:

 

a) Campus Cerro Largo: Auditório do Bloco A

 

b) Campus Chapecó: Sala 105 Bloco B

 

c) Campus Erechim: Auditório do Bloco dos professores

 

d) Campus Laranjeiras do Sul: Auditório do Bloco A

 

e) Campus Passo Fundo: Sala 02 do Anexo

 

f) Campus Realeza: Auditório do Bloco A – sala nº 102

 

g) Reitoria: Sala de capacitação, nº 1-1-5

 

7.2 O servidor técnico-administrativo somente poderá votar na sua Unidade (Campus de lotação ou Reitoria).

 

7.2.1 Os trabalhadores da Unidade Reitoria que exercem suas atividades no espaço físico do campus Chapecó deverão votar no local de votação do campus Chapecó, conforme separação constante na lista de eleitores divulgada pela Comissão Eleitoral.

 

7.3 A votação far-se-á por meio de voto secreto e pessoal, por cédula impressa para esse fim, acessível aos votantes, nas mesas de votação.

 

7.4 O servidor, para poder votar, deverá apresentar, aos membros da mesa de votação, documento oficial com foto e assinar a lista de eleitores.

 

7.4.1 Poderão ser aceitos CNH e RG no formato original digital.

 

7.5 Em cada local de votação haverá, pelo menos, um mesário e um presidente da mesa;

 

7.6 A votação será acompanhada por um representante da Comissão Eleitoral ou servidor delegado pela Comissão, que deverá:

 

I - promover o monitoramento do Pleito;

 

II - avaliar condutas e procedimentos durante todo o Pleito, considerando a necessidade de manter a lisura no processo, de acordo com o código de conduta da UFFS e as regras deste Edital;

 

III - consultar os demais membros da Comissão Eleitoral diante de alguma ocorrência não prevista, para, somente depois disso, proferir decisão, que deverá ser totalmente registrada na ata do processo eleitoral;

 

IV - redigir a ata, registrando o processo eleitoral.

 

 

8 DA APURAÇÃO DOS VOTOS E DA DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS

 

8.1 A abertura das urnas, apuração dos votos e a divulgação do resultado provisório local será realizado no dia 13 de abril de 2020, após o encerramento da eleição, a partir das 15 horas, em sessão pública, no mesmo local em que acontecerá a votação.

 

8.1.1 A apuração dos votos dos representantes da Unidade Reitoria acontecerá na sala de capacitação, nº 1-1-5, da Reitoria.

 

8.2 A mesa de apuração terá a seguinte composição:

 

I - membro da Comissão Eleitoral;

 

II - presidente da mesa de votação;

 

III - mesários.

 

8.3 O processo de apuração terá como base a contagem de votantes e votos, que deverão ser iguais.

 

8.3.1 Havendo coincidência entre número de votos e o de votantes, os votos passam a ser computados, lidos em voz alta, e apontados em quadro para acompanhamento de todos os presentes.

 

8.3.2 Havendo incoincidência:

I - constatando-se mais cédulas na urna do que o número de votantes, a urna será anulada e será realizada nova eleição do representante local, em data distinta, definida pela Comissão Eleitoral.

 

II - constatando-se mais votantes do que cédulas na urna, será feito o registro da ocorrência, apurados os votos e a consequência deliberada pela Comissão Eleitoral.

 

8.3.3 Será lavrada Ata com os resultados e assinada pelos membros da mesa de apuração.

 

8.3.4 Concluída a apuração, contabilização dos votos, a Comissão Eleitoral deverá fixar no local de votação o resultado provisório da votação local.

 

8.4 No dia 15/04/2020, a Comissão Eleitoral divulgará Edital com o resultado provisório da votação, na página da CIS (https://www.uffs.edu.br/institucional/comissoes/comissao-interna-de-supervisao/editais-1).

 

 

8.5 Critérios de desempate a serem seguidos ordinariamente:

 

I - maior tempo de efetivo exercício na UFFS;

 

II - maior tempo de efetivo exercício no serviço público federal;

 

III - maior idade.

 

8.5.1 O candidato titular será referência para os critérios de desempate.

 

8.6 Eventuais recursos quanto ao resultado devem ser realizados mediante preenchimento do Requerimento Geral de Recurso (Anexo II), o qual deve ser anexado ao Tipo Documental “Requerimento”, a ser protocolado no SIPAC, Assunto 011, e destinado à fila de trabalho do SERVIÇO DE EXPEDIÇÃO E PROTOCOLO - REALEZA, no período de 16/04 a 17/04/2020 (até as 16h).

 

8.7 No dia 22/04/2020, após análise dos recursos, a Comissão Eleitoral divulgará Edital com o resultado final das eleições, na página da CIS (https://www.uffs.edu.br/institucional/comissoes/comissao-interna-de-supervisao/editais-1).

 

8.7.1 No dia 22/04/2020, a Comissão Eleitoral fará o encaminhamento do resultado final da votação ao Reitor, para que homologue e promova a publicação da Portaria.

 

8.8 Todos os documentos do Pleito, após a finalização do processo, devem ser lacrados e encaminhados, pelos representantes da Comissão Eleitoral, à DDP/PROGESP para arquivo.

 

8.9 Não havendo chapas inscritas ou votadas, as vagas que a Unidade (Campus ou Reitoria) tenha por direito permanecerão sem remanejamento e serão objeto de novo Pleito decorridos seis meses deste Edital.

 

8.9.1 No caso de vagas não preenchidas, a CIS empossada, um representante da DDP e um do sindicato deverão elaborar consulta aos servidores da Unidade em questão sobre interesse em participar.

 

8.9.2 Havendo a possibilidade de provimento da vaga em aberto, a CIS, conjuntamente com a DDP e um representante do sindicato realizarão o Pleito para provimento da vaga.

 

8.9.3 Membros da CIS que, eventualmente, sejam eleitos posteriormente ao previsto neste Edital, encerrarão seus mandatos conjuntamente com os demais membros que forem eleitos neste Pleito.

 

 

9 CRONOGRAMA ELEITORAL

 

9.1 Etapas do processo eleitoral

 

Etapa

Data/Período

Publicação do Edital de abertura do processo

12/02/2020

Divulgação das listas preliminares de eleitores

14/02/2020

Regularização das listas de eleitores

17/02/2020 a 28/02/2020 (até as 16h)

Homologação das listas de eleitores

03/03/2020

Inscrições das candidaturas

04/03/2020 a 13/03/2020 (até as 16h)

Publicação de Edital com a lista de candidaturas

18/03/2020

Recurso da lista de candidaturas

19/03/2020 (até as 16h)

Publicação de Edital com a homologação das candidaturas

23/03/2020

Período de campanha eleitoral e inscrição de mesários

24/03/2020 a 10/04/2020

Eleição

13/04/2020

Horário: 11h às 15h

Publicação de Edital com o resultado provisório

15/04/2020

Período de recursos do resultado

16/04/2020 a 17/04/2020 (até as 16h)

Publicação de Edital com o resultado final das eleições e encaminhamento ao reitor para homologação

22/04/2020

 

10 DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

 

10.1 Os casos omissos serão decididos pela Comissão Eleitoral.

 

10.2 Este Edital entra em vigor na data de sua publicação.

 

 

Chapecó-SC, 12 de fevereiro de 2020.

 

 

DARIANE CARLESSO

Presidente da Comissão Eleitoral

 

ANEXO I

 

 

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO – ELEIÇÕES DA COMISSÃO INTERNA DE SUPERVISÃO/2020

 

Dados dos candidatos:

Assinaturas:

Nome do titular

 

 

SIAPE

 

 

Nome do suplente

 

 

SIAPE

 

Unidade Organizacional:

 

Termo de Responsabilidade

 

Declaramos a ciência das regras contidas no Edital nº 001/CEC/UFFS/2020, na Lei 1.1091/2005, no Decreto 1.171/94, bem como do Código de Conduta Ética da UFFS.

Assinatura do titular:

Assinatura do suplente:

Local e data:

 

Indicação de um fiscal para o dia da eleição

Observações:

1) Deverá ser servidor lotado na Unidade de votação;

2) Candidatos não poderão ser fiscais;

3) A indicação de fiscal não é obrigatória;

4) Como a Unidade Reitoria terá duas urnas (no campus e no Bom Pastor), apenas a chapa pretende representar esta Unidade Organizacional poderá indicar até dois fiscais.

Nome do Fiscal:

SIAPE:

Nome do Fiscal:

SIAPE:

 

Obs: Preencher, assinar, escanear, gerar PDF e protocolar via SIPAC, tipo de documento: Formulário, Assunto 011 - (ORGANIZAÇÃO) COMISSÕES. CONSELHOS. GRUPOS DE TRABALHO. JUNTAS. COMITÊS, destinar ao SEP-RE (Serviço de Expedição e Protocolo - Realeza).

 

 

ANEXO II

 

REQUERIMENTO GERAL DE RECURSO

 

 

 

Nome: ________________________________________________ SIAPE: ______________

 

Unidade Organizacional:______________________________________________________

 

E-mail: _____________________________________ Telefone: _______________________

 

 

Requer: ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Relação de anexos:

 

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

Local e data

 

 

Assinatura

 

Obs: Preencher, assinar, escanear, gerar PDF e protocolar via SIPAC, tipo de documento: Requerimento, Assunto 011 - (ORGANIZAÇÃO) COMISSÕES. CONSELHOS. GRUPOS DE TRABALHO. JUNTAS. COMITÊS, destinar ao SEP-RE (Serviço de Expedição e Protocolo - Realeza).

Chapecó-SC, 12 de fevereiro de 2020.

Dariane Carlesso

Presidente da Comissão Eleitoral da CIS

DIVULGAÇÃO PROVISÓRIA DAS LISTAS DE ELEITORES PARA A ELEIÇÃO DE REPRESENTANTES DA COMISSÃO INTERNA DE SUPERVISÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO (CIS) DA UFFS, MANDATO 2020-2023

 

A Comissão Eleitoral da CIS (CEC), designada pela Portaria nº 86/GR/UFFS/2020, torna pública a lista provisória de eleitores para a eleição das representações da Comissão Interna de Supervisão do Plano de Carreira dos cargos técnico-administrativos em educação (CIS) da UFFS, para o mandato de 2020-2023.

 

1 - A lista provisória de eleitores constitui o Anexo 2 deste Edital.

 

2 - Caso o eleitor perceba alguma inconsistência na lista em relação ao seu cadastro, deverá se reportar à CEC, entre os dias 17 e 28/02/2020 (até as 16h), por meio do endereço eletrônico cegcis@uffs.edu.br, conforme o item 4.3 do Edital nº 001/CEC/UFFS/2020.

  

Chapecó-SC, 14 de fevereiro de 2020.

Dariane Carlesso

Presidente da Comissão Eleitoral da CIS

CCEACL

Delibera acerca da equivalência entre componentes curriculares (CCRs) do Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária com CCRs contidos nos Projetos Pedagógicos de outros Cursos do Campus Cerro Largo da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS).

A Coordenação do Curso de Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária – Bacharelado do Campus Cerro Largo da UFFS, no uso de suas atribuições legais, e considerando:

os percentuais de aprovação dos estudantes em alguns CCRs do curso e a desejável oferta contínua de CCRs, em horários alternativos, que permitam maximizar a oferta de vagas e, com isto, proporcionar uma progressão curricular homogênea no curso;

os apontamentos da Coordenação do Curso de que alguns CCRs contidos nos Projetos Pedagógicos de outros Cursos do Campus Cerro Largo da UFFS vem sendo sistematicamente validados no Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária da UFFS;

a importância da política de validação destes CCRs que vem sendo adotada no curso, que possivelmente tem permitido a diminuição do tempo de permanência dos estudantes no Curso, resultando em um maior número de estudantes diplomados;

a identificação de que a implantação de uma tabela de equivalência via sistema informatizado de matrículas poderá reduzir significativamente o trabalho burocrático, tanto dos estudantes quanto da coordenação do curso;

que em função do exposto acima, combinado ao fato de que os CCRs, mesmo equivalentes, possuírem códigos diferentes entre os diversos cursos do Campus Cerro Largo, que resultará no não reconhecimento dos pré-requisitos exigidos em outros Projetos Pedagógicos (PPCs) e consequente impossibilidade de matrícula via sistema informatizado;

que a implantação de uma tabela de equivalência evitaria: (a) a necessidade de pedido de validação de CCR pelo estudante e deferimento pelo Coordenador; (b) a necessidade de pedido e de deferimento pelo coordenador de quebra de pré-requisito baseadas no argumento de que o estudante já possui o pré-requisito do CCR que pretende cursar, mas que não foi validado no curso até o momento;

a comunicação da Pró-Reitoria de Graduação acerca da implantação, via sistema de matrículas, da exigência dos pré-requisitos dos CCRs extracurriculares a partir das matrículas de 2020/1;

que a exigência de pré-requisitos dos CCRs extracurriculares irá trazer necessidade de matrícula manual, com elevado trabalho burocrático adicional, incluindo análise de prioridades/ranqueamento dos estudantes para completar as vagas disponíveis nos CCRs extracurriculares, em prazo relativamente curto.

Faz saber que o Colegiado do Curso na Reunião Ordinária em 13 de dezembro de 2019, registrada na Ata de nº 10/2019, apreciou e

 

DELIBERA:

 

Art. 1° Fica aprovada a Tabela de equivalência e validação entre CCRs do Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária com CCRs contidos nos Projetos Pedagógicos de outros Cursos do Campus Cerro Largo da UFFS, conforme Anexo I.

 

Art. 2° Esta deliberação entra em vigor na data de sua publicação.

 

Cerro Largo, 13 de dezembro de 2019.

 

Prof. Alcione Aparecida de Almeida Alves – SIAPE 1891679

Coordenadora do Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária

Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Cerro Largo

 

ANEXO I – REGULAMENTO DE APROVEITAMENTO POR EQUIVALÊNCIA DE COMPONENTE CURRICULAR


Art. 1° Conferir equivalência aos CCRs abaixo relacionados, cursados com aprovação ou validados pelos estudantes do Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária - Bacharelado com CCRs contidos nos Projetos Pedagógicos de outros cursos da UFFS.

 

Engenharia Ambiental e Sanitária

Outros cursos da UFFS

Componente Curricular

Nº de Créditos

Componente Curricular

Nº de Créditos

GEX175 – Álgebra Linear

4

GEX767 – Álgebra linear

4

GEX175 – Álgebra Linear

4

GEX238 – Álgebra Linear

4

GCB109 – Bioquímica

3

GCB148 – Bioquímica

5

GCB109 – Bioquímica

3

GCB343 – Bioquímica I

4

GCB346 – Bioquímica II

3

GCB109 – Bioquímica

3

GEX291 – Química Biológica

4

GCB109 – Bioquímica

3

GEX688 – Bioquímica

4

GCB109 – Bioquímica

3

GCB106 – Bioquímica

4

GEX180 – Cálculo I

4

GEX762 – Cálculo I

4

GEX180 – Cálculo I

4

GEX237 – Cálculo I

4

GEX180 – Cálculo I

4

GEX665 – Cálculo I

4

GEX180 – Cálculo I

4

GEX269 – Cálculo I

4

GEX391 – Cálculo II

4

GEX766 – Cálculo II

4

GEX391 – Cálculo II

4

GEX240 – Cálculo II

4

GEX391 – Cálculo II

4

GEX668 – Cálculo II

4

GEX391 – Cálculo II

4

GEX272 – Cálculo II

4

GEX183 – Cálculo III

4

GEX769 – Cálculo III

4

GEX183 – Cálculo III

4

GEX244 – Cálculo III

4

GEX185 – Cálculo IV

4

GEX771 – Cálculo IV

4

GEX185 – Cálculo IV

4

GEX249 – Cálculo IV

4

GEX394 – Cálculo Numérico

4

GEX413 – Cálculo Numérico

4

GEX303 – Cartografia

3

GEX429 – Cartografia Ambiental

4

GCS306 – Desenho assistido por computador com o software AutoCAD-2D

2

GCS303 – Desenho técnico auxiliado por computador

4

GCS010 – Direitos e Cidadania

4

GCS239 – Direitos e Cidadania

4

GEX210 – Estatística Básica

4

GEX823 – Bioestatística

4

GEX210 – Estatística Básica

4

GEX006 – Estatística básica

4

GEX010 – Física I

4

GEX760 – Física I

6

GEX010 – Física I

4

GEX234 – Física I

6

GEX037 – Física II

4

GEX765 – Física II

4

GEX037 – Física II

4

GEX241 – Física II

4

GEX039 – Física III

4

GEX768 – Física III

4

GEX039 – Física III

4

GEX245 – Física III

4

GEX039 – Física III

4

GEX277 – Eletricidade e Magnetismo

4

GEX041 – Física IV

4

GEX770 – Física IV

4

GEX041 – Física IV

4

GEX250 – Física IV

4

GEX399 – Física Experimental I

2

GEX761 – Laboratório de Mecânica

2

GEX399 – Física Experimental I

2

GEX235 – Laboratório de Mecânica

2

GEX224 – Física Experimental II

2

GEX764 – Laboratório de Ondas, Fluidos e Termodinâmica

2

GEX224 – Física Experimental II

2

GEX242 – Laboratório de Ondas, Fluidos e Termodinâmica

2

GEX195 – Geometria Analítica

4

GEX763 – Geometria Analítica

4

GEX195 – Geometria Analítica

4

GEX233 – Geometria Analítica

4

GCH292 – História da Fronteira Sul

4

GCH029 – História da Fronteira Sul

4

GCH008 – Iniciação à Prática Científica

4

GCH290 – Iniciação à Prática Científica

4

GCH293 – Introdução à Filosofia

4

GCH012 – Fundamentos da Crítica Social

4

GCH011 – Introdução ao pensamento social

4

GCH291 – Introdução ao Pensamento Social

4

GLA112 – Língua Brasileira de Sinais (Libras)

3

GLA212 – Libras: Língua Brasileira de Sinais

4

GCB129 – Microbiologia Ambiental

3

GCB374 – Microbiologia Geral

4

GCB129 – Microbiologia Ambiental

3

GCB166 – Microbiologia Geral

4

GCB129 – Microbiologia Ambiental

3

GCA516 – Microbiologia agrícola

4

GCB129 – Microbiologia Ambiental

3

GCB126 – Microbiologia

3

GEX302 – Meteorologia e Climatologia

3

GEX173 – Agroclimatologia

4

GEX300 – Química geral e inorgânica

5

GEX257 – Química Geral

6

GEX300 – Química Geral e Inorgânica

5

GEX267 – Química Geral

8

GEX300 – Química Geral e Inorgânica

5

GEX664 – Química geral

6

GEX207 – Química Orgânica

4

GEX273 – Química Orgânica I

6

GEX276 – Química Orgânica II

8

GEX207 – Química Orgânica

4

GEX670 – Química Orgânica I

4

GEX676 – Química Orgânica II

4

GEN044 – Topografia

4

GEN080 – Topografia Básica

4

 

Art. 2º Para fins de registro, os componentes curriculares equivalentes da matriz 2013/1 àqueles integralizados em outros cursos passarão a constar nos históricos escolares dos estudantes do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária - Bacharelado, campus Cerro Largo, com a situação CVE – Componente validado por equivalência.

Art. 3º Este Regulamento de aproveitamento por equivalência de componente curricular entra em vigor na data de sua aprovação pelos órgãos competentes, revogando-se todas as demais disposições em contrário existentes sobre a matéria.

Parágrafo único. Nos casos em que está sendo utilizado mais de um componente curricular de outros cursos para validar um componente curricular da matriz 2013/1, será considerada a média ponderada para fins de registro da nota.

 

Cerro Largo-RS, 13 de fevereiro de 2020.

Alcione Aparecida de Almeida Alves

Coordenadora do Curso de Graduação em Engenharia Ambiental do Campus Cerro Largo

CONSCPF

Convoca para a 1ª Sessão Ordinária de 2020 do Conselho de Campus

O Presidente do Conselho de Campus da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Passo Fundo, convoca Vossas Senhorias para a Sessão Ordinária de 2020 do Conselho de Campus, que será realizada no dia 20 de fevereiro de 2020  (quinta-feira), às 13 horas, no Auditório do Campus com a seguinte pauta:

 

  1. Aprovação da ata da 8ª Sessão Ordinária de 2019;
  2. Relatório Anual de Atividades 2019;
  3. Plano de Gestão 2020;
  4. Calendário de Reuniões 2020;
  5. Análise de processos de redistribuições/permutas/exercício provisório;
  6. Proposta Homenagem com designação de nomes aos Ambulatórios do Campus;
  7. Alocação de artefato histórico militar no Campus (solicitação da PMPF);
  8. Contrato da Feira do Agricultor;
  9. Homologação da composição do Colegiado Do Curso de Medicina do ano de2019 (ad referendum);
  10. Publicização de Atas do Conselho no site da UFFS;
  11. Organização de acolhimento/ambientação para novos servidores técnicos e professores;
  12. Criação de grupo para discutir melhorias do ambiente de trabalho em termos de convivência (integração dos terceirizados e mitigação de problemas);
  13. Notificação de afastamento de Conselheiro (solicitação por e-mail);
  14. Informes:

                         5.1 Direção

                         5.2 Coordenação Acadêmica

                         5.3 Coordenação Administrativa

Passo Fundo-RS, 13 de fevereiro de 2020.

Julio Cesar Stobbe

Presidente do Conselho de Campus Passo Fundo

CONCUR

ATA DA 1ª SESSÃO EXTRAORDINÁRIA DE 2020 DO CONSELHO CURADOR

ATA DA 1ª SESSÃO EXTRAORDINÁRIA DE 2020 DO CONSELHO CURADOR

Aos doze dias do mês de fevereiro do ano de dois mil e vinte, as oito horas e cinquenta e cinco minutos, na sala nº 1-3-12 da unidade Bom Pastor, em Chapecó-SC, e nos demais campi por videoconferência, foi realizada a 1ª Sessão Extraordinária de 2020 do Conselho Curador (CONCUR) da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), presidida pela Presidente do CONCUR e representante do Conselho Regional de Administração, Angelita Bays. Fizeram-se presentes à sessão, por videoconferência, os seguintes conselheiros: Karine Cecilia Finatto (repres. TAE do Campus Chapecó), Lucimar Fossatti de Carvalho (repres. Docente Campus Passo Fundo), Evandro Pedro Schneider (repres. docente Campus Cerro Largo), Everton Alberto Bortolotto (Representante do Sindicato dos Contabilistas de Chapecó e Região). Participaram da sessão os seguintes conselheiros suplentes, no exercício da titularidade: Susana da Silva (repres. Discente Campus CL), Wilson Nascimento e Guilherme Matheus Signore (repres. Conselho Regional de Contabilidade). Não compareceram à sessão por motivo justificado os seguintes conselheiros: Gelson Aguiar da Silva Moser (repres. Docente Campus Chapecó), Flávio Riuzo So (repres. Docente Campus Realeza). Faltaram à sessão sem apresentar justificativa os seguintes conselheiros: (repres. discentes do Campus Chapecó), Marcelo Antonio Kehl (repres. Conselho Estratégico Social). 1. ORDEM DO DIA: A presidente fez a abertura dos trabalhos do conselho, passando para a leitura do item 1.1 da pauta - Análise e votação do Parecer referente à Proposta de Execução Orçamentária do ano de 2020 - O parecerista senhor Everton Bortolotto fez a leitura de seu parecer referente à Proposta Orçamentária da UFFS para o ano de 2020. Na sequência, os servidores Henrique Dagostin, Diretor de Planejamento e Liandro Luft, Diretor de Orçamento esclareceram algumas dúvidas dos conselheiros acerca do parecer apresentado, sendo que, neste momento, não havendo mais nenhuma dúvida, o parecer do relator foi aprovado por unanimidade. Sendo dez horas e doze minutos, foi encerrada a 1ª Sessão Extraordinária de 2020 do Conselho Curador da UFFS, da qual eu, Mirian Lovis de Souza, secretária dos órgãos colegiados, lavrei a presente Ata que, aprovada, será devidamente assinada pela Presidente e por mim.

Chapecó-SC, 12 de fevereiro de 2020.

Angelita Bays

Presidente do Conselho Curador

Documento Histórico

ATA Nº 1/CONCUR/UFFS/2020

Decisão do Conselho Curador

Ante o exposto, o Conselho Curador (CONCUR) da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) acata, sem considerações o voto do Conselheiro Relator Everton Alberto Bortolotto, e, portanto, aprova a Proposta de Execução Orçamentária para o exercício de 2020 da Universidade Federal da Fonteira Sul (UFFS), submetida pela Pró-Reitoria de Planejamento da UFFS - (PROPLAN).

Chapecó-SC, 12 de fevereiro de 2020.

Angelita Bays

Presidente do Conselho Curador

PROGRAD

Institui a Comissão Multidisciplinar de Avaliadores dos subprojetos do PIBID

O PRÓ-REITOR DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL – UFFS, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista a delegação de competência do Magnífico Reitor através da Portaria nº 565/GR/UFFS/2016, resolve:

 

Art. 1º INSTITUIR a Comissão Multidisciplinar de Avaliadores dos subprojetos para o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência – PIBID/UFFS, submetidos ao Edital nº 2/PROGRAD/UFFS/2020, a ser composta pelos seguintes membros:

 

Nome

Siape

Instituição

Elizabeth Aparecida Koltz

1474085

IFPR

Jorge da Cunha Dutra

1869139

IFC

Lígia Beatriz Goulart

0353487

UFRGS

 

Art. 2º Compete à Comissão avaliar as propostas recebidas, conforme critérios e cronograma estabelecidos no Edital nº 2/PROGRAD/UFFS/2020.

 

Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação no Boletim Oficial da UFFS.

 

Chapecó-SC, 10 de fevereiro de 2020.

Jeferson Saccol Ferreira

Pró-reitor de Graduação

Institui a Comissão Multidisciplinar de Avaliadores dos subprojetos do RP

O PRÓ-REITOR DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL – UFFS, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista a delegação de competência do Magnífico Reitor através da Portaria nº 565/GR/UFFS/2016, resolve:

 

Art. 1º INSTITUIR a Comissão Multidisciplinar de Avaliadores dos subprojetos para o Programa de Residência Pedagógica – RP/UFFS, submetidos ao Edital nº 1/PROGRAD/UFFS/2020, a ser composta pelos seguintes membros:

 

Nome

Siape

Instituição

Janecler Aparecida Amorin Colombo

2324460

UTFPR

Marluse Castro Maciel

1154262

IFSC

Roberta Cajaseiras de Carvalho

1660840

IFSC

 

Art. 2º Compete à Comissão avaliar as propostas recebidas, conforme critérios e cronograma estabelecidos no Edital nº 1/PROGRAD/UFFS/2020.

 

Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação no Boletim Oficial da UFFS.

Chapecó-SC, 10 de fevereiro de 2020.

Jeferson Saccol Ferreira

Pró-reitor de Graduação

Altera a Portaria nº 09/PROGRAD/UFFS/2020

O PRÓ-REITOR DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL – UFFS, no uso de suas atribuições legais, tendo em vista a delegação de competência do Magnífico Reitor através da Portaria nº 0565/GR/UFFS/2016, resolve:

 

Art. 1º ALTERAR o Art. 2º, da Portaria 09/PROGRAD/UFFS/2020, que passa a vigorar com a seguinte redação:

 

Art. 2º DESIGNAR os seguintes integrantes para compor a referida comissão:

 

Nome

Siape/CPF

Função

Claudete Gomes Soares

1343231

Presidente

Renilda Vicenzi

1911052

Membro

Gisele Leite Lima

1375653

Membro

Délcio Marquetti

1839997

Membro

Rosana Lampugnani

2072957

Membro

Silvânia Cabreira

2393157

Membro

Elis Gorett Lemos da Fonseca

1981382

Membro

Marília Amorim Marques

45x.xxx.xxx-20

Membro

Alexandra Vãn-Fej Paliano

00x.xxx.xxx-48

Membro

Roseny Bernardi

01x.xxx.xxx-74

Membro

Marina de Quadros Postali

03x.xxx.xxx-83

Membro


Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação no Boletim Oficial da UFFS.

Chapecó-SC, 11 de fevereiro de 2020.

Jeferson Saccol Ferreira

Pró-reitor de Graduação

Constitui Comitê para Revalidação de Diploma de Graduação da área de Medicina Veterinária

O PRÓ-REITOR DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL – UFFS, no uso de suas atribuições legais, tendo em vista o disposto na Seção III, do Capítulo II, da RESOLUÇÃO CONJUNTA Nº 1/2017 – CONSUNI/CGAE/CPPGEC, resolve:

 

Art. 1º CONSTITUIR o Comitê para Revalidação de Diploma de Graduação da área de Medicina Veterinária.

 

Art. 2º DESIGNAR os seguintes docentes para compor o Comitê:

I - Denise Maria Sousa de Mello, Siape 1836963 (Presidente);

II - Gentil Ferreira Gonçalves, Siape 1809467 (Membro);

III - Antonio Carlos Pedroso, Siape 2177384 (Membro).

 

Art. 3º Cabe ao Comitê proceder a análise do Processo nº 23205.001580/2020-11, de acordo com a Resolução Conjunta nº 1/2017 – CONSUNI/CGAE/CPPGEC, as Resoluções expedidas pelo Conselho Nacional de Educação, as instruções próprias do Ministério da Educação, a Plataforma Carolina Bori e eventuais normas específicas estabelecidas pelo Colegiado do Curso, expedidas em consonância com a legislação vigente.

 

Art. 4º Estabelecer o prazo de 90 (noventa) dias, a partir desta data, para a conclusão dos trabalhos.

 

Art. 5º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação no Boletim Oficial da UFFS.

Chapecó-SC, 12 de fevereiro de 2020.

Jeferson Saccol Ferreira

Pró-reitor de Graduação

Revoga Portaria 10/PROGRAD/UFFS/2018

O PRÓ-REITOR DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL – UFFS, no uso de suas atribuições legais, tendo em vista a delegação de competência do Magnífico Reitor através da Portaria nº 0565/GR/UFFS/2016, resolve:

 

Art. 1º REVOGAR a Portaria nº 10/PROGRAD/UFFS/2018.

 

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação no Boletim Oficial da UFFS.

Chapecó-SC, 12 de fevereiro de 2020.

Jeferson Saccol Ferreira

Pró-reitor de Graduação

DIR CH

CHAMADA SIMPLIFICADA PARA SELEÇÃO DE EMPRENDIMENTOS DO PROGRAMA DE EXTENSÃO “IMPLANTAÇÃO DA INCUBADORA DE TECNOLOGIA SOCIAL DA UFFS (ITECSUL)”

O Diretor do Campus Chapecó, da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), no exercício de suas atribuições, torna pública a presente Chamada Simplificada, que estabelece os critérios e os procedimentos para a seleção de empreendimentos destinados a participarem do Programa de Extensão “Implantação da Incubadora de Tecnologia Social da UFFS (ITecSul)”, aprovado no Edital de Apoio a Programas de Extensão Nº 554/GR/UFFS/2019, a ser desenvolvido junto a UFFS Campus Chapecó, de acordo com o que segue:

 

1 DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA

1.1 Articular a execução de projetos concebidos a partir de demandas locais e regionais, na perspectiva da sustentabilidade econômica, cultural e socioambiental;

1.2 Desenvolver projetos estruturados a partir de demandas de coletivos sociais em situação de vulnerabilidade social ou em fase de organização solidária;

1.3 Potencializar a conquista de autonomia e autogestão, por coletivos sociais, nas demandas incubadas, para a constituição de novos modelos de organização social: economia solidária, cooperativas, agroecologia, associações de produtores e de consumidores;

1.4 Incubar novos modelos de organização social, pautados pelos valores/características da: autonomia, autogestão, solidariedade, produção orgânica/agroecológica, finanças solidárias e multidisciplinar;

1.5 Estimular e potencializar a geração de tecnologias sociais;

1.6 Vivenciar/experienciar uma nova concepção de universidade, comprometida com as demandas de coletivos sociais historicamente ignorados, mediante a transformação dessas demandas em problemas de pesquisa, em processos educativos;

1.7 Proporcionar aos estudantes da UFFS práxis de Economia Solidária, Cooperativismo e Associativismo;

1.8 Desenvolver práticas e conhecimentos que sustentem a integralização curricular, com ações no campo da Extensão.

2 DO OBJETO DA CHAMADA

A seleção de propostas de empreendimentos para o Programa de Implantação da Incubadora de Tecnologia Social da UFFS (ITecSul) se constitui em ação de extensão tipificada como um programa de extensão institucional da UFFS e se propõe a apoiar, de forma técnica e não-onerosa, grupos de sujeitos em situação de vulnerabilidade social ou em fase de organização solidária, fornecendo o suporte necessário para o desenvolvimento das propostas acolhidas, dentro das seguintes linhas de atuação: a) Economia Popular Solidária; b) Agroecologia e Agroindústria Familiar; c) Projetos Culturais e Formação Cidadã.

 

3 DA INSCRIÇÃO

3.1 Poderão inscrever-se produtores/agricultores familiares, associações, cooperativas, empreendimentos de Economia Solidária, coletivo de estudantes, fundados no conceito de sustentabilidade, situados no território nacional, e que participam formalmente do Programa Agroecologia e Economia Solidária: espaço de empoderamento social e educativo;

3.2 Serão elegíveis todas as inscrições recebidas conforme os prazos estabelecidos na presente Chamada e que atendam aos critérios apostos;

3.3 As Fichas de Inscrição deverão ser assinadas, digitalizadas e enviadas no e-mail itecsul@uffs.edu.br

3.4 A ITecSul não se responsabiliza por problemas técnicos/operacionais que venham a ocorrer durante o envio da inscrição;

3.5 O envio da documentação incompleta dentro do prazo, poderá acarretar na desclassificação dos candidatos.

 

4 DA PARTICIPAÇÃO

4.1 A participação dos selecionados contará com planejamento individual de atividades de assessoria e evento de formação, que tem como objetivo o fortalecimento das diversas dimensões ligadas à Economia Solidária e ao Cooperativismo Popular;

4.2 Os selecionados serão acompanhados por período determinado de até 6 (seis) meses, para cumprimento das etapas de diagnóstico e capacitação.

 

5 DAS VAGAS

5.1 O presente Edital disponibiliza 5 (cinco) vagas, que deverão ser ocupadas obedecendo aos critérios:

I - Ter como objeto empreendimentos sociais voltados a Economia Popular Solidária; Agroecologia e Agroindústria Familiar ou Projetos Culturais e Formação Cidadã;

II - Caracterizar-se como ações comprometidas com a sustentabilidade social, econômica e ambiental;

III -Justificar-se como ação de empreendedores em situação de vulnerabilidade social, empreendedores emergentes ou de empreendedores de instituições já estabelecidos, os quais necessitem de aportes de conhecimento e de gestão por parte da Incubadora de Tecnologia Social da UFFS (ITecSul);

IV – Constituírem-se em modelos de organização social, pautados pelos valores/características da autonomia, da autogestão, da solidariedade, da produção orgânica/agroecológica, das finanças solidárias e multidisciplinares, que estimulem e potencializem a geração de tecnologias sociais;

5.2 A UFFS e a ITecSul não disponibilizarão espaços físicos para escritórios de negócios ou de produção de bens e serviços;

5.3 Os empreendimentos poderão ser acompanhados pela equipe da ITecSul em seus locais de origem;

5.4 Os empreendimentos classificados nessa Chamada farão parte de um cadastro reserva, podendo ser convocados a qualquer momento para ingressar no Programa - caso haja disponibilidade ou quando houver desistência ou desligamento dos empreendimentos selecionados.

 

6 DOS CRITÉRIOS PARA A SELEÇÃO DAS PROPOSTAS

Os empreendimentos serão avaliados e classificados de acordo com os seguintes critérios:

 

CRITÉRIOS

PONTOS

Agrupar mais de uma entidade ou organização

20

Possuir proposta de sustentabilidade e/ou inovação social, econômica ou ambiental

20

Estar em situação de vulnerabilidade social ou ser empreendimento emergente

20

Abranger coletivos organizados de jovens, mulheres, etnias, entre outros

10

Avaliação da viabilidade técnica e econômica do empreendimento

30

Total

100

  

7 DO PROCESSO DE SELEÇÃO

7.1 A coordenação da ITecSul será responsável por compor a Comissão de Seleção, com no mínimo, três pareceristas/avaliadores, podendo ser eles docentes ou técnicos da UFFS;

I - A primeira etapa será de recebimento da Inscrição dos empreendimentos (Anexo 1);

II - A segunda etapa será de análise do documento, em que os pareceristas/avaliadores levarão em consideração os critérios listados no Item 6.1 deste Edital;

7.2 Os empreendimentos que não atingirem a pontuação mínima de 40 pontos serão automaticamente desclassificados;

7.3 A coordenação do Programa encaminhará o resultado final para publicação no site da UFFS;

7.4 Ao final do processo de seleção, será firmado Acordo de Cooperação entre a UFFS e os empreendimentos selecionados;

7.5 Todos os inscritos devem estar com a documentação fiscal regular, situação essa que poderá ser verificada a qualquer tempo, durante e posteriormente ao processo de seleção;

7.6 A não comprovação de tal situação acarretará a desclassificação no processo de seleção, ou a possibilidade de rompimento unilateral do Acordo de Cooperação.

 

8 DOS CUSTEIOS

8.1 Caberá aos empreendimentos selecionados os custeios para a manutenção de seus empreendimentos ao longo do processo de acompanhamento, desde a aquisição de equipamentos, utensílios e/ou pagamento de assessorias externas, se for o caso;

8.2 A UFFS não cederá espaço físico/infraestrutura para a atuação dos empreendimentos;

8.3 Os empreendimentos selecionados deverão submeter-se às normas e critérios constantes no Acordo de Cooperação e às regras estabelecidas pela ITecSul.

 

9 DA CONTRAPARTIDA

9.1 Os empreendimentos selecionados na presente Chamada deverão desenvolver atividades previstas em conjunto com a equipe da ITecSul, comprometendo-se a envolver os membros da equipe nas tarefas propostas;

9.2 Os empreendimentos selecionados deverão responsabilizar-se pelos custos de deslocamento decorrentes das atividades desenvolvidas pela ITecSul.

 

10 DO CRONOGRAMA

Período de inscrições

De 10/02/2020 a 14/02/2020

Prazo para avaliação das propostas

De 17/02/2020 a 19/02/2020

Publicação do resultado preliminar

20/02/2020

Período de recursos

21/02/2020

Publicação do resultado final

28/02/2020

Início do período de acompanhamento

A partir da assinatura do Acordo de Cooperação

 

11 DA DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS

Os resultados do processo de seleção serão divulgados por e-mail dirigido aos candidatos e no site da UFFS na internet.

  

12 DOS RECURSOS

Será oportunizado aos interessados, inscritos e concorrentes no processo de seleção da presente Chamada, interposição de recurso dirigido à Coordenação da ITecSul, dentro dos prazos estabelecidos no cronograma. O recurso deve ser enviado através do e-mail: itecsul@uffs.edu.br.

 

13 DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

Os casos omissos serão analisados pela Coordenação da ITecSul.

 

 

ANEXO I - FICHA DE INSCRIÇÃO

 

RAZÃO SOCIAL DO EMPREENDIMENTO: ____________________________________________

__________________________________________________________________________________

NOME FANTASIA DO EMPREENDIMENTO: ___________________________________________

CNPJ: ____________________________________________________________________________

ENDEREÇO: ______________________________________________________________________

 

__________________________________________________________________________________

 

TELEFONE: ______________________ E-MAIL: ________________________________________

 

SITE: _____________________________________________________________________________

 

REPRESENTANTE LEGAL: __________________________________________________________

 

CITE OS PRODUTOS / SERVIÇOS DO EMPREENDIMENTO: _____________________________

 

__________________________________________________________________________________

 

CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO SOCIAL:

( ) COOPERATIVA ( ) ASSOCIAÇÃO ( ) EMPREENDIMENTO INDIVIDUAL

( ) OUTRA SITUAÇÃO (Identifique): __________________________________________________

 

O EMPREENDIMENTO ENVOLVE COLETIVOS ORGANIZADOS DE JOVENS, MULHERES, ETNIAS, ENTRE OUTROS? SE SIM, DE QUE FORMA. ( ) Sim ( ) Não

__________________________________________________________________________________

 

INDIQUE O MERCADO OU PÚBLICO-ALVO QUE PRETENDE ATINGIR:

__________________________________________________________________________________

 

QUAIS SÃO E ONDE ESTÃO LOCALIZADOS OS PRINCIPAIS CONCORRENTES:

__________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________

 

 

 

QUAIS SÃO E ONDE ESTÃO LOCALIZADOS OS PRINCIPAIS PARCEIROS/FORNECEDORES:

__________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________

 

QUANTO AO POTENCIAL DO EMPREENDIMENTO:

1.Descreva as principais características do Empreendimento, que possam ser consideradas suas grandes vantagens ou pontos fortes:

__________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

2. Descreva as principais características do mercado e do ambiente competitivo ou da conjuntura política e social que possam ser consideradas grandes oportunidades ou vantagens para o Empreendimento:

__________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________

 

 

_____________________________________

Nome Completo do Responsável e Assinatura


 

Local e data: __________________, ____ / _____ / 2020.

 

 

Chapecó-SC, 10 de fevereiro de 2020.

Roberto Mauro Dallagnol

Diretor do Campus Chapecó

Documento Histórico

EDITAL Nº 4/DIRCH/UFFS/2020

PROGESP

Retribuição por Titulação

O PRÓ-REITOR DE GESTÃO DE PESSOAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL - UFFS, no uso de suas atribuições legais e, considerando o disposto na Portaria nº 1153/GR/UFFS/2017, o Art. 1º, § 2º e o Art. 17 da Lei 12.772/2012, resolve:

 Art. 1º. CONCEDER Retribuição por Titulação a(o) Professor(a) do Magistério Superior a seguir relacionado:

Servidor

SIAPE

Vigência

Classe/ Padrão/Titulação

Processo Nº

De

Para

ANGELO BRIAO ZANELA

1936117

22/01/2020

Adjunto C Nível II - Mestrado

Adjunto C Nível II - Doutorado

23205.100014/2020-83

 

Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação no Boletim Oficial da UFFS.

Chapecó-SC, 10 de fevereiro de 2020.

Alex Sandro Fedrigo

Pró-Reitor de Gestão de Pessoas em exercício.

Retribuição por Titulação

O PRÓ-REITOR DE GESTÃO DE PESSOAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL - UFFS, no uso de suas atribuições legais e, considerando o disposto na Portaria nº 1153/GR/UFFS/2017, o Art. 1º, § 2º e o Art. 17 da Lei 12.772/2012, resolve:

 Art. 1º. CONCEDER Retribuição por Titulação a(o) Professor(a) do Magistério Superior a seguir relacionado:

Servidor

SIAPE

Vigência

Classe/ Padrão/Titulação

Processo Nº

De

Para

PATRICIA MARASCA FUCKS

1772187

05/02/2020

Adjunto C Nível II - Mestrado

Adjunto C Nível II - Doutorado

23205.100353/2020-60

 

Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação no Boletim Oficial da UFFS.

Chapecó-SC, 10 de fevereiro de 2020.

Alex Sandro Fedrigo

Pró-Reitor de Gestão de Pessoas em exercício.

Incentivo à Qualificação

O PRÓ-REITOR DE GESTÃO DE PESSOAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL - UFFS, no uso de suas atribuições legais e, considerando o disposto na Portaria nº 1153/GR/UFFS/2017, o Art. 12 da Lei nº 11.091/2005, e o Art. 1º do Decreto 5.824/2006, resolve:

 Art. 1º. CONCEDER Incentivo à Qualificação, ao Servidor Técnico-Administrativo em Educação a seguir relacionado(a):

Servidor

SIAPE

Cargo

Vigência

Percentual 

Processo Nº

JEAN JACQUES

3065147

TECNICO DE TECNOLOGIA DA INFORMACAO

14/01/2020

30%

23205.100196/2020-92

 

Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação no Boletim Oficial da UFFS.

Chapecó-SC, 10 de fevereiro de 2020.

Alex Sandro Fedrigo

Pró-Reitor de Gestão de Pessoas em exercício.

Incentivo à Qualificação

O PRÓ-REITOR DE GESTÃO DE PESSOAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL - UFFS, no uso de suas atribuições legais e, considerando o disposto na Portaria nº 1153/GR/UFFS/2017, o Art. 12 da Lei nº 11.091/2005, e o Art. 1º do Decreto 5.824/2006, resolve:

 Art. 1º. CONCEDER Incentivo à Qualificação, ao Servidor Técnico-Administrativo em Educação a seguir relacionado(a):

Servidor

SIAPE

Cargo

Vigência

Percentual 

Processo Nº

BIANCA ELOIZE MORO

3238860

ASSISTENTE EM ADMINISTRAÇÃO

22/01/2020

25 %

23205.100342/2020-80

 

Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação no Boletim Oficial da UFFS.

Chapecó-SC, 10 de fevereiro de 2020.

Alex Sandro Fedrigo

Pró-Reitor de Gestão de Pessoas em exercício.

Incentivo à Qualificação

O PRÓ-REITOR DE GESTÃO DE PESSOAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL - UFFS, no uso de suas atribuições legais e, considerando o disposto na Portaria nº 1153/GR/UFFS/2017, o Art. 12 da Lei nº 11.091/2005, e o Art. 1º do Decreto 5.824/2006, resolve:

 Art. 1º. CONCEDER Incentivo à Qualificação, ao Servidor Técnico-Administrativo em Educação a seguir relacionado(a):

Servidor

SIAPE

Cargo

Vigência

Percentual 

Processo Nº

GUILHERME ANTUNES DA SILVA

2251340

ASSISTENTE EM ADMINISTRAÇÃO

27/01/2020

25%

23205.110912/2019-14

 

Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação no Boletim Oficial da UFFS.

Chapecó-SC, 10 de fevereiro de 2020.

Alex Sandro Fedrigo

Pró-Reitor de Gestão de Pessoas em exercício.

Progressão por Capacitação STAs - Reenquadramento

O PRÓ-REITOR DE GESTÃO DE PESSOAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL - UFFS, considerando o disposto na Portaria nº 1153/GR/UFFS/2017, o Artigo 10-A e 10 §1º da Lei 11.091/2005, e a Nota Técnica nº 756/COGES/DENOP/SRH/MP, resolve:

Art. 1º REENQUADRAR no tocante à Progressão por Capacitação, a Servidora Técnico-Administrativo em Educação a seguir relacionada:

 

Nome

 

SIAPE

 

Cargo

Nível de Vencimento

 

Vigência

 

Processo nº

De

Para

Dalvana de Souza Bueno

1053643

Assistente em Administração

IV (quatro)

II (dois)

27/11/2015

23205.003259/2019-20

 

Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação no Boletim Oficial da UFFS.

Chapecó-SC, 13 de fevereiro de 2020.

Alex Sandro Fedrigo

Pró-Reitor de Gestão de Pessoas em exercício.

Progressão por Capacitação Profissional STAs

O PRÓ-REITOR DE GESTÃO DE PESSOAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL - UFFS, considerando o disposto na Portaria nº 1153/GR/UFFS/2017, a Portaria nº 347/GR/UFFS/2010 e o Artigo 10 da Lei 11.091/2005, resolve:

 Art. 1º CONCEDER Progressão por Capacitação Profissional ao Servidor Técnico Administrativo em Educação a seguir relacionado:

Nome

SIAPE

Cargo

Nível de Capacitação

Vigência

Processo

De

Para

Dalvana de Souza Bueno

1053643

ASSISTENTE EM ADMINISTRAÇÃO

II (dois)

III (três)   

13/02/2020

23205.100692/2020-46

 Art. 2º Esta portaria entra em vigor na data de publicação no Boletim Oficial da UFFS.

Chapecó-SC, 14 de fevereiro de 2020.

Alex Sandro Fedrigo

Pró-Reitor de Gestão de Pessoas em exercício.

GR

EDITAL DE CLASSIFICAÇÃO PROVISÓRIA DAS SOLICITAÇÕES DE LICENÇA PARA CAPACITAÇÃO PARA O SEGUNDO TRIMESTRE DO ANO DE 2020
O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL (UFFS), no uso de suas atribuições legais, considerando a LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990, o DECRETO Nº 9.991, DE 28 DE AGOSTO DE 2019 e demais normativas correlatas, consoante com a RESOLUÇÃO Nº 8/CONSUNI CAPGP/UFFS/2019, torna público o edital de classificação provisória para as solicitações de Licença para Capacitação para o segundo trimestre do ano de 2020, conforme o EDITAL Nº 1114/GR/UFFS/2019.
 
1 DA CLASSIFICAÇÃO PROVISÓRIA DOS INSCRITOS PARA O SEGUNDO TRIMESTRE DE 2020
Classif.
Nome Servidor
Ano de vencimento do prazo para gozo da Licença para Capacitação
Dias de Afastamento Stricto Sensu até 06/09/2019
Dias de Licença para Capacitação já usufruídos
Dias em exercício na UFFS até 06/09/2019
Dias em exercício no serviço público federal até 06/09/2019
01
Sheila Maria de Oliveira
2020
00
00
3421
3421
02
Giuliano Kluch
2020
00
00
3417
3417
03
Sandro de Moura
2020
00
00
3358
3358
04
Marcio Freitas Eduardo
2020
00
00
3341
3341
05
Valdir Prigol
2020
00
00
3309
3309
06
Cassiano Carlos Zanuzzo
2020
00
00
3293
3293
07
Lierson Borges de Castro
2020
00
00
3286
3286
08
Jones Jeferson Muneron
2020
00
00
3263
3263
09
Caroline Zarzzeka
2020
00
00
2241
3197
10
Daniela Bedin
2020
00
30
3375
3375
11
Fabricio Perin da Rosa
2020
00
30
3372
3372
12
Vanderleia Dezingrini
2020
00
30
3365
3365
13
Itamar Luiz Breyer
2020
00
30
3364
3364
14
Vandeleia Favaron
2020
00
30
3358
3358
15
Anderson Ivan Nava
2020
00
30
3356
3356
16
Liandro Pedro Luft
2020
00
30
3355
3355
17
Gelson Roque Guzzon
2020
00
30
3351
3351
18
Cleusa Fernanda Carraro Hilguera
2020
00
30
3346
3346
19
Angelo Sergio Bueno
2020
00
30
3343
3343
20
Cristiano Maciel
2020
00
30
3342
3342
21
Jacir Gaio
2020
00
30
3322
3322
22
Daniel Bazzotti
2020
00
30
3315
3315
23
Mariangela Brum Frota
2020
00
30
3313
3313
24
Ana Maria Olivo
2020
00
30
2767
3284
25
Ivair Nilton Pigozzo
2020
00
30
925
3299
26
Ana Paula Moraes Dutra
2020
00
45
3417
3417
27
Aline Luiza Brusco Pletsch
2020
00
55
3232
3372
28
Vanessa Ferreira do Lago
2020
00
60
3427
3427
29
Lidiane Marcante
2020
00
60
3376
3376
30
Marcelo Recktenvald
2020
00
60
3329
3329
31
Maiza Vanessa Baron
2020
00
60
3321
3321
32
Marisa Zamboni Pierezan
2020
00
60
2955
3242
33
Neusa Rossini
2020
324
30
3425
3425
34
Jacilene Teresinha Romanoski
2020
352
60
3363
3363
35
Aline Peixoto Gravina
2020
363
00
3406
3406
36
Maude Regina de Borba
2020
365
00
3295
3295
37
Josiane Weber
2020
380
60
3428
3428
38
Alfredo Castamann
2021
00
00
3160
3160
39
Denise Cargnelutti
2021
00
00
3117
3117
40
Gleison Cassio Rosset
2021
00
00
3108
3108
41
Debora Cristina Costa
2021
00
00
2966
2966
42
Letiane Peccin Ristow
2021
00
00
2931
2931
43
Lucélia Peron
2021
00
00
2819
2840
44*
Luis Antonio Guterres Haas
2021
00
00
2817
2817
45*
Adriana Folador Faricoski
2021
00
00
2817
2817
46
Cristian Mucha
2021
00
00
2816
2816
47
Josiane Heinrich Garlet
2021
00
00
2502
2852
48
Tome Coletti
2021
00
15
2936
3126
49
Vilson Genesio Schuck
2021
00
30
2966
2966
50
Liege Barbieri Silveira
2021
00
30
948
3004
51
Lidiane Pigatto Celuppi
2021
00
60
3093
3093
52
Sandra de Avila Farias Bordignon
2021
00
60
2983
2983
53
Everaldo Mulinari
2021
00
60
2938
2938
54
Micheli dos Santos
2021
00
60
2881
2881
55
Delcio Marquetti
2021
147
00
3140
3140
56
Miguel Mundstock Xavier de Carvalho
2021
366
00
3147
3147
57
Lidiane Tania Ronsoni Maier
2021
728
00
2818
2818
58
Marcia Rodrigues
2022
00
00
2763
2763
59
Luiz Carlos Sordi
2022
00
00
2730
2730
60
Anadesia Britzke
2022
00
00
2721
2721
61
Silvia Helena Tormen
2022
00
00
2658
2658
62
Luciano da Silva Lopes
2022
00
00
2656
2656
63
Fabiola Carla Andretta
2022
00
00
2654
2654
64
Jovani Lanzarin
2022
00
00
2651
2651
65
Silvana da Costa
2022
00
00
2469
2469
66
Adriano Jose Lentz
2022
00
30
2798
2798
67
Lilian Rohrbeck
2022
00
30
2735
2735
68
Eloa Angelica Koehnlein
2022
00
30
2714
2714
69
Elza Antonia Spagnol Vanin
2022
00
30
2691
2691
70
Raquel Marra Dias
2022
00
30
2684
2684
71
Alessandra Barreto dos Santos Moscato
2022
00
30
2658
2658
72
Duana Catarina Gerhardt Gnoatto
2022
00
30
2657
2657
73
Marcio Pedroso Barbosa
2022
00
30
2595
2595
74
Catia Milene Nessler Rocha
2022
00
30
2102
2644
75
Bruna Tombesi Gadonski
2022
00
50
2641
2641
76
Clarice Ribeiro
2022
00
60
2672
2672
77
Dolisete Levandoski
2022
160
00
2791
2791
78
Flavia Aigner Pan
2022
278
60
2731
2731
79
Enise Barth
2022
356
00
2524
2524
80
Andre Luis Bonfada
2022
509
00
2803
2803
81
Cherlei Marcia Coan
2022
544
00
2714
2714
82
Rafael Molina Ferrari
2022
713
00
3081
4393
83
Antonio Luiz Miranda
2023
00
00
2306
2306
84
Rosalve de Souza
2023
00
00
2258
2258
85
Viviane Cristine Schmitt
2023
00
00
2231
2231
86
Deisi Maria dos Santos Klagenberg
2023
00
00
1412
4065
87
Marina Andrioli
2023
00
00
857
2289
88
Fabiano Geremia
2023
00
00
457
2291
89
Micheli Segalin
2023
00
30
2434
2434
90
Francieli Anziliero
2023
00
30
2252
2252
91
Claudete Feiten Pase
2023
00
30
2138
2138
92
Camila Chiodi Agostini
2023
00
60
2437
2437
93
Gilberto Ferreira
2023
00
60
2270
2270
94
Marcela Alvares Maciel
2023
337
00
2313
2313
95
Serli Genz Bolter
2023
364
00
2179
2179
96
Daniela Savi Geremia
2024
00
00
1963
1963
97
Newton Marques Peron
2024
00
00
1936
1936
98
Alessandra Ghizoni Rohling de Souza
2024
00
00
1930
1930
99
Ana Paula Modesto
2024
00
00
1926
1926
100
Cassiane Anghinoni
2024
00
00
1914
1914
101
Larissa da Cunha Feio Costa
2024
00
00
1891
2850
102
Edson Comin
2024
00
00
1881
1881
103
Veronica da Silva Salvador
2024
00
00
1859
1859
104
Rafael Rodrigo Wolfart Treib
2024
00
00
1732
1732
105
Marina Miri Braz Beccari
2024
00
00
1265
1825
106
Bertil Levi Hammarstrom
2024
00
00
1163
1971
107
Ademir Luiz Bazzotti
2024
00
00
899
1794
108
Luciana Simoes dos Reis Oliveira
2024
00
00
551
1916
109
Daniele Guerra da Silva
2024
00
30
1961
1961
110
Itacir Casarin Camelatto
2024
00
30
1907
1907
111
Elitana Antoniolli
2024
00
60
1940
1940
112
Claudio Claudino da Silva Filho
2024
177
00
1957
1957
113
Janaita da Rocha Golin
2025
00
00
3503
3503
114
Sueli Maria Florczak Almeida
2025
00
00
3495
3495
115
Luiz Victor Pittella Siqueira
2025
00
00
3473
3473
116*
Antonio Marcos Myskiw
2025
00
00
3470
3470
117*
Anderson Andre Genro Alves Ribeiro
2025
00
00
3470
3470
118
Cassio Rafael Piaia
2025
00
00
3463
3463
119
Lucimara Lemiechek
2025
00
00
3462
3462
120
Maricler Fatima de Vargas
2025
00
00
3459
3459
121
Claudia Andrea Rost Snichelotto
2025
00
00
3455
3455
122
Daiane Truylio
2025
00
00
2308
3505
123
Ricardo Osmar Voss
2025
00
00
1706
1706
124
Sarah Franco Vieira de Oliveira Maciel
2025
00
00
1642
1642
125
Andre Gustavo Schaeffer
2025
365
00
3466
3466
126
Claiton Marcio da Silva
2025
365
00
3323
5292
127
Marcio Soares
2025
366
00
3461
3461
128
Julio Murilo Trevas dos Santos
2025
1095
00
3470
3470
-**
Lilian Wrzesinski Simon
-
-
-
-
-
Desempate pelo fator da maior idade.
**  Vacância ao cargo a partir de 28/01/2020, PORTARIA Nº 85/GR/UFFS/2020.
 
2 DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
2.1  Após a aplicação de todos os critérios de classificação trazidos pela RESOLUÇÃO Nº 8/CONSUNI CAPGP/UFFS/2019 foi necessário, em algumas situações, adotar o fator de maior idade para o desempate.
2.1.1  A classificação é válida para o quinquênio que o interessado foi classificado.
2.1.2  Para fins de cômputo dos dias de Licença para Capacitação já usufruídos, foram considerados os períodos em que o servidor já finalizou até esta data.
2.2  Conforme estabelecido, o candidato inscrito no EDITAL Nº 1114/GR/UFFS/2019 poderá interpor recurso somente no primeiro dia útil após a divulgação desta classificação provisória.
2.2.1  O recurso deverá ser encaminhado ao e-mail dir.ddp@uffs.edu.br no prazo estabelecido.
2.2.2  Não serão apreciados os recursos intempestivos, sem fundamentação, sem identificação ou que não guardem relação com o objeto deste edital.
2.3  É de inteira responsabilidade do candidato acompanhar a publicação dos resultados e das demais etapas do EDITAL Nº 1114/GR/UFFS/2019, bem como ficar atento ao e-mail institucional.
 
 

Chapecó-SC, 10 de fevereiro de 2020.

Marcelo Recktenvald

Reitor

Documento Histórico

EDITAL Nº 54/GR/UFFS/2020

CLASSIFICAÇÃO FINAL E CONVOCAÇÃO PARA MATRÍCULA - RESIDÊNCIA MÉDICA CAMPUS CHAPECÓ – EDITAL Nº 929/GR/UFFS/2019
O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL - UFFS, no uso de suas atribuições legais, a Comissão de Seleção dos Programas de Residência Médica da UFFS - Campus Chapecó, a Universidade Comunitária da Região Chapecó - Unochapecó e a Associação Hospitalar Lenoir Vargas Ferreira (doravante denominada como cenário de prática) tornam público a divulgação da Classificação Final e Convocação para Matrícula em Primeira Chamada dos Candidatos Classificados no Processo Seletivo dos Programas de Residência Médica do EDITAL Nº 929/GR/UFFS/2018, com ingresso em 2020.1, conforme descrito a seguir.
 
1 CLASSIFICAÇÃO FINAL
1.1 Anestesiologia
Classificação
Nota Final
Nome
Provab
Nascimento
01
86
Bruna Carla Boeira
Não
10/07/93
02
83
Isadora Crippa Lemos
Não
08/10/91
03
81
Eduardo de Moraes Schuch
Não
15/12/92
04
80
Alexandre Cristiano Carvalho Pereira*
Não
31/10/76
05
80
Klisman Drescher Hilleshein*
Não
20/01/92
06
80
Bruno Michelon*
Não
20/01/92
07
79.2
Carolina Faraco Peruchi
Sim
26/02/91
08
79
Felippe Mechereffe de Oliveira*
Não
18/05/89
09
79
Marina Fragomeni*
Não
02/08/92
10
79
Mateus Silva Alkmim*
Não
26/09/92
11
79