Acesso ao ensino superior público transforma realidade de estudante da UFFS

Publicado em: 24 de janeiro de 2013 13h01min / Atualizado em: 06 de janeiro de 2017 08h01min

Oportunidade. É com a palavra que tem destaque na campanha de divulgação do Processo Seletivo 2013 da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) que a estudante Marlene Salete Fiorentin descreve a sua experiência como acadêmica do curso de Filosofia na UFFS Campus Erechim. Aos 46 anos, Marlene viu na possibilidade de estudar em uma universidade pública a oportunidade de realizar um sonho de infância. Assim como ela, outras pessoas agora também têm essa chance: até o dia quatro de fevereiro está aberto o período de inscrição para interessados em concorrer a uma vaga na Universidade.

Para a estudante do segundo período de Filosofia, fazer uma graduação é motivo de orgulho. “Quando consegui a vaga eu chorei de felicidade”, descreve. Para quem conhece um pouco mais a história de Marlene é compreensível a afirmação carregada de emoção e de espontaneidade.

Nascida em Xanxerê, Santa Catarina, filha de trabalhadores rurais, ela deixou a escola cedo para ajudar os pais e irmãos na lida do campo. Mais tarde constituiu família, se tornou mãe, e o sonho de infância foi sendo postergado.

Os últimos anos do ensino fundamental e o ensino médio foram cursados já depois da mudança para Erechim, onde ela reside há 18 anos. “Antes de vir para a cidade eu fiquei quase 20 anos sem estudar”, lembra. O ingresso no ensino superior veio no início de 2012, na UFFS, universidade pública e, portanto, gratuita.

Nos primeiros meses do curso de Filosofia, haja vista que nos últimos quatro anos Marlene trabalhou como auxiliar de produção em uma indústria e sua jornada começava de madrugada, ela dormia apenas quatro horas por noite. No entanto, a falta de horas de sono não era considerada um problema. “De alguma coisa você tem que abrir mão”, brinca. O filho, hoje com 22 anos, é o maior incentivador para que a mãe se mantenha no curso.

“A Universidade é um sonho desde a época que eu ia na quarta série. Eu sempre quis fazer Filosofia. Agora me sinto uma menina junto com o pessoal. No começo foi assustador, é muita coisa, eu não estava acostumada”, conta. Porém, os relatos sobre as dificuldades sempre terminam com um sorriso e com a reafirmação sobre sua meta: “Vou concluir o curso e, quem sabe, depois trabalhar com projetos na área”.

Processo Seletivo

Para quem, assim como Marlene, busca uma oportunidade de ingressar no ensino superior, a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) está com as inscrições abertas para o Processo Seletivo 2013 até o dia 4 de fevereiro. São 2.025 vagas em 37 cursos de graduação, distribuídas nos cinco campi – Chapecó (SC), Cerro Largo e Erechim (RS) e Laranjeiras do Sul e Realeza (PR). As inscrições, gratuitas e exclusivamente pela internet, podem ser feitas aqui. Todas as informações também estão no link, no documento Políticas de Ingresso e no Edital do Processo Seletivo.

De acordo com a nova Política de Ingresso, a UFFS determinou, no edital de abertura do Processo Seletivo, o número de vagas para cada grupo (que varia de acordo com a trajetória escolar do candidato – se estudou em escola pública ou privada –, com o perfil econômico da família e com a caracterização étnica da população).

No Campus Erechim estão disponíveis 400 vagas, em oito cursos de graduação: Agronomia – Integral (50); Arquitetura e Urbanismo – Integral (50); Engenharia Ambiental – Integral (50 – 2º semestre); Filosofia – Noturno (50); Geografia – Noturno (50); História – Noturno (50); Pedagogia – Noturno (50); Ciências Sociais – Noturno (50).