Campus Erechim aprova projeto de investimento de mais de R$ 2 milhões para laboratórios

Publicado em: 28 de novembro de 2013 13h11min / Atualizado em: 06 de janeiro de 2017 11h01min

A Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) - Campus Erechim conseguiu a aprovação de um subprojeto, para investimento na implantação de laboratórios e estrutura de pesquisa, em Chamada Pública do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCTI/Finep/CT-Infra 01/2013). O valor recomendado para a execução da proposta é de mais de R$ 2 milhões, que serão utilizados para aquisição de equipamentos.

 O subprojeto apresentado pelo Campus Erechim tem como título “Promover a melhoria da infraestrutura de pesquisa visando à produção sustentável e conservação ambiental do Alto Uruguai do Rio Grande do Sul (Promipro)”. Ele integra um projeto “guarda-chuva”, institucional, denominado “Promoção da Infraestrutura de Pesquisa da Mesorregião da Fronteira Sul”.

Conforme o professor da UFFS – Campus Erechim, Leandro Galon, que coordenou o Grupo de Trabalho que elaborou o Promipro, o objetivo é adquirir equipamentos de ponta para “estruturar os laboratórios para o desenvolvimento de pesquisas de alta qualidade vinculadas ao ensino, pesquisa e extensão e, ao mesmo tempo, gerar tecnologias modernas e que sejam aplicadas na região de atuação da UFFS”.

Os equipamentos serão instalados no campus definitivo da UFFS em Erechim, onde foram edificados três pavilhões com mais de 30 laboratórios. Os equipamentos adquiridos via Promipro deverão ser utilizados em pesquisas nas áreas agronômica, biológica, ambiental, química, dentre outras. “Esse subprojeto apresenta um grande diferencial porque considera a produção de alimentos e o uso de recursos naturais de forma mais sustentável, mudando o atual modo de produzir, mas ao mesmo tempo dando rentabilidade ao produtor e protegendo o ambiente”, explica Galon.

Com isso se espera dar suporte para a “formação de recursos humanos de graduação e pós-graduação de alta qualidade”, diz. Recentemente o Campus Erechim teve o seu primeiro mestrado aprovado, em Ciência e Tecnologia Ambiental, o qual deverá ser beneficiado pela ampliação da estrutura de pesquisa. O prazo para execução do subprojeto é de três anos (36 meses), com início das atividades de aquisição dos equipamentos prevista para o próximo ano.

Equipe

Segundo Galon, a aprovação do subprojeto é fruto de um trabalho que envolveu uma equipe multidisciplinar, a qual elaborou um projeto muito bem embasado tecnicamente. Além do professor coordenador, integraram a equipe os professores Altemir José Mossi, Gean Delise Vargas, Lauri Radunz, Paulo Hartmann, Marília Hartmann, Roberto da Silva e Helen Treichel, e os técnicos-administrativos Flavia Bernardo Chagas, Guilhermo Romero, Naiara Miotto, Naudio Diering e Rodrigo Tonin.

Para o diretor do Campus Erechim, Ilton Benoni da Silva, “trata-se de uma conquista significativa para a UFFS e, particularmente, para o Campus”. “Na medida em que mais servidores se incorporam à Instituição e passam a dar vigor e estrutura à pesquisa, aprovam e desenvolvem projetos que contemplam, também, a aquisição de equipamentos. É assim que cada projeto pode oferecer resultados em termos de produção de conhecimentos científicos na sua área de investigação e, igualmente, deixar um legado importante de melhoria na infraestrutura da universidade”, afirma Benoni.

Além desses recursos, aprovados junto ao MCTI, já foram investidos nos laboratórios do Campus Erechim, até 31 de dezembro de 2012, conforme a Secretaria Especial de Laboratórios da UFFS, aproximadamente R$ 2,4 milhões em materiais permanentes e cerca de R$ 417 mil em materiais consumíveis. O levantamento do ano de 2013 ainda não foi concluído, mas a previsão é fechar o ano com cerca de R$ 2 milhões investidos em materiais de laboratório permanentes e consumíveis no Campus Erechim.