Campus Erechim: Pesquisa realizada na Antártica é apresentada por professora em evento internacional

Publicado em: 26 de julho de 2012 13h07min / Atualizado em: 05 de janeiro de 2017 12h01min

A professora na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Erechim, Kátia Kellem da Rosa, participou, entre os dias 13 e 21 de julho, do evento internacionalScientific Committee on Antarctic Research (Scar), que neste ano foi realizado naPortland State University, em Portland, Oregon, nos Estados Unidos. O objetivo foi apresentar os resultados de suas pesquisas no continente Antártico, que analisaram alterações na geleira Wanda, localizada na Ilha Rei George.

“A participação neste evento torna-se relevante para fins de divulgação de trabalhos científicos realizados pelo Brasil na Antártica e intercâmbio de conhecimentos com pesquisadores e delegados do IPCC [Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas]”, declara Kátia.

Segundo ela, o trabalho apresentado é resultado das pesquisas de campo desenvolvidas na Antártica ao longo de três anos, com apoio de instituições como o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Programa Antártico Brasileiro (Proantar).

O material foi um dos 200 trabalhos escolhidos pelo Scar a terem total apoio financeiro para participação no evento. Além disso, a apresentação do estudo contou com o suporte do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia da Criosfera (INCT da Criosfera) devido à representação da pesquisa brasileira na Antártica.

Pesquisa

Os trabalhos de campo, conforme explica Kátia, foram desenvolvidos nos verões de 2007, 2010 e 2011 (janeiro e fevereiro), com atividades de acampamento na geleira Wanda, localizada na Ilha Rei George, na Península Antártica. “Estas atividades requerem uma logística preparada durante um período de um ano inteiro antes de cada expedição e envolvem a marinha e a força aérea brasileira”, afirma.

A pesquisadora conta que nos períodos em que ficou no acampamento compartilhou o espaço com no máximo mais cinco pessoas, entre as quais dois alpinistas especializados no apoio logístico da expedição.

Continuidade

O estudo continua em andamento, com mais dois projetos aprovados no CNPq e outras instituições envolvidas, entre elas o INTC da Criosfera, o Centro Polar e Climático da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), o Laboratório de Monitoramento da Criosfera da Universidade Federal do Rio Grande (Furg), o Laboratório de Processos Sedimentares e Ambientais da Universidade Federal Fluminense (UFF) e o Laboratório de Geografia Física da UFF.

“No próximo ano (fevereiro-março) participarei de nova expedição com apoio do Programa Antártico Brasileiro e do Chile”, explica. Kátia é doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Geologia Marinha da UFRGS. É professora de Geologia e Geomorfologia na UFFS – Campus Erechim. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em ambientes glaciais.