Cursos de História e Geografia contarão com Pibid no Campus Erechim

Publicado em: 14 de agosto de 2012 13h08min / Atualizado em: 05 de janeiro de 2017 12h01min

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) está em processo de implantação nos cursos de Licenciatura em História e em Geografia na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) - Campus Erechim. O objetivo é permitir que estudantes dessas áreas tenham a oportunidade de conhecer o cotidiano de sala de aula por meio do acompanhamento do trabalho de professores em escolas de Ensino Fundamental e Médio. Os encontros dos grupos de estudos que integram o Pibid de ambos os cursos devem iniciar no segundo semestre deste ano.

 Com a estruturação do programa na História e na Geografia, o Campus Erechim passa a contar com o Pibid em todos os cursos de licenciatura em funcionamento. No dia 15 de agosto os bolsistas do programa participarão de um seminário para socializar experiências e apresentar projetos de atuação.

Geografia

No campus Erechim, o Pibid de Geografia tem a coordenação dos professores Dilermando Cattaneo e Ana Maria de Oliveira Pereira. Foram selecionados dez bolsistas e três suplentes para atuação no mesmo. Conforme Ana Maria, nesse primeiro momento o Pibid contará com a parceria da Escola Estadual Érico Veríssimo. O professor vinculado à escola, Vital Benito, será o supervisor do grupo.

Os bolsistas terão a oportunidade de acompanhar, jundo ao docente, as reuniões pedagógicas, o processo de planejamento das aulas, a elaboração de avaliações e todas as demais atividades realizadas no dia a dia. Uma vez por semana o grupo irá se encontrar, juntamente com os coordenadores do programa, para debater as observações feitas e, em conjunto, sugerir possibilidades pedagógicas que atendam às necessidades da sala de aula.

A professora diz que a intenção é que o Pibid de Geografia, a partir de sua implantação, se torne um programa permanente na UFFS – Campus Erechim, o qual, com o avanço das atividades, possa ter o número de bolsistas e de escolas envolvidas ampliado. Neste primeiro momento o projeto irá abranger turmas do Ensino Fundamental, mas Ana Maria afirma que, conforme o desenvolvimento das ações aconteça, é possível que se aplique essa metodologia também junto ao Ensino Médio.

História

Os professores Émerson Neves da Silva e Tiago Kramer de Oliveira são os coordenadores do Pibid de História no Campus Erechim. Até o momento, oito acadêmicos do curso foram selecionados como bolsistas do Pibid do curso de Licenciatura em História. As atividades serão desenvolvidas junto à Escola Estadual Érico Veríssimo com a supervisão da professora de História do colégio, Roseli Confortin. Conforme Da Silva, a intenção é que os estudantes possam realizar o diagnóstico do ensino de História na escola, acompanhar as atividades da professora, elaborar oficinas, realizar atividades paralelas com estudantes que têm dificuldades em sala de aula, construir propostas de novas metodologias de ensino possíveis de serem aplicadas dentro deste contexto, entre outras.

De acordo o professor, um grupo de estudos também deverá ser criado para debater as demandas, dificuldades e relações entre o que os estudantes do curso de licenciatura aprendem na Universidade e as observações feitas a partir desse contato com a sala de aula. “Esse grupo de estudos será aberto, com o objetivo de possibilitar que mesmo os estudantes que não são bolsistas do programa tenham acesso às informações colhidas”, afirma.

Troca

A coordenadora do Pibid de Geografia, Ana Maria de Oliveira Pereira, destaca que a implantação do programa proporciona uma troca interessante tanto para os acadêmicos dos cursos de licenciatura como para as escolas e professores que recebem esses estudantes e compartilham com eles suas experiências. “Isso permite que os acadêmicos participem do ambiente escolar, de modo que o estágio não seja o primeiro contato deles com esse universo, por outro lado, para os professores das escolas que recebem os estudantes é como se eles participassem de uma formação continuada, já que no grupo de estudos teremos a oportunidade de discutir conceitos e alternativas para as dificuldades cotidianas”, explica a coordenadora.