Dança, teatro e literatura misturam-se em espetáculo no aniversário da UFFS em Erechim

Publicado em: 17 de setembro de 2013 13h09min / Atualizado em: 06 de janeiro de 2017 10h01min

Um espetáculo que mistura dança, teatro e literatura irá marcar o aniversário da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) nos campi Erechim e Chapecó. "Tatá dança Simões", apresentado pelo Núcleo de Dança-Teatro Tatá, da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), se apresenta na próxima quinta-feira (19), no Centro Cultural 25 de Julho, em Erechim, a partir das 19h. Já em Chapecó, a apresentação acontece na sexta-feira (20), no auditório do SESC, a partir das 20h.

Ambas as apresentações são abertas para a comunidade acadêmica e externa e têm ingresso gratuito. Para o diretor do Campus Erechim, Ilton Benoni da Silva, uma atividade cultural para marcar o aniversário da UFFS no Campus é significativa, tendo em vista que essa ação está em sintonia com as marcas da vida no Campus.

“Eu gostaria de registrar um agradecimento às pessoas, aos grupos acadêmicos, entidades e instituições que nos ajudaram a construir essas alternativas, tanto àqueles que internamente acolhem, organizam essas atividades, como àqueles que se apresentam e que participam das atividades propostas”, pondera.

Segundo Benoni, o Campus Erechim tem uma atividade artístico-cultural marcante, ferramenta que aproxima ainda mais a Universidade e as comunidades com as quais a instituição relaciona-se. Essas ações são realizadas, principalmente, por meio de projetos de extensão e cultura. Atualmente, quatro projetos culturais estão em desenvolvimento da UFFS – Campus Erechim, envolvendo dança, teatro, fotografia, cinema, intervenção urbana, educação ambiental e muitos outros temas.

O grupo

O Tatá Núcleo de Dança‐Teatro é um programa de extensão vinculado ao curso de Dança ‐ Licenciatura da UFPel. O grupo integra atores-bailarinos dos cursos de Dança e Teatro da universidade, com o objetivo de difundir a dança contemporânea, promover a arte‐educação e contribuir com a formação de público. Participarão da apresentação cerca de 20 artistas.

Nos corpos dos intérpretes criadores, o espetáculo busca reconstruir e reinventar as emoções e percepções sobre a existência que o escritor pelotense, João Simões Lopes Neto, expressou em sua obra. A literatura de Lopes Neto, embora completamente situada nos ares dos pampas gaúchos, como toda grande obra classica, traz reflexões sobre as questões universais, como a humanidade, a vida e a morte. O espetáculo propõe resgatar raízes, desconstruí-las, reconstruí-las e apontar para algo que possa substituir o vazio e o descartável, tão próprios de nosso mundo atual.