Direção da UFFS recebe representantes de comunidades indígenas

Publicado em: 25 de outubro de 2011 13h10min / Atualizado em: 05 de janeiro de 2017 09h01min

Lideranças indígenas do Alto Uruguai e pessoas envolvidas em trabalhos com essas comunidades estiveram, na última sexta-feira (21), reunidos com a direção da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Erechim, para discutir formas de acesso de estudantes indígenas nos cursos de educação superior oferecidos pela instituição.

 O grupo falou de experiências realizadas com inserção em algumas universidades onde, de modo geral, os indígenas têm encontrado dificuldades em razão das instituições estarem localizadas distantes de suas comunidades. As lideranças também manifestaram preocupação com situações de preconceito verificadas em sala de aula, bem como quando estudantes indígenas precisam dividir, por exemplo, acomodações e alojamentos com pessoas de outra cultura e com outros costumes.

Segundo representantes das comunidades, a UFFS é uma boa opção para os estudantes, uma vez que a mesma está localizada próximo às áreas indígenas da Região Alto Uruguai. O diretor da UFFS – Campus Erechim, Ilton Benoni da Silva, destacou a importância de averiguar objetivamente a necessidade de adotar outras formas, além do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), para garantir o ingresso de estudantes indígenas na Universidade. A assistente social da UFFS, Michele Batista, apresentou os programas de assistência aos estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, com bolsas e auxílios financeiros que pode contribuir com a permanência dos estudantes na instituição.

Além de auxiliar na análise do desempenho de estudantes indígenas nas provas do Enem, realizadas no último final de semana, para verificar a necessidade ou não de construir uma proposta de provas seletivas específicas para esse público (cotas), a direção da UFFS – Campus Erechim assumiu outros desafios. Entre eles, efetuar visitas às comunidades indígenas para ampliar o trabalho de divulgação dos cursos oferecidos pela instituição e criar um canal de comunicação direto com essas comunidades. Ainda, sondar a possibilidade de criar em 2012 um programa de preparação ao Enem, desenvolvido junto aos estudantes indígenas, colaborando assim na orientação profissional desses jovens e na escolha do curso que desejarem frequentar.

De acordo com o coordenador administrativo da UFFS - Campus Erechim, Dirceu Benincá, a presença de indígenas na Universidade enriquecerá muito a vida da instituição, pois a UFFS carrega uma marca de origem com a qual deve se comprometer amplamente. “Isso no que tange à garantia de mecanismos de acesso dos segmentos mais excluídos do ensino superior público, bem como no que se refere à qualidade técnica e político-pedagógica dos cursos oferecidos. Os povos indígenas trazem um conjunto de saberes milenares, especialmente relacionados a um outro modo de viver em comunidade e de se relacionar com a natureza, que poderão se articular de forma muito rica com os conhecimentos acadêmicos", afirmou.