Educação de Jovens e Adultos é tema de curso de extensão no Campus Erechim

Publicado em: 22 de abril de 2013 13h04min / Atualizado em: 06 de janeiro de 2017 09h01min

Um grupo de cerca de 60 professores e outros profissionais que atuam na Educação de Jovens e Adultos (EJA) terá a oportunidade, nos próximos meses, de participar de um curso de extensão oferecido na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) –Campus Erechim. Coordenado pela professora Adriana Sanceverino Losso, o curso “Mediação, Interdisciplinaridade e práticas de Produção Textual na Educação de Jovens e Adultos (EJA): Possibilidades de Intervenção em Sala de Aula” teve seu primeiro encontro na última sexta-feira (19), no auditório da UFFS – Campus Erechim.

 A atividade tem o apoio da Secretaria Municipal de Educação de Erechim (Smed) e da 15ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), entidades que viabilizaram a inscrição dos interessados. Conforme Adriana, o objetivo do curso de extensão é “possibilitar a discussão e o aprofundamento dos processos metodológicos para intervenção na sala de aula de EJA visando atender às necessidades específicas dessa modalidade de ensino, a partir da compreensão e análise interpretativa dos conceitos de mediação, interdisciplinaridade e práticas de produção textual”.

O curso terá duração de 32 horas-aula, com encontros mensais nas sextas-feiras à noite. O período de realização da atividade é de abril a novembro. Além da Coordenadora do curso, contribuirão com as discussões as professoras da UFFS – Campus Erechim: Naira Roesler Mohr, Marilane Wolff Paim e Zoraia Aguiar Bittencourt. Todos os cursos de extensão da Universidade são oferecidos gratuitamente.

Desafios

“Em uma sala de EJA nós temos uma diversidade muito grande, inclusive de faixas etárias. Nesse sentido, qualquer discussão que nos auxilie a estabelecer uma metodologia eficaz para o trabalho com essas turmas é interessante”. A opinião é da professora de Biologia e Química da Escola Estadual Érico Veríssimo, Maida Ariane de Melo, que participa do curso de extensão.

Para a professora, essa diversidade é um desafio para os docentes que trabalham com a Educação de Jovens e Adultos, mas não um problema, pois “Esses estudantes têm anseios diversos e precisamos lidar com isso”, afirma. Por esses motivos, ela diz que momentos de debate sobre a temática, como os proporcionados pelo curso de extensão, são importantes para o cotidiano escolar.

Opinião semelhante tem a secretária da Escola Estadual Bela Vista, Silvia Regina de Freitas, que também participa do curso. Segundo ela, as diferentes motivações que fazem com que as pessoas busquem as turmas de EJA, bem como o alto índice de abandono, desafiam os profissionais que atuam nessa modalidade de ensino a buscar alternativas.