Mais dois estudantes da UFFS – Campus Erechim selecionados pelo Ciência Sem Fronteiras

Publicado em: 19 de setembro de 2013 13h09min / Atualizado em: 06 de janeiro de 2017 10h01min

Os estudantes do sétimo período do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Erechim, Gessica Steffeens e Andrei Luis Signor, desembarcam hoje (19) na Austrália. Eles foram selecionados pelo programa do governo federal Ciência Sem Fronteiras, e passarão pelo menos 18 meses no país da Oceania.

Os dois estudantes foram aceitos pela Deakin University e, durante os seis primeiros meses, se estabelecerão na cidade de Melbourne, capital do estado da Victória. Nesse período, eles terão aulas intensivas para obter fluência na língua inglesa. Posteriormente, ambos deverão ir para Geelong, onde cursarão disciplinas relacionadas a suas áreas de formação, pelo período de um ano.

Também há a possibilidade de realização de estágio paralelo aos estudos ou após essa fase.

Selecionados

Gessica Steffens, 21 anos, é natural de Severiano de Almeida/RS. Para ela, o intercâmbio pelo Ciência Sem Fronteiras é uma oportunidade de formação ampla. “Sempre gostei muito de viajar, de conhecer novos lugares, culturas, pessoas, modos de vida, idiomas, sotaques. Com a possibilidade de me inscrever em um intercâmbio, vi a concretização de um sonho: estudar um tempo fora e aproveitar todas as chances de aperfeiçoamento pessoal e profissional que isso possa oferecer”, diz.

Andrei Luis Signor, 21 anos, é natural de Anchieta/SC, e compartilha de uma opinião semelhante: “O meu objetivo é vivenciar novas culturas, cidades e experienciar estudos em outras escolas da minha área; quero me abrir a novas possibilidades”, argumenta.

Ambos se inscreveram no programa Ciência Sem Fronteiras, inicialmente, para realizar intercâmbio em Portugal. No entanto, devido ao grande número de candidatos inscritos para o país europeu, novos editais foram abertos, oportunizando uma nova alternativa para outro país. Agora, os dois estudantes dizem-se animados com a experiência de conhecer e estudar em um país com peculiaridades climáticas, geográficas e sociais que fazem da Austrália um país tido como 'exótico' por muitos, seja pelas paisagens naturais, pela história ou pela formação étnica de sua população.

Apoio

Os estudantes recebem, de acordo com o edital do programa Ciência Sem Fronteiras, passagens aéreas de ida e volta, auxílio-instalação, auxílio-material didático e o valor mensal da bolsa que irá assegurar a permanência no país escolhido.