Projeto mune jovens de ferramentas digitais buscando incentivar permanência no campo

Publicado em: 22 de janeiro de 2014 13h01min / Atualizado em: 09 de janeiro de 2017 08h01min

Desde 2012 a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) vem desenvolvendo um projeto, com financiamento do Ministério das Comunicações, visando à inclusão digital de jovens que vivem no campo nos três estados onde a Universidade atua (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul). Agora essa ação terá continuidade por meio de um novo projeto, recentemente aprovado pelo Ministério, que garantirá o aporte financeiro para que as atividades continuem a ser realizadas pelos próximos dois anos.

Inicialmente denominado “Juventude Rural e as Redes Sociais de Aprendizagem”, o projeto de extensão foi reestruturado e passou a chamar-se “Desenvolvimento Sustentável, Mídia Social e o Jovem do Campo”. Conforme o coordenador, professor da UFFS – Campus Erechim, Aníbal Lopes Guedes, “o projeto de extensão tem como intuito promover o processo de emancipação digital de jovens de unidades produtoras familiares da região Sul do Brasil, uma vez que a agricultura familiar nos estados sulistas caracteriza-se como importante fonte de renda, porém faltam estratégias que possibilitem a permanência dos jovens e, consequentemente, a continuidade destas unidades produtoras”.

Segundo ele, a intenção é ampliar e dar continuidade às atividades do projeto “Juventude Rural e as Redes Sociais de Aprendizagem”, por meio da formação do jovem do campo nas diferentes linguagens e técnicas proporcionadas pelas mídias sociais, de forma a melhorar as condições de vida social e reduzir o êxodo rural. O Ministério das Comunicações autorizou a liberação de cerca de R$ 300 mil para as ações distribuídas nos próximos dois anos.

Resultados 

No projeto “Juventude Rural e as Redes Sociais de Aprendizagem” foram beneficiados cerca de 120 jovens, 40 em cada um dos Estados (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul). As atividades desenvolvidas foram desde cursos formativos com colaboradores do projeto, professores e bolsistas, até a produção de material didático, disponibilizado no formato impresso e digital. Esse grupo capacitado nos cursos, com o apoio do material didático, foi o responsável pela multiplicação do conhecimento junto a outros jovens das suas comunidades de origem, articulados pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Fetraf-Sul).

Para o jovem Gean Carlos Maldaner, um dos participantes do projeto, “a metodologia de multiplicadores do conhecimento é fator imprescindível”. Em seu relato aos coordenadores das atividades, que consta no relatório final do projeto, ele destacou o grande desafio de compartilhar e construir com os jovens das comunidades conhecimento e organização. Ao mesmo tempo, destacou a importância desse tipo de movimento pró-ativo.

O projeto inicial também fomentou outras ações na área, como o curso de Capacitação de Jovens em Agricultura Sustentável, Gestão e Inovação Tecnológica, que está em andamento em campi da UFFS nos três Estados do Sul; artigos científicos apresentados em congressos nacionais e internacionais; além da prospecção de novos projetos de extensão, como o que agora será executado: "Desenvolvimento Sustentável, Mídia Social e o Jovem do Campo".