Campus Laranjeiras do Sul realizou IV Seminário das Licenciaturas em Educação do Campo da Região Sul

Publicado em: 02 de junho de 2015 08h06min / Atualizado em: 18 de janeiro de 2017 10h01min

A Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Laranjeiras do Sul sediou, entre os dias 27 e 29 de maio, o IV Seminário das Licenciaturas em Educação do Campo da Região Sul do Brasil. O evento contou com a participação de professores universitários que atuam em cursos de licenciatura em Educação do Campo, ofertados na região Sul do Brasil, acadêmicos, professores, pesquisadores e gestores de instituições de ensino.

O objetivo do Seminário foi aprofundar os estudos sobre a formação de professores para atuar em Escolas do Campo, em regime de alternância e por área de conhecimento, debater e socializar os desafios teóricos e práticos da Educação do Campo e dos cursos ofertados em diferentes universidades da região Sul do Brasil.

Conforme a docente Ana Cristina Hammel, a qual auxiliou na coordenação do evento, “o debate central girou em torno da área do conhecimento e de outros encaminhamentos importantes para as turmas de licenciatura. Uma das deliberações tomadas a partir do encontro foi o apostilamento nos diplomas das disciplinas que compõem a área de conhecimento dos cursos”. Hammel destaca ainda que “durante o evento foi definido que o Campus Laranjeiras do Sul sediará, em novembro de 2015, o Seminário Nacional das Licenciaturas em Educação do Campo”.

Durante o encontro foi entregue à coordenadora geral de Políticas de Educação do Campo do Ministério da Educação (MEC), Divina Bastos, um documento solicitando o posicionamento do MEC em relação a regulamentação das carreiras de docente por área do conhecimento e a criação imediata de uma comissão para a construção das diretrizes nacionais da licenciatura.

A coordenadora geral de Políticas de Educação do Campo da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Inclusão (Secadi), Divina Lúcia Bastos, salienta que “momentos como esses são muito importantes. Em que o coletivo, as universidades, os alunos e movimentos sociais têm oportunidade para debater a Educação do Campo e aproximar o máximo possível da realidade das escolas do campo. Tendo em vista que essa formação é para que esses professores possam atuar nas escolas do campo, nada melhor do que utilizar encontros como este para debater e fortalecer esses profissionais que vão atuar nas escolas do campo”.

Conforme a estudante do curso de Educação no Campo, Luana Carletto da Rosa, “estes encontros são fundamentais para a formação profissional. Um acadêmico de um curso de graduação não se forma baseado unicamente nas disciplinas que estuda em sala de aula. Por isso, avalio que eventos como este são fundamentais para a formação dos profissionais da área, são oportunidades para discutir a situação dos cursos e para a troca de ideias com pessoas de outras regiões. Isto, certamente, é enriquecedor”.