Começam os ensaios do Coral da UFFS em Laranjeiras do Sul

Publicado em: 07 de maio de 2014 08h05min / Atualizado em: 19 de janeiro de 2017 10h01min

Na última segunda-feira (5), aconteceu o primeiro ensaio do Coral da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), em atividade no Campus Laranjeiras do Sul. O coral tem atualmente 52 integrantes da comunidade acadêmica e da comunidade externa da UFFS.

A iniciativa surgiu após uma apresentação do coral da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). “No ano passado trouxemos o coral da UTFPR para fazer uma apresentação aqui em Laranjeiras do Sul, com a intenção de que, além da apresentação, incentivasse a formação de grupos de coral na cidade”, conta o professor Martinho Machado Júnior, articulador de Cultura da UFFS – Campus Laranjeiras do Sul.

Em dezembro do ano passado, a Articulação de Cultura convidou a regente do coral da UTFPR, Priscilla Battini Prueter, para realizar uma oficina de técnica vocal e expressão corporal no campus. A oficina trabalhou aquecimento vocal, imposição da voz, postura do corpo e, ao mesmo tempo, também deu um passo adiante para a formação do coral.

A partir daí, com muitas pessoas interessadas em participar, a professora Andréia Fey, formada em Música, se propôs a trabalhar a regência do coral.

“Em função disso, nós encaminhamos um projeto para o Bolsa Cultura, para termos dois bolsistas da Universidade trabalhando no projeto. Um projeto estruturado, no qual teremos crachás de identificação, pastas de partitura, camisas, cronograma de apresentações, e, principalmente, que este projeto seja contínuo dentro da universidade”, aponta o professor Machado Júnior.

O coral se soma a outros projetos de educação musical da UFFS – Campus Laranjeiras do Sul, como a orquestra e as aulas de instrumentos musicais. “Em termos de arte e música é o que nós temos hoje e a tendência é ampliar isso com as novas demandas”, acrescenta o articulador de Cultura.

Para ele, o primeiro ensaio do coral foi enriquecedor. “Foi ótimo, o pessoal saiu muito feliz. Temos uma mistura de culturas: jovens universitários, jovens da comunidade que ainda não estão em idade de serem universitários, senhores e senhoras, mães, avós. É essa mistura que faz a diferença, que traz riqueza para a Universidade”, opina o professor.