Mesa-redonda discute “Violência contra a mulher no campo e na cidade”
Evento ocorre na quarta-feira (9), no Centro Vocacional Tecnológico do Campus

Assessoria de Comunicação do Campus Laranjeiras do Sul

Publicado em: 03 de maio de 2018 11h05min / Atualizado em: 03 de maio de 2018 14h05min

Na próxima quarta-feira (9) ocorre, na UFFS – Campus Laranjeiras do Sul, mesa-redonda com a temática “Violência contra a mulher no campo e na cidade”. O debate será realizado a partir das 14h no Centro Vocacional Tecnológico do Campus. A atividade é aberta para estudantes, servidores, terceirizados e comunidade regional.

O evento tem como objetivo debater o tema da violência contra a mulher a partir dos estudos acadêmicos de gênero, das teorias feministas e do direito, bem como das políticas públicas de organizações governamentais na região da Cantuquiriguaçu que implementam ações de combate à violência.

A atividade terá como palestrantes a professora Maria Eloá Gehlen, da UFFS, a psicóloga do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Laranjeiras do Sul, Flávia Regina Fernandes Silva, a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CMDM), Terezinha Penafiel dos Santos, e o Delegado Subdivisional-Adjunto da 2ª Subdivisão Policial de Laranjeiras do Sul, Wilkinson Fabiano Oliveira de Arruda.

Conforme explica a docente Siomara Marques, uma das organizadoras do evento, a proposta surgiu a partir da disciplina Tópicos especiais: dinâmicas socioambientais na perspectiva de gênero, ofertada neste semestre pelo Mestrado em Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável (PPGADR). Siomara comenta que “propomos essa atividade por entendermos que não há desenvolvimento sustentável enquanto milhares de mulheres camponesas, quilombolas, indígenas, operárias, estudantes, professoras, brancas, negras, crianças, jovens, senhoras, entre outras, sofrem violência física, simbólica, moral ou psicológica, única e exclusivamente, pelo fato de ser mulher".

A atividade é organizada pelas docentes Josimeire Aparecida Leandrini, Liria Ângela Andrioli e Siomara Aparecida Marques do PPGADR, pelo Grupo PET/Conexão de Saberes – Políticas Públicas e Agroecologia e pelo Grupo de Estudos de Gênero do Campus Laranjeiras do Sul.