Palestra sobre desafios da agroecologia é realizada no Campus Laranjeiras do Sul

Publicado em: 09 de maio de 2014 08h05min / Atualizado em: 19 de janeiro de 2017 10h01min

Na última quinta-feira (8), foi realizada, na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Laranjeiras do Sul, a palestra "Os desafios para alimentar o mundo através da agroecologia", com Luiz Carlos Pinheiro Machado, professor aposentado da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A palestra faz parte do lançamento do livro "Dialética da agroecologia: contribuição para um mundo com alimentos sem veneno", escrito pelo professor Machado, em coautoria com Luiz Carlos Pinheiro Machado Júnior.

O livro aborda a história da revolução verde no Brasil, seus efeitos negativos e a questão do agronegócio, bem como apresenta soluções para sair da atual crise. "Esta é uma crise mundial e está comprometendo o ambiente de tal maneira que as possibilidades de sobrevivência são cada vez menores. Nós propomos um novo caminho, completamente oposto ao que existe hoje: produção limpa, que significa uma produção sem veneno, sem utilização de fertilizantes, e com níveis de produtividade iguais ou superiores aos do agronegócio", explica o professor Machado.

A palestra foi organizada pelo curso de especialização em Produção de Leite Agroecológico e pelo mestrado em Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável, ambos da UFFS – Campus Laranjeiras do Sul.

Para a professora do curso de especialização em Produção de Leite Agroecológico Josimeire Leandrini, a temática está muito presente nos cursos da UFFS – Campus Laranjeiras do Sul, tanto na graduação quanto na pós-graduação, e o lançamento do livro do professor Machado é oportuno para que esse tema ganhe ainda mais força. "Uma das linhas temáticas da UFFS é a agroecologia. O mestrado nessa área começou neste ano aqui em Laranjeiras do Sul. A graduação tem um enfoque voltado para a agroecologia. Tudo isso vem para contribuir com o fortalecimento da agroecologia como meio de produção e como temática, para fortalecer ainda mais nosso conhecimento", aponta a professora Josimeire.