Professora da UEPG realiza palestra sobre desafios da Educação do Campo em Laranjeiras do Sul

Publicado em: 15 de julho de 2014 08h07min / Atualizado em: 19 de janeiro de 2017 09h01min

Na última sexta-feira (11), foi realizada na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Laranjeiras do Sul a palestra "Desafios teóricos e práticos da Educação do Campo na atualidade", com a professora Maria Antônia de Souza, da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). O objetivo do evento foi promover a integração entre educadores e educandos envolvidos na construção da licenciatura em educação do campo, e também educadores da rede municipal de ensino da região, para juntos discutir essa temática.

A palestrante dividiu sua fala em três momentos. Primeiro fez uma breve retomada da educação do campo no Brasil. Em seguida, abordou o desafio teórico no movimento nacional da educação do campo do ponto de vista da construção de conhecimentos relacionados ao campo brasileiro e à problematização dos problemas escolares. Por último, Maria Antônia falou sobre o que é escola pública, quais são seus principais dilemas hoje e, ao mesmo tempo, quais são os dilemas enfrentados no processo de formação de professores.

"Nesse processo de formação de professores está o curso de Licenciatura em Educação do Campo. É claro que a educação do campo não se reduz à escola, mas os profissionais terão a escola, localizada no campo – que se pretende ser do campo – como principal lugar de trabalho", explica a professora Maria Antônia.

Para ela, é importante discutir a educação do campo na região da UFFS – Campus Laranjeiras do Sul por esta estar localizada numa região essencialmente agrícola. "O papel da universidade é discutir campo brasileiro, projeto de campo, outro projeto de sociedade. Então a gente tem que compreender o que é o modo de produção capitalista, que relações se passam nesse modo de produção, que confrontos estão presentes nesses dois blocos: de um lado trabalhadores, de outro lado grandes proprietários ou grandes áreas de produção", explica a palestrante.

"A universidade é o local deste debate, não só de pesquisadores, mas de coletivos que vivem do e no campo na região, e junto com esses coletivos, no ambiente universitário, pensar ou fortalecer um outro projeto de campo para a sociedade brasileira", defende a palestrante.

"Esta palestra foi pensada a partir da necessidade de organizarmos momentos de estudo e debate sobre os avanços e os problemas comuns nas experiências de construção das Licenciaturas em Educação do Campo. Discutir sobre os desdobramentos relacionados à área de conhecimento, a interdisciplinaridade, a produção teórica e a pesquisa em educação do campo, assim como as lutas pela efetivação e implementação dos projetos desses cursos são questões-chave neste momento histórico", aponta a professora Andrea Francine Batista, coordenadora do curso de Licenciatura em Educação do Campo: Ciências Sociais e Humanas.

A estudante da 5ª fase do curso de Interdisciplinar em Educação no Campo – Licenciatura Karine do Nascimento espera que a discussão sobre educação do campo fortaleça o reconhecimento do curso. "Vim assistir a palestra porque se refere bastante ao meu curso e espero que contribua mais e que seja decisivo no sentido de maior reconhecimento do nosso curso", opina a aluna.

Avani Agassi Baroni, diretora da Escola Municipal Rural Alfredo Rosa, localizada em Rio Bonito do Iguaçu, participou da palestra com a expectativa de ampliar seus conhecimentos. "Espero que a palestra venha nos ajudar na questão legal. Leis que amparem a escola integral, dentro dos direitos da criança, respeitando o horário, o tempo e os espaços de ensino", afirma a diretora.

Palestrante

Maria Antônia de Souza é doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas e atua na linha de pesquisa Movimentos Sociais, Práticas Educativas e Cidadania. Atualmente coordena o Núcleo de Pesquisa em Educação do Campo, Movimentos Sociais e Práticas Pedagógicas da UEPG. Desenvolve pesquisa sobre movimentos sociais e educação do campo e práticas pedagógicas. É autora de livros e capítulos de livros publicados sobre o tema movimentos sociais, educação do campo e pesquisa em educação.

A palestra foi uma realização do curso Interdisciplinar em Educação do Campo: Ciências Sociais e Humanas da UFFS – Campus Laranjeiras do Sul.