Projeto de extensão promove troca de conhecimentos entre cooperativas em Laranjeiras do Sul

Publicado em: 24 de abril de 2014 08h04min / Atualizado em: 19 de janeiro de 2017 10h01min

O Grupo de Estudos e Extensão em Comercialização e Agroecologia (Geeca) da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Laranjeiras do Sul promoveu ontem (23) uma visita de agricultoras da Associação de Grupos de Agricultura Ecológica (Agaeco), localizada em Turvo, à Cooperativa Agroindustrial 8 de Junho (Cooperjunho), em Laranjeiras do Sul. A visita serviu para que as agricultoras da Agaeco conhecessem o processo de panificação da Cooperjunho.

“Essas agricultoras produzem pães para a merenda escolar. Só que elas estavam precisando aprimorar receitas, melhorar a qualidade do produto. Então o Geeca promoveu esse intercâmbio para elas virem aqui conhecer o trabalho da Cooperjunho, para daí aprimorar o trabalho delas em Turvo”, explica o professor Julian Perez Cassarino, coordenador do projeto.

As agricultoras da Agaeco assistiram a uma apresentação da história da Cooperjunho, de como foi iniciada a panificação até os dias atuais, onde os produtos são vendidos e como é a comercialização. Depois foi feita uma visita à área de produção para conhecer os equipamentos, já que uma das necessidades da Agaeco é atualizar seu maquinário. Ali, as agricultoras conheceram receitas e boas práticas de higiene necessárias na fabricação dos produtos.

A próxima atividade do Geeca será uma oficina, no dia 7 de maio, em Turvo, com a participação da nutricionista do projeto de extensão. “Vamos juntar as receitas de quem faz produtos lá em Turvo para padronizar, juntar a experiência de todas e fazer uma receita só, porque a gente entrega nossos produtos nas escolas e eles estão pedindo uma padronização, então vamos tentar fazer isso”, informa Francielly Tluscik, presidente da Agaeco.

A agricultura Sueli Tilp conta que na cooperativa são produzidos biscoito de massa, pão, cuca e bolacha, além das verduras cultivadas na horta. Para ela, a visita à Cooperjunho “foi muito importante porque a gente nunca sabe tudo. Sempre a cada visita estamos aprendendo alguma coisa nova e tentando melhorar mais ainda”, aponta ela.

Irene Gonçalves Moreira Mendes, que participa da Agaeco há oito anos, mas somente há seis meses trabalha com panificação, também aproveitou a visita para aprender. “Foi ótimo. Tivemos novidades, novas receitas, novas amigas e conhecemos agora a universidade”, conta a agricultora.