Campus Passo Fundo sedia Curso de Educação Popular em Saúde

Publicado em: 30 de junho de 2014 15h06min / Atualizado em: 01 de fevereiro de 2017 16h02min

O Campus Passo Fundo da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) está sediando o Curso Livre de Educação Popular em Saúde, dirigido prioritariamente aos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Vigilância em Saúde dos municípios de Passo Fundo, Água Santa, Sertão e Pontão.

O curso iniciou no dia 27 de junho e segue nos dias 4, 11 e 18 de julho. Nesse período, os 80 participantes estarão reunidos com a equipe de mediação no auditório do Campus, cumprindo a etapa presencial do curso, composto também de momentos de educação à distância e atividades de campo, no cotidiano do Sistema Único de Saúde onde eles atuam.

O curso é uma iniciativa da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde e executado pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com as Secretarias Estaduais de Saúde, Escolas de Saúde Pública, Secretarias Municipais de Saúde e Universidades como a UFFS. O objetivo é aprofundar a Política Nacional de Educação Popular em Saúde (PNEPS-SUS) e tornar os profissionais da saúde protagonistas da sua implantação, qualificando seu trabalho especialmente no vínculo com as comunidades e os usuários do Sistema Único de Saúde. Até o final de julho em torno de 20 mil agentes de saúde e agentes de vigilância em saúde do Brasil serão capacitados através deste curso. No Rio Grande do Sul serão aproximadamente 2 mil.

A professora Vanderléia Pulga explica que o Campus Passo Fundo tem um Termo de Cooperação Técnica com a Secretaria Estadual de Saúde do RS e a Escola de Saúde Pública do RS para o desenvolvimento de ações de ensino, pesquisa e extensão na área da saúde. “Esta é uma das ações importantes desta parceria interinstitucional e se vincula à Coordenação Acadêmica e à articulação de extensão e cultura do Campus”, afirma.

O coordenador da 6ª Coordenadoria Regional de Saúde, Lauri Decarli, participou da abertura do curso e falou da importância da troca de experiências. “A aproximação entre os conhecimentos popular e científico é fundamental não apenas para formar profissionais, mas também para que eles se tornem parte da gestão e do controle social do sistema”.

Também presente na abertura do evento, o diretor do Campus Passo Fundo, Vanderlei de Oliveira Farias, expôs aos participantes que o contato direto dos estudantes de Medicina com os agentes comunitários de saúde contribui positivamente para a formação dos futuros médicos, principalmente no que se refere aos conhecimentos e às experiências em saúde pública.