UFFS – Campus Passo Fundo participa dos debates para a formação de cluster de saúde
Encontros estão sendo realizados com o objetivo de criar um cluster voltado para a área da saúde na cidade de Passo Fundo

Publicado em: 14 de novembro de 2017 16h11min / Atualizado em: 16 de novembro de 2017 10h11min

A UFFS – Campus Passo Fundo participa efetivamente dos debates envolvendo a formação de um cluster, conjunto de empresas e instituições que têm atuação em comum, voltado para a área da Saúde. A Associação Pró-Cluster é gerida pela Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Agronegócios de Passo Fundo – ACISA oferecendo encontros, painéis e convidando especialistas para desenvolvimento de ideias e troca de experiências.

Na última quinta-feira (9), gestores da saúde, universidades e lideranças municipais e regionais estiveram reunidos para discutir as perspectivas e os desafios de um cluster de Saúde. O encontro contou com o painel “Mapa do Cluster da Saúde de Passo Fundo - Dados Preliminares”, apresentado pela Produttare Consultores Associados; o painel “Cluster de Tecnologias para a Saúde no RS: desafios e perspectivas”, abordado pela diretora-presidente do BADESUL, Susana Kakuta. O encontro ainda contou com o painel “Medical Valley: histórico, governança e oportunidades”, ministrado pelo Diretor Executivo do Medical Valley, Tobias Zobel.

foto da palestra

O objetivo dos encontros é gerar um ambiente de socialização das premissas e cadeia geracional do grupo para a realização de mapeamento das competências do Cluster, elaborando um planejamento estratégico e um plano do sistema de governança do Cluster da Saúde de Passo Fundo.

foto do publico

Para Vanderlei de Oliveira Farias, Diretor do Campus Passo Fundo, “para produzir tecnologia ou soluções inovadoras voltadas para a área da saúde, é imprescindível que todos esses gestores ajam de forma integrada. É preciso que as universidades, hospitais, empresas de serviços, indústria e todos aqueles que trabalham direta e indiretamente na área de saúde se unam para que Passo Fundo seja vista como um Cluster, com uma estrutura forte, interligando a educação, a pesquisa e o serviço de saúde.

 

Arranjos Produtivos Locais

Os Arranjos Produtivos Locais (Cluster) é um aglomerado de empresas geograficamente próximas que apresentam especialização produtiva – que pode ser entendida como um setor dominante e, em geral, vira o nome do arranjo – e mantém ainda algum vínculo de cooperação e aprendizado entre si e outros atores, como governo, associações empresariais, instituições de ensino e pesquisa.

No Rio Grande do Sul, a cooperação local entre empresas é algo que vem sendo fortemente trabalhado desde 1999, quando o estado foi pioneiro na definição e execução de políticas de capacitação e fomento dos chamados arranjos produtivos locais – APL´s. O objetivo era aumentar a competitividade desses arranjos e descentralizar o desenvolvimento industrial, que tende a estar concentrado no eixo Porto Alegre-Caxias do Sul. Um estudo da Fundação de Economia e Estatística (FEE), de novembro de 2016, identificou 170 aglomerações produtivas industriais no estado, que respondiam por 47,9% do total de emprego e 32,3% dos estabelecimentos gaúchos.