Programa de formação docente da UFFS atende cerca de 400 professores do Sudoeste do PR
Programa está inserido ainda nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina

Assessoria de Comunicação do Campus Realeza

Publicado em: 27 de novembro de 2017 13h11min / Atualizado em: 27 de novembro de 2017 15h11min

A Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) está desenvolvendo um programa de formação continuada destinado a professores da Educação Pública dos municípios de Francisco Beltrão e Santo Antônio do Sudoeste. Iniciado nos dias 22 e 23 de novembro, o Programa Nos Caminhos da Práxis é resultado de um acordo de cooperação técnica com os municípios e busca atender as necessidades de qualificação, promovendo a produção e troca de conhecimentos, bem como fortalecendo o vínculo entre a Universidade e as redes municipais de educação na região.

Em Francisco Beltrão, a capacitação envolve a participação de aproximadamente 100 professores que lecionam nas Escolas do Campo. No município de Santo Antônio do Sudoeste, cerca de 300 professores também participam da formação que busca abordar  as temáticas de Educação Ambiental, Igualdade Étnico Racial, Indígena, Educação Especial, Direitos Humanos e Cidadania, Educação do Campo, Gestão Educacional, Identidade e Memória dos Sujeitos.

Coordenado pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PROEC) da UFFS, o Programa está inserido ainda nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, totalizando a adesão de 54 municípios e com a proposta de atender a 4.870 professores. "O objetivo é proporcionar um espaço de produção e troca de conhecimentos entre os professores da UFFS e os das escolas públicas da Educação Básica, proporcionando a formação continuada de todos professores envolvidos neste processo", comentaram as professoras Gisele Louro Peres e Ana Carolina Teixeira Pinto, coordenadoras adjuntas de Extensão e de Cultura, respectivamente, em Realeza.

Nos municípios do Sudoeste paranaense, as temáticas abordas buscam o desenvolvimento da Educação com a utilização de diferentes formas de linguagem, como teatro, música, poesia, literatura, histórias em quadrinhos, fotografia, entre outras, também a partir de oficinas em experimentação em Ciências e Língua Espanhola. A carga horária prevista para este primeiro ano de desenvolvimento do programa é de 40 horas.