UFFS – Campus Realeza cria mostra fotográfica que reúne memórias de professores e alunos

Publicado em: 29 de junho de 2016 09h06min / Atualizado em: 11 de janeiro de 2017 10h01min

Está exposta na UFFS  – Campus Realeza a Mostra Fotográfica "Quais as suas memórias?". Composta por 28 fotografias, a exposição apresenta material de formação de professores, boletins escolares das décadas de 1960 e 1970, entre outros documentos coletados na região Sudoeste do Paraná. A abertura oficial aconteceu na noite de terça-feira (28), quando houve debate sobre a importância da memória para o processo de educação. A mostra ficará no saguão do Bloco A até o dia 5 de julho.

Os materiais para a exposição foram coletados com professores, gestores e ex-alunos, nas cidades de Santo Antônio do Sudoeste, Barracão, Pérola d'Oeste e Bom Jesus do Sul, na primeira etapa, e nos municípios de Realeza, Santa Izabel do Oeste, Planalto e Capanema, na segunda fase. A grande meta do Projeto de Pesquisa é mapear a formação de professores nos 42 municípios do Sudoeste paranaense e, assim, criar um centro de memórias on-line, onde será possível acessar depoimentos, documentos e fotografias.

O Projeto está vinculado ao Grupo de Pesquisas (Trans)formação inicial, permanente e contínua de professores (Tripec) e conta com a parceria do Núcleo de Apoio Pedagógico (NAP) e do Projeto de Extensão que busca a implantação de um Centro de Memórias sobre a formação de professores do Sudoeste do Paraná.

Segundo um dos coordenadores, professor Ronaldo Aurélio Gimenes Garcia, os materiais que compõem a mostra foram coletados durante dois anos, sendo um dos objetivos dar visibilidade ao processo de formação de professores. "Queremos agradecer a todas as pessoas que contribuíram conosco fornecendo os materiais necessários para esta exposição", destacou.

Debate sobre a importância da memória

Para oficializar a abertura da Mostra Fotográfica "Quais as suas memórias?", foi realizado um debate sobre a importância da memória no processo de formação de professor. Foram convidados para a mesa-redonda os professores da Unioeste, José Kuiava (Cascavel) e André Paulo Castanha (Francisco Beltrão), e da Faculdade de Ampére (Famper), professora Marilce Auxiliadora Mari.

O grupo relatou algumas experiências na área da educação no Sudoeste e Oeste paranaense, assim como na região de fronteira. O debate evidenciou os primeiros colégios para formação de professores com os cursos de magistério nos anos de 1950 até os dias de hoje, os processos de treinamento de professores na década de 1970, além das dificuldades e aspectos positivos de lecionar em uma região de fronteira.