Dois dias para discussões envolvendo práticas de ações afirmativas nas IFES da Região Sul
4º Fórum das Ações afirmativas tem participação de 15 IFES da Região Sul

Publicado em: 14 de novembro de 2017 17h11min / Atualizado em: 14 de novembro de 2017 16h11min

A UFFS – Campus Chapecó recebeu, na segunda e terça-feira, representantes de 15 Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) da Região Sul para uma série de discussões ocorridas durante o 4º Fórum das Ações Afirmativas. O evento reuniu gestores em ações afirmativas das 15 IFES envolvidas, além de estudantes, comunidade acadêmica da UFFS e pessoas da comunidade regional. O principal propósito do Fórum é proporcionar espaços para compartilhamento de experiências e discussões sobre as formas que as IFES estão encontrando para consolidar as políticas de acesso e permanência. Durante os dois dias também foram pontuados os desafios vivenciados no dia a dia das instituições, nos diversos aspectos envolvidos.


A programação iniciou na tarde de segunda-feira (13) com a abertura oficial. O pró-reitor de Graduação, João Alfredo Braida, falou, na ocasião, da importância das discussões em torno das ações afirmativas, já que, em seu entendimento, “as políticas já estão consolidadas em se tratando do acesso, superando resistências históricas. Precisamos agora avançar bastante em ações que possibilitem a permanência e a conclusão dos estudos”. Para Braida, “o evento vai servir para debater assuntos em pauta, como possíveis fraudes no sistema de inclusão e a produção de procedimentos semelhantes, ou próximos disso, entre as instituições”.

Já a fala do reitor da UFFS, Jaime Giolo, foi na direção dos ganhos que a aplicação das ações afirmativas produzirá para a sociedade em termos geral. “Os estudos nesta área já estão em andamento. As mudanças estão sendo percebidas com a entrada destas pessoas, que antes não tinham condições de frequentar um curso superior, no mundo do trabalho de forma mais qualificada e em posições sociais e políticas mais elevadas. Esta diversidade vai refletir nas matrizes sociais, com outros olhares e outras vinculações”.

Ainda na tarde de segunda-feira, ocorreram as apresentações de relatos envolvendo o Eixo 1: Gestão das Ações Afirmativas, políticas de permanência e  convivibilidade, com a participação de gestores e estudantes da UFPEL, do IFRS – Campus Ibirubá, do IFRS – Campus Viamão, da UFPR e da UFFS. A programação do primeiro dia encerrou com a mesa de debate “A participação/atuação dos Movimentos Sociais na dinâmica e consolidação das ações afirmativas”. A atividade, com transmissão por videoconferência para os campi da UFFS e ao vivo pelo facebook da UFFS (Lives UFFS), teve a participação de representantes do Movimento Negro, da Organização Nacional de Cegos do Brasil e de representantes indígenas.  

Durante a terça-feira foram apresentados os demais eixos temáticos previstos na programação: pela manhã o Eixo 2: Monitoramento da autodeclaração e a atuação das comissões de verificação; e pela tarde o Eixo 3: Cotas para pessoas com deficiência, com gestores da UFPEL, UFSM, UFRGS, UFPR, IFRS, UNIPAMPA e UFFS. Pela tarde, aconteceram também relatos do Centro de Referências em Direitos Humanos e Igualdade Racial Marcelino Chiarello.

Os principais encaminhamentos resultantes dos debates serão reunidos na Carta Final do 4º Fórum das Ações Afirmativas – Chapecó. O documento pode servir de parâmetro para ações futuras a serem implementadas pelas IFES e também como subsídio a novas políticas a serem adotadas na área por instituições governamentais.