Estudante da UFFS vencedor do Prêmio Jovem Cientista recebe homenagem da Reitoria

Diretoria de Comunicação

Publicado em: 29 de outubro de 2015 00h10min / Atualizado em: 29 de outubro de 2015 00h10min

O reconhecimento ocorreu durante a realização do Módulo XIV do Programa de Formação em Pesquisa e Pós-Graduação da UFFS. O estudante da 10ª fase do curso de Arquitetura e Urbanismo do Campus Erechim, Deloan Edberto Mattos Perini, recebeu a homenagem de integrantes da Reitoria. Deloan foi o vencedor do XXVIII Prêmio Jovem Cientista 2015, na categoria Estudante de Ensino Superior. A entrega da premiação foi em Brasília, pela presidenta Dilma Roussef, no dia 15 de setembro.

Durante o evento, na tarde de quinta-feira (29), o autor da pesquisa “Modelo de agricultura urbana como inovação no processo de abastecimento de alimentos em cidades de pequeno porte”, juntamente com a professora orientadora, Marcela Alvares Maciel, contextualizou o estudo, falando da trajetória acadêmica e da participação em projetos de extensão “como um trabalho de amadurecimento que durou mais ou menos três anos”.

O Prêmio Jovem Cientista deste ano teve como tema “Segurança alimentar e nutricional”, com mais de 1900 inscritos. Na opinião de Deloan, o que pode ter pesado na decisão é a relevância da temática, que privilegia a interdisciplinaridade no estudo da readequação de espaços urbanos e alterações de políticas públicas, entre outros fatores. Para o reitor da UFFS, Jaime Giolo, o Prêmio “é a materialização de todos os ideais de vulto da Universidade. É um sinal de que a UFFS quer ter vinculações reais com o processo da vida regional”.

A premiação, concedida pelo CNPq, consiste de um valor em dinheiro e uma bolsa de mestrado para o estudante autor da pesquisa e de um aparelho notebook para a professora orientadora. Deloan pretende utilizar a bolsa em um projeto que dê continuidade ao tema da pesquisa. “A premiação está dando uma visibilidade que não esperávamos, despertando interesse de outras cidades e de outras instituições. É um reconhecimento em nível nacional, o que é muito bom para o curso e para a Instituição”, pondera.