Organização de Jornada tem participação de alunos da UFFS

Publicado em: 05 de novembro de 2010 08h11min / Atualizado em: 20 de março de 2017 09h03min

Compartilhar página Compartilhar via Facebook Compartilhar via Twistter Compartilhar via Google Plus

Alunos da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) estão participando da organização da Jornada pela Vida da Juventude. O evento principal, no dia 14 de novembro, em Xanxerê, será um encontro de reflexão e confraternização, com celebração, apresentações culturais e um show com o Padre Osmar Coppi.

Organizado pelas pastorais da Igreja Católica da Diocese de Chapecó, a Jornada tem parceria de entidades civis, movimentos sociais, escolas, congregações religiosas e ONGs.

Um dos alunos da UFFS que está integrado na organização do evento é Diego Isotton, acadêmico do curso de Licenciatura em Filosofia. Confira a opinião de Diego sobre como a participação social contribui para a formação dos acadêmicos:

UFFS – Como você acha que esse tipo de participação social contribui com a formação cidadã dos
jovens?

Primeiramente contribui porque esta atividade tem como objetivo principal refletir sobre a realidade juvenil. Ao olhar para a realidade dos/as jovens, olhamos para a realidade social onde os/as jovens estão inseridos/as. E olhando para esta realidade vamos percebendo que é necessário que a juventude seja cada vez mais protagonista de lutas sociais, tanto para enfrentar as violências que sofre, reivindicar direitos, bem como para fortalecer as iniciativas concretas que valorizam o jeito de ser dos/as jovens.

Também porque não agimos isoladamente, ou só dentro da Instituição Igreja que fizemos parte. Agimos através de iniciativas coletivas e em parceria com outras organizações e instituições locais e nacionais. Por exemplo, a Jornada parte de uma motivação que está acontecendo em nível de Brasil, que é a Campanha Nacional Contra Violência e Extermínio de Jovens bem como a Celebração dos 25 anos do Dia Nacional da Juventude. O primeiro Dia Nacional da Juventude realizado em Chapecó reuniu cerca de 30 mil pessoas, na época os jovens lutavam pela garantia do direito da terra, emprego e saúde. Com a Jornada, queremos sensibilizar muita gente sobre as violências que os jovens sofrem e lutar contra a violência e extermínio dos jovens.

UFFS – Em que sentido é possível aliar os conhecimentos da participação com os conhecimentos
adquiridos na universidade?

Diego – A universidade é o lugar onde se busca o conhecimento, onde se conhece o meio onde vivemos, assim também seus problemas e tentar buscar as soluções. Como dizia o magnífico reitor no primeiro dia de aula que aqui na UFFS não estamos formando só profissionais. Mas pessoas que irão levar seu conhecimento para mudar a vida das pessoas que nos cercam. É de real importância que os jovens estejam a par de tudo que acontece na juventude e que todos se sintam responsabilizados de refletir e tomar uma atitude, pois não é aceitável que 54 jovens morrem por
dia e não se faça nada. E é no espaço da universidade que se deve estudar isso.

Saiba mais sobre a Jornada em http://www.pjschapeco.org.br/jornada