Plenária Final da II COEPE reuniu delegados dos seis campi da UFFS
Depois de análise e votação, documento final da II Conferência de Ensino, Pesquisa e Extensão foi aprovado

Diretoria de Comunicação

Publicado em: 03 de abril de 2018 16h04min / Atualizado em: 04 de abril de 2018 07h04min

A Plenária Final da II Conferência de Ensino, Pesquisa e Extensão (COEPE) da UFFS foi realizada durante a sexta-feira, 29 de março, no auditório do Bloco B do Campus Chapecó. Durante todo o dia reuniram-se mais de 90 delegados dos seis campi da Instituição.

O evento teve como principal motivação a análise, discussão e aprovação de destaques ao documento-base da Conferência, depois de um período de realização de fóruns temáticos nos campi. Nestes espaços os participantes tiveram o desafio de organizar os debates e sistematizar os grandes temas a partir dos quais a UFFS e a comunidade regional elegeram as ações prioritárias nos campos do Ensino, da Pesquisa, da Extensão e da Cultura a serem implementadas nos próximos anos.

Na programação também constou o lançamento do vídeo institucional “A UFFS vista do alto”, para marcar o aniversário de oito anos do início das aulas. Depois de relato sobre a construção do documento pelo pró-reitor de Graduação, João Alfredo Braida, iniciaram as discussões em torno dos 134 destaques propostos pelos delegados.

Segundo a diretora de Cultura da UFFS e integrante da Comissão de Sistematização da II COEPE, Marlei Dambros, o texto aprovado na Plenária Final volta para a Comissão para nova revisão e sistematização. “Depois de concluída esta fase, o documento-base da Conferência estará disponível no site da UFFS para consulta”, relata Dambros.

Na opinião do reitor da UFFS, Jaime Giolo, “a COEPE é mais um momento de decisão coletiva tomada pela UFFS, uma universidade que carrega a marca de pertencer à sociedade, de incorporar as perspectivas postas pelas coletividades que compõem a região de abrangência dos campi. Adicionamos à ideia tradicional de Universidade um conteúdo mais intenso de participação na definição dos rumos da Instituição. A COEPE consiste, portanto, da reunião de material importante na orientação dos caminhos a serem trilhados daqui para frente”.

O professor Fábio Feltrin, do Campus Erechim, pontuou algumas questões relevantes na construção das propostas, entre elas as discussões que envolveram gênero e inclusão racial. “Acho que a universidade tem um papel fundamental em debater estes assuntos, de maneira acadêmica e conceitual, mobilizando um conjunto de conceitos bastante disseminado nestes campos de análise e, então, produzir conhecimento e reflexão”.

Entre os representantes dos discentes nos fóruns temáticos estava Tiago Prestes, do Curso Interdisciplinar em Educação do Campo em Laranjeiras do Sul. Para ele, a importância da participação dos estudantes no processo de definição dos rumos da Universidade está num olhar que pode passar despercebido pela percepção de outros segmentos da comunidade acadêmica. “Podemos trazer para o debate tanto demandas sociais quanto políticas. Pautar estas discussões dentro da COEPE é incluir-se nos processos que fazem parte da construção da UFFS”.

Para Tulio Vidor, representante dos servidores técnico-administrativos durante o processo de discussões, o evento destacou-se pelo interesse da comunidade regional em que a Universidade esteja preparada para cumprir sua função primeira, de representar um espaço de convergência das forças excluídas tradicionalmente do ensino superior nesta região. Para Vidor, “os avanços têm sido significativos no sentido de preparar a Instituição para receber identidades e grupos sociais diferentes e entender que este diferente não é uma pessoa que simplesmente não existe na sociedade. Então os desafios são inúmeros e os debates têm sido muito propositivos no sentido da UFFS destacar-se das outras no contexto nacional na ampliação de políticas internas e ações externas que contemplem as aspirações de ser uma instituição de fato plural e inclusiva”.

Fóruns temáticos discutidos nos campi da UFFS:
I – Agricultura Familiar e Agroecologia;
II – Meio Ambiente e Sustentabilidade;
III – Gestão, Cooperativismo, Economia Solidária e Políticas Públicas;
IV – Desenvolvimento Regional, Urbano e Políticas Públicas;
V – Saúde Pública/Saúde Coletiva;
VI – Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento Social;
VII – Educação;
VIII – Conhecimento, Currículo e Interdisciplinaridade na Perspectiva da Universidade Popular;
IX – Ações Afirmativas, Inclusão e Evasão;
X – Mobilidade Acadêmica e Internacionalização;
XI – Direitos Humanos e Cidadania;
XII – Consolidação e Expansão.