Quatro novos diretores de campus da UFFS são empossados

Publicado em: 05 de agosto de 2015 09h08min / Atualizado em: 10 de janeiro de 2017 17h01min

A Reitoria finalizou, na noite desta terça-feira (04), a primeira etapa das solenidades de transmissão de cargos dos diretores indicados pela comunidade universitária na consulta prévia.

Desde o dia 31 de julho, quatro novos diretores já assumiram seus cargos frente à direção dos campi, são eles: Vanderlei de Oliveira Farias, no Campus Passo Fundo; Anderson Andre Genro Alves Ribeiro, no Campus Erechim; Ivann Carlos Lago, no Campus Cerro Largo; e Lísia Michels no Campus Chapecó.

Na quinta e sexta-feira, dias 06 e 07, será a vez dos campi do Paraná realizarem as solenidades. No Campus Realeza, o evento será no dia 06, às 16h, e quem assume é o professor Antonio Marcos Myskiw. Já no Campus Laranjeiras do Sul, a solenidade será no dia 07, às 19h30, e o cargo de Diretor será transmitido à professora Janete Stoffel.

 

 

Campus Passo Fundo

Durante a solenidade em Passo Fundo, o atual Diretor Vanderlei de Oliveira Farias, que também foi o indicado pela comunidade na consulta prévia realizada em maio, destacou o desafio de implantar um Campus novo. “O nosso desafio foi, sempre, construir junto com a cidade de Passo Fundo e região uma Universidade sem muros, preocupada sobretudo com as demandas da sociedade, uma Universidade agregadora de forças”, afirmou.

Segundo Farias, grandes passos já foram dados, mas ainda há muito a fazer. “Nesse período pro tempore, além do adensamento da relação com a comunidade, o Campus também recebeu a área para edificação de sua estrutura definitiva. O futuro está repleto de desafios e nós do Campus Passo Fundo estamos afoitos em passar por todos eles, não nos faltará, para isso, persistência e coragem”, finalizou.

Campus Erechim

Emoção foi o sentimento que prevaleceu na posse do Diretor indicado Anderson Andre Genro Alves Ribeiro e na despedida do Diretor pro tempore, Ilton Benoni.

Professor da UFFS – Campus Erechim desde 2010, Ribeiro conta que quando chegou na Universidade não tinha a pretensão de assumir cargos de gestão. “Eu venho de uma escola de Universidade que é bem acadêmica. Eu me formei na UFRGS, fiz doutorado na UFRGS e estava trabalhando com docência. Quando fiz o concurso para a UFFS, e surgiu a oportunidade de vir para cá, eu pensei que seria interessante atuar em uma Universidade nova, pois aqui se teria a possibilidade de influenciar nas coisas, ter uma maior participação, e foi a partir daí comecei a atuar no Conselho de Campus, no Conselho Universitário, para ter participação na construção das diretrizes que vão servir para o resto da vida da Universidade, porque são nesses primeiros anos que se estabelece a cultura da instituição”, diz.

Para ele, assumir a direção da UFFS – Campus Erechim é um desafio, que pretende superar com o apoio da comunidade universitária, que engloba a comunidade acadêmica e a comunidade regional. “Eu sei que é um desafio grande, mas existe um grupo forte, muito disposto a colaborar construindo essa proposta. Eu gostaria de contar com a comunidade universitária para a construção dessa gestão, construir um projeto junto com os segmentos da comunidade universitária foi o que nos propomos a fazer”.

Avaliação

Desde 2010, quando a UFFS foi instalada, a direção do Campus Erechim foi exercida pelo professor Ilton Benoni da Silva. Segundo ele, esse período inicial pode ser considerado como o de construção das bases institucionais. Benoni afirma que em um olhar retrospectivo aos mais de cinco anos da gestão que se encerra, é possível dizer que o centro de todo o processo foi o cuidado com o que foi denominado de “a pedagogia da construção da Universidade”. “Todos os esforços foram no sentido da materialização de um campus universitário, via uma gestão plural, estimuladora do protagonismo democrático dos indivíduos, dos grupos e dos diversos campos de formação e de áreas de conhecimento. Cuidamos, portanto, do provimento da vida material do novo Campus, mas, também e principalmente, das bases da cultura acadêmica, administrativa e política. O que se pode afirmar, ao final dessa jornada da sua primeira etapa de implantação, é que a universidade sonhada e pela qual muito se lutou, no que tange a sua materialização no Campus Erechim, pelo esforço de muitos, é uma realidade embasada, forte e com futuro muito promissor”, finaliza.

 

Campus Cerro Largo

A transmissão de cargo no Campus Cerro Largo aconteceu no dia 03 de agosto. Uma segunda-feira especial para o Campus. Em seu pronunciamento, o diretor pro tempore, Edemar Rotta, destacou que a sua gestão trabalhou três eixos principais: a formação/consolidação da comunidade acadêmica do Campus, a atuação da UFFS junto à comunidade regional e a construção da estrutura física do Campus Cerro Largo. “Em todos os momentos buscamos uma gestão plural, dialogando com todos, independente da matriz política e ideológica, pois entendemos que a Universidade é exatamente o espaço da diversidade. A UFFS se consolidou como uma Universidade pública, gratuita e de qualidade, com uma proposta clara para a comunidade regional”, finalizou.

Falando sobre os desafios frente à direção do Campus, o novo diretor indicado Ivann Carlos Lago destacou: “o trabalho de diretor, assim como o dos docentes, técnicos-administrativos e terceirizados, tem um único sentido: tornar possível a vida no campus e a formação dos acadêmicos. O apoio que recebi de todos os segmentos, especialmente da comunidade acadêmica, é motivo de inspiração e de motivação para uma gestão coletiva, baseada na confiança e competência dos profissionais que atuam no Campus Cerro Largo”, enfatizou.

Campus Chapecó

Durante a solenidade em Chapecó, na última terça-feira (04), o então diretor pro tempore e atual pró-reitor de Planejamento da UFFS, Charles Schultz, falou sobre a fase de implantação de um Campus novo, como o de Chapecó. “O Campus Chapecó foi o último Campus da UFFS a ser criado e a nossa gestão teve o desafio de instituir no âmbito do Campus a estrutura própria de administração e de gestão acadêmica, além de ajudar a criar uma cultura de campus. Encontramos algumas dificuldades, mas nenhuma que não pudesse ser transposta. Me sinto tranquilo e desejo à professora Lísia, que agora assume essa gestão, muito sucesso na condução das atividades do Campus”, afirmou.

Lísia Michels, que é Doutora em Psicologia da Educação e ingressou na UFFS em 2011, afirmou que sua gestão priorizará a coletividade. “Nossa intenção é primar pelo diálogo e pelo relacionamento interpessoal, pois nosso Campus é composto por pessoas. É um desafio bastante grande atender às demandas do campus, mas estamos dispostos e com fôlego e precisamos da ajuda e participação de todos os docentes, técnicos-administrativo, terceirizados e discentes. Por fim, gostaria de agradecer a todos que acreditaram na nossa proposta durante a consulta prévia e nos possibilitaram estar na Direção do Campus Chapecó hoje”, afirmou.