UFFS finaliza processo de reestrutura do Domínio Conexo nos cursos de Licenciatura
Domínio Conexo dos cursos de Licenciatura passam a assumir mais dimensões formativas

Publicado em: 23 de outubro de 2017 14h10min / Atualizado em: 23 de outubro de 2017 15h10min

A Câmara de Graduação e Assuntos Estudantis (CGAE) do Conselho Universitário aprovou, no mês de setembro, a Resolução Nº 09/CONSUNI CGAE/UFFS/2017, que estabelece a estrutura do Domínio Conexo entre os cursos de Licenciatura ofertados nos campi Laranjeiras do Sul, Cerro Largo, Chapecó, Realeza e Erechim. As discussões com a comunidade acadêmica para a formulação da proposta iniciaram em março de 2017 e estenderam-se até o mês de setembro.

As mudanças na estrutura do Domínio Conexo dos cursos de Licenciatura da UFFS atende a exigências legais da Resolução Nº 2, de 1º de julho 2015 do Conselho Nacional de Educação (CNE), a qual estabeleceu as novas Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior e para a formação continuada. Também estão em conformidade com a Resolução Nº 02/CONSUNI CGAE/UFFS/2017, referente à aprovação da Política Institucional da UFFS para Formação Inicial e Continuada de Professores de Educação Básica.

De acordo com o pró-reitor de Graduação, João Alfredo Braida, há uma exigência de que as instituições de Ensino Superior tenham uma política institucional e formação inicial e continuada de professores em conformidade com estas determinações legais, e de que os Projetos Pedagógicos dos Cursos (PPCs) sejam reformulados em um prazo máximo de três anos a contar da publicação da Resolução do CNE, em 1º de julho de 2015.

Braida salienta que, com as propostas, o Domínio Conexo dos cursos de Licenciatura da UFFS passam a assumir mais dimensões formativas na sua estrutura, como a educação para a inclusão e a diversidade, a formação para a gestão da educação e coordenação pedagógica e a pesquisa em educação. “Os cursos terão uma articulação mais forte e orgânica com a docência para a Educação Básica, superando a histórica fragmentação entre a formação nas áreas específicas e a formação para a docência. Também terão uma maior articulação entre o Ensino, a Pesquisa e a Extensão, pois os PPCs deverão apresentar os eixos nos quais se estruturam a Pesquisa e a Extensão. Outro ponto importante é o estabelecimento de, no mínimo, 400 horas de atividades práticas como Componente Curricular, unindo teoria e prática, articuladas com a Pesquisa e a Extensão”.
 
De acordo ainda com o pró-reitor de Graduação, as mudanças já estão em curso, com o processo de reformulação dos PPCs ocorrendo nos colegiados. “Os cursos que encaminharam as propostas de reformulação até a primeira quinzena de outubro terão a possibilidade de ingresso das turmas novas em 2018 já nesta nova configuração curricular. Os demais cursos terão até julho de 2018 para concluírem o processo de reformulação. No início de 2019, todos os cursos de Licenciatura da UFFS estarão com projetos novos”.