UFFS participa de mais uma operação Rondon

Diretoria de Comunicação

Publicado em: 17 de março de 2016 13h03min / Atualizado em: 17 de março de 2016 13h03min

Encerrou no último final de semana, em Rio do Sul (SC), mais uma operação do Núcleo Extensionista Rondon (NER) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Na Operação Alto Vale, participaram alunos, docentes e técnicos-administrativos de vários campi da UFFS.

Durante dez dias, juntamente com um grupo formado por mais de 200 acadêmicos e servidores da Udesc e das universidades parceiras, os rondonistas realizaram cerca de 1.400 atividades, envolvendo mais de 60 mil pessoas na região do Alto Vale do Rio Itajaí, compreendida pelos 20 municípios parceiros: Ibirama, Agronômica, Atalanta, Dona Emma, Imbuia, Ituporanga, José Boiteux, Laurentino, Lontras, Mirim Doce, Petrolândia, Pouso Redondo, Presidente Nereu, Rio do Campo, Rio do Oeste, Santa Terezinha, Taió, Trombudo Central, Vitor Meireles e Rio do Sul.

As atividades contemplaram as temáticas da Política Nacional de Extensão: comunicação; cultura; direitos humanos e justiça; educação; meio ambiente; saúde; tecnologia e produção; e trabalho, por meio de oficinas, rodas de conversa, palestras e dinâmicas.

De acordo com o professor Marcos Roberto dos Reis, do Campus Chapecó, que participou da Operação na cidade de Presidente Nereu, “cada participação no Projeto Rondon me faz viver uma experiência rara, onde se misturam energia, desafio, dedicação, doação, alegria e companheirismo. Viver o Rondon é único em cada situação. Te torna mais forte, mais preparado para viver as adversidades da vida e desperta o companheirismo que existe em cada um de nós”.

O servidor Jorge Luiz dos Santos de Souza, do Campus Passo Fundo, aponta a experiência no Rondon como desafiadora. “Ir pra um lugar onde não se conhece nada com outros completos desconhecidos mas objetivando o bem comum é uma loucura e muito enriquecedor. Conseguimos fazer 64 oficinas num total de 3.072 atendimentos em todos eixos preconizados pelo projeto Rondon. Creio que todos deveriam, ao menos uma vez na vida, participar do Rondon”, afirma.

A acadêmica de Agronomia do Campus Laranjeiras do Sul, Leonéli Fandres Wrublak, conceitua o Rondon como inexplicável, mas, mesmo assim, tenta resumir: “a operação é algo único, é viver intensamente cada minuto e fazer desse minuto a diferença na vida de alguém. Pode ser que não mudamos o mundo mas, certamente deixamos várias sementinhas para serem cultivadas. O Rondon me fez amadurecer tanto profissionalmente como pessoalmente, é preciso coragem para enfrentar os desafios e as injustiças que nossa sociedade enfrenta e certamente o Rondon me proporcionou essa coragem de buscar novas alternativas para uma sociedade em que se sabe a teoria mas não se coloca em prática”.

Já para o acadêmico Tiago Chiapinotto, do curso de Letras – Português e Espanhol do Campus Cerro Largo, tudo era novidade. “Entrei no Rondon sem saber ao certo como funcionava, mas com o andar do projeto eu descobri que a graça é não ter muitas informações mesmo. Conheci um grupo de estudantes que estava disposto a fazer alguma coisa diferente, não só de uma teoria utópica, mas querendo colocar em prática o que aprendeu na sala de aula. Minha equipe contava com pessoal de diversas áreas, acho que é característico do projeto, e foi interessante como conseguíamos mesclar nossos conhecimentos, acadêmicos ou de mundo, para conseguir repassar novas ideias. Essa primeira operação foi um impulso para me repensar enquanto profissional e cidadão”.

O Pró-reitor de Extensão e Cultura da UFFS, Emerson Neves da Silva, participou do evento de encerramento da operação. Segundo ele, “a participação da UFFS é estratégica para o processo de formação acadêmica dos discentes, uma vez que tiveram a oportunidade de interagir com múltiplas realidades sociais e saberes populares. De outra parte, o saldo da participação na Operação Alto Vale do Itajaí também é positivo na medida em que fortalecerá a discussão referente a constituição do Programa Rondon da UFFS”.

Participaram dessa operação: Chaline Evangelho Meyer (TAE – Campus Laranjeiras do Sul) e Jorge Luiz dos Santos de Souza (TAE – Campus Passo Fundo); Marcos Roberto dos Reis (docente – Campus Chapecó) e os acadêmicos: Campus Cerro Largo: Tiago Miguel Chiapinotto (Letras – Português e Espanhol); Campus Chapecó: Jéssica Ferreira, Ianka Cristina Celuppi e Simone Kappes (Enfermagem), Eliana Capitanio (Engenharia Ambiental) e Tainara Silva (Administração); Campus Erechim: Silvana Pires de Matos e Walmir Celestino de Andrade Júnior (Geografia); Campus Laranjeiras do Sul: Leoneli Fandres Wrublak (Agronomia); Campus Realeza: Rafael Moscon (Medicina Veterinária) e Daniela Hansen (Química).