Em evento, pesquisadores discutem fatos históricos de Chapecó
A colonização e o linchamento foram abordados por professores da UFFS

Assessoria de Comunicação do Campus Chapecó

Publicado em: 30 de agosto de 2017 21h08min / Atualizado em: 31 de agosto de 2017 08h08min

O seminário “O processo de colonização de Chapecó e o Linchamento” encerrou com um conteúdo histórico importante a programação alusiva ao Centenário de Chapecó na UFFS. Foi na noite de quarta-feira (30), com as apresentações dos professores José Carlos Radin e Monica Hass.

O professor Radin iniciou desmistificando os cem anos de Chapecó. “A história de Chapecó começa muito antes da lei 1147, de 25 de agosto de 1917. Habitavam este território populações indígenas e caboclas, por exemplo”, ressaltou.

Contextualizando a época, Radin mostrou como a região era apresentada: “um território ‘vazio’. Nega-se a existência das populações que aqui estavam e, em nome da ‘modernidade’ do país, implementou-se a ideia de ‘colonizar os sertões’”, enfatizou. O “sertão” do Oeste catarinense passou, então, a receber imigrantes ou descendentes de imigrantes. O claro objetivo era que eles imitassem o que foi feito, em termos de “progresso”, o que foi feito na Europa e Estados Unidos.

Depois, a professora Monica abordou um fato marcante ocorrido em outubro de 1950 em Chapecó: o linchamento de quatro pessoas. Segundo ela, que pesquisou o tema, inicialmente em seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) no curso de Jornalismo, o assunto era – e persiste sendo – um tabu. “Isso se evidencia nas falas e reações dos entrevistados. Era proibido falar do assunto, já que parentes, vizinhos e amigos estavam envolvidos de alguma forma no fato”, ressaltou.

A professora avaliou, com base no que vem pesquisando há anos, que os resquícios do coronelismo persistem em Chapecó. “O coronelismo vai sobrevivendo, persistindo, se reconfigurando em novos contextos, mas com o mesmo padrão de mandonismo”.

Centenário de Chapecó

Embora os eventos alusivos ao Centenário, previstos na UFFS – Campus Chapecó, já tenham encerrado, a Exposição Fotográfica “Chapecó de ontem e hoje: imagens de uma trajetória centenária” segue no hall do Bloco da Biblioteca. Durante o período, foram realizados exibições de documentários, discussões, lançamentos de livros e o seminário de quarta-feira (30).