SAE lança campanha “Acolha um Calouro”
Servidores e estudantes que queiram ajudar calouros que vivem os primeiros momentos em Chapecó podem se cadastrar até o fim de janeiro

Publicado em: 17 de janeiro de 2018 10h01min / Atualizado em: 17 de janeiro de 2018 10h01min

Uma ação do Setor de Assuntos Estudantis (SAE) da UFFS – Campus Chapecó pretende diminuir as dificuldades dos calouros nos primeiros dias de adaptação numa nova cidade. Para isso, servidores (professores e técnicos) e estudantes que tiverem um espaço para receber um ou mais calouros podem se cadastrar na campanha “Acolha um Calouro” e contribuir para que os que chegam tenham um certo amparo no início da jornada na universidade e longe de casa.

A campanha, esclarece a chefe do SAE, Dulce Maria Di Mare, não é institucional, e a UFFS – Campus Chapecó não é responsável pelos estudantes e nem pelo espaço oferecido. “Queremos fazer a ponte entre o estudante que chega na cidade, sem conhecer ninguém, sem saber previamente onde ficará, e quem se disponibiliza a ajudar”, explica.

Os cadastros podem ser feitos até o fim de janeiro. Basta informar, por e-mail (envio para sae.ch@uffs.edu.br), nome, endereço, telefone, quantidade de calouros a receber, custo ou não da hospedagem, tempo disponível, e outras informações.

A Assistente Social do SAE, Larissa Brand Back, ressalta que a ideia é organizar um banco de dados a partir de 2018.1. “Percebemos, pela experiência dos anos anteriores, que os estudantes chegam com muitas dificuldades. Uma delas é onde ficar; um lugar inicial até conhecer colegas, escolher onde morar, procurar um aluguel que se adéque as suas condições. Ter onde ficar nos primeiros dias numa cidade diferente, na qual a pessoa nunca esteve antes, é um diferencial para a maioria dos nossos estudantes”, explica.

Larissa lembra, ainda, que muitos estudantes da UFFS – Campus Chapecó apresentam vulnerabilidades – socioeconômicas, por exemplo. Segundo ela, os calouros que vêm de regiões mais distantes, acabam fazendo a matrícula (a primeira chamada será no início de fevereiro) e não voltam para casa até o início das aulas (que será no início de março) em função dos gastos com passagens. Portanto, durante todo o período – que nesse semestre será de aproximadamente um mês -, o estudante precisa morar em algum lugar. Porém, até o início das aulas geralmente os calouros não conhecem ninguém para dividir aluguel, por exemplo. “Eles chegam na expectativa da vaga, mas para muitos essa é a primeira vez que saem de suas cidades e, além disso, vêm com pouco apoio financeiro”.
Conforme Dulce, essa é uma estratégia que também faz parte da missão de diminuir a evasão nos cursos de graduação. Pela percepção da equipe do SAE, sem esse acolhimento inicial, muitos estudantes acabam desistindo de ficar na cidade e perdem a vaga na UFFS.

Aluguéis

Segundo Dulce, o cadastro também pode ser utilizado por quem já está estabelecido na cidade e deseja dividir o aluguel e as despesas. Mesmo assim, o mural do SAE segue disponível para que os estudantes coloquem suas ofertas de divisão de moradia e despesas.