Campus Erechim: I Seminário de Educação do Campo e História Oral está com inscrições abertas

Publicado em: 06 de agosto de 2013 13h08min / Atualizado em: 06 de janeiro de 2017 10h01min

A Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) e a Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI) – Campus Erechim sediarão o I Seminário Regional de Educação do Campo: projetos político-pedagógicos de escolas do campo no Rio Grande do Sul e I Seminário de História Oral: a memória da luta pela reforma agrária na Fronteira Sul do Brasil. O evento conjunto será realizado de 2 a 4 de outubro e as inscrições para ouvintes e para expositores de trabalhos já estão abertas.

O prazo de inscrições para apresentação de trabalhos vai até 31 de agosto, já para ouvintes segue aberto até 15 de setembro. Informações sobre os procedimentos de inscrição podem ser obtidas no blog:seminarioeducacaocampoerechim.blogspot.com.br/.

O objetivo do evento é compartilhar experiências e pesquisas que tenham relação com a Educação Popular, Educação do Campo e História Oral, integrando estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores, membros de movimentos sociais, educadores populares e demais pessoas interessadas nessas temáticas.

Poderão ser socializados tanto trabalhos de pesquisa quanto reflexões teóricas sobre experiências educativas, que podem estar relacionados ao espaço urbano ou ao campo. São oito eixos nos quais os trabalhos poderão ser inscritos: História do Campo: a questão agrária e educacional; Trabalho, Cultura e Educação do Campo; Estado, Políticas Públicas e Educação do Campo; Alternativas de Produção e Reprodução Social; Práticas Pedagógicas e de Gestão Escolar na Educação Básica; Práticas Alternativas de Ensino Superior em Educação do Campo; Práticas Pedagógicas da Educação Indígena; e Práticas Pedagógicas da Educação Quilombola.

Programação

Conforme os organizadores, a proposta do evento é que ele se desenvolva de maneira participativa, por isso há, na programação, a previsão de conferências, painéis, apresentações de trabalhos e um "espaço cultural" (a programação completa pode ser acessada no blog do evento).

A conferência de abertura, no dia 2 de outubro, será ministrada por João Pedro Stédile, que é integrante da coordenação nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e da Via Campesina. É formado em Economia na PUC-RS, com pós-graduação no México, e publicou livros sobre a questão agrária e luta de classes.

Já a conferência de encerramento será ministrada por José Eustáquio Romão. Graduado em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (USP), atualmente é professor do curso de Mestrado em Educação na Universidade Nove de Julho (Uni

nove). Ele é um dos fundadores do Instituto Paulo Freire e coordenador da Cátedra do Oprimido, vinculada à Universitas Paulo Freire (Unifreire). É autor de vários livros, dentre os quais se destacam: Poder local e educação (1992), Avaliação dialógica (1998); Dialética da diferença (2000); e Pedagogia dialógica (2002).

Além da UFFS – Campus Erechim e da URI, as seguintes organizações são promotoras do I Seminário Regional de Educação do Campo e do I Seminário de História Oral: Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica Apuaê-Inhandava, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater/RS), Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar da Região Sul (Fetraf-Sul), Fundação Nacional do Índio (Funai), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) – Campus Erechim, 15ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), Secretaria Municipal de Educação de Erechim, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Via Campesina e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).