UFFS – Campus Erechim capacita professores para atuação inédita na educação indígena

Publicado em: 29 de maio de 2012 13h05min / Atualizado em: 05 de janeiro de 2017 11h01min

A Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Erechim, através do Programa de Formação Docente, está colaborando com a implantação da primeira instituição de Educação Infantil Indígena no país. A Escola Municipal Indígena de Educação Infantil Gĩr Sĩ, que deve entrar em funcionamento ainda no primeiro semestre deste ano, está localizada na Terra Indígena Votouro, município de Benjamin Constant do Sul/RS e irá atender crianças de zero a três anos.

A participação da UFFS – Campus Erechim no projeto se dá por meio da formação dos professores indígenas que irão trabalhar na escola. Conforme o coordenador do Programa de Formação Docente da universidade, Rodrigo Saballa de Carvalho, o objetivo é desenvolver uma proposta pedagógica que contemple e valorize a realidade e a cultura local e, ao mesmo tempo, possibilite o acesso ao conhecimento universal. “A ideia é ouvir os índios e colaborar com a construção de uma proposta voltada para o atendimento qualificado das crianças”, explica.

Para o professor, é fundamental a participação da comunidade indígena na elaboração do Projeto Político Pedagógico (PPP) da escola e das atividades que serão desenvolvidas com as crianças durante o ano letivo. “Trata-se de uma experiência pioneira em nosso país, pois é a primeira Escola de Educação Infantil a ser implantada em uma reserva indígena”, observa.

A escola

Conforme Carvalho, a demanda por uma escola de Educação Infantil surgiu da própria comunidade indígena, tendo em vista a necessidade de um espaço adequado para deixar as crianças enquanto as mães trabalham. O prédio está sendo edificado com recursos do Governo Federal e a responsabilidade pelo funcionamento é da prefeitura de Benjamin Constant do Sul. “A comunidade indígena indicou os professores, pois eles não querem que as crianças percam o vínculo com a cultura local, a diretora é a única pessoa não índia que irá trabalhar na escola”, explica Carvalho.

Os educadores iniciaram o curso de Pedagogia no primeiro semestre deste ano em uma instituição privada de Ensino Superior. Segundo o professor, a colaboração da UFFS com a formação dos professores escolhidos é muito importante, especialmente por muitos deles nunca terem trabalhado com crianças dessa faixa etária e não conhecerem o funcionamento de uma Escola de Educação Infantil.

“A intenção é conciliar os conhecimentos populares advindos da cultura indígena com os conhecimentos relativos à ação pedagógica na Educação Infantil decorrentes das pesquisas que desenvolvemos na UFFS. Estamos coletando informações para conhecermos a cultura local e trazermos pessoas da comunidade para desenvolver um trabalho cooperativo com a escola”, afirma Carvalho.

O projeto pedagógico ainda está em construção, em conjunto com as famílias, mas os pesquisadores da UFFS já esboçaram algumas diretrizes. “Estamos pensando em uma proposta em que as crianças possam circular livremente pela escola, embora tenham uma professora como referência de sua turma. Trata-se de pensar uma Educação Infantil com tempos e espaços flexíveis, que possibilitem a interação e a produção das culturas infantis”, diz Carvalho.

Os encontros entre a equipe da UFFS – Campus Erechim e os professores indígenas acontecem uma vez por mês. A capacitação vai até o final deste ano.

Contribuição

O Programa de Formação Docente está colaborando, ainda, com o aprimoramento de professores de diferentes áreas dos anos iniciais e finais do Ensino Fundamental da Escola Estadual Indígena Toldo Coroado, também localizada na reserva Votouro. Segundo a professora da UFFS e responsável pela formação desses professores, Zoraia Aguiar Bittencourt, “a proposta de formação continuada interdisciplinar vem atender a uma demanda dos docentes que, a partir de ciclos de estudos compartilhados, buscam uma educação cada vez mais qualificada para as crianças indígenas da região”.

Além dos professores, atuam no projeto as bolsistas de extensão da UFFS – Campus Erechim Marla Mingotti, do curso de Pedagogia, e Evelyn Rosinski, de História.