Projeto de Extensão oferece oficina da língua espanhola em escolas de Chapecó
Neste semestre, as oficinas serão ofertadas nas escolas Valesca Parizotto, Sonia Zani e Pedro Maciel

Assessoria de Comunicação do Campus Chapecó

Publicado em: 20 de abril de 2018 08h04min / Atualizado em: 20 de abril de 2018 11h04min

O projeto de Extensão “A língua espanhola em cena” oferece oficinas de Língua Espanhola para alunos do ensino fundamental e do ensino médio em escolas públicas de Chapecó, como meio de proporcionar campo de estágio para os estudantes matriculados na disciplina Estágio Curricular Supervisionado em língua espanhola II do curso de Letras Português e Espanhol – Licenciatura, do Campus Chapecó.

Em Chapecó, a disciplina de Espanhol não é ofertada nas escolas da rede pública. Portanto, além da oportunidade dos acadêmicos terem a experiência do estágio, o projeto busca despertar o interesse dos estudantes pela língua espanhola, com atividades que proporcionem o conhecimento necessário para que possam interagir em língua espanhola em nível básico, em diferentes situações cotidianas. Nas atividades, a língua é trabalhada a partir de aspectos culturais e dos mais diversos gêneros textuais e discursivos.

Neste semestre, as oficinas serão ofertadas nas escolas Valesca Parizotto e Sonia Zani para nível fundamental e na escola Pedro Maciel para ensino médio. Os estudantes das escolas terão a oportunidade de aprender, por exemplo, as formas de cumprimentar e despedir-se formal e informalmente; reconhecer roupas e acessórios que as pessoas usam e diferentes situações sociais; identificar pratos típicos de países hispanofalantes e do Brasil e conhecer o vocabulário necessário para falar sobre a rotina diária.

De acordo com a coordenadora do projeto, a professora Maria José Laino, são realizadas aulas de Espanhol, maioritariamente de grupos de vocabulário em língua espanhola, com o objetivo de fazer uma introdução à língua, levando em consideração que os alunos das escolas nunca tiveram contato com o estudo da língua espanhola. “As aulas são dadas numa perspectiva lúdica, numa tentativa de fugir do formato tradicional das disciplinas obrigatórias da grade curricular dos estudantes das escolas e são ministradas em língua espanhola”, explicou.

Para Maria, a receptvidade dos estudantes das escolar tem sido excelente. “Todos os alunos estão lá por opção e percebe-se o interesse pela língua espanhola, por meio das dúvidas apresentadas e pela participação nas atividades e dinâmicas propostas pelos estagiários. As oficinas acabam sendo uma opção de segunda língua aos alunos, que têm somente o Inglês como língua obrigatórias nas escolas”, afirmou.

Segundo a estudante da 7° fase do curso de Letras – Português e Espanhol que também ministra as oficinas, Karoline Aparecida de Oliveira, é muito importante para os acadêmicos possuírem esse contato em sala de aula, tanto para praticarem suas habilidades com a segunda língua, quanto para conhecer a realidade das salas de aula. “Já para os estudantes das escolas, é uma oportunidade única de conhecer uma nova língua, de estudar sobre a cultura de um outro país. Na maioria das vezes essas oficinas ofertadas são a única possibilidade que os estudantes de escola pública têm para conhecer o Espanhol. Creio que essa troca de conhecimentos, unindo a necessidade dos acadêmicos em possuírem um lugar para realizar os estágios e os estudantes em ter acesso à uma segunda língua que não é ofertada na grade curricular, é de suma importância para a aprendizagem de ambos”, concluiu.