Projetos de extensão da UFFS – Campus Erechim serão socializados em evento regional

Publicado em: 22 de agosto de 2012 13h08min / Atualizado em: 12 de janeiro de 2017 10h01min

Um dos eixos da constituição de uma Universidade é a sua integração com a sociedade que se dá, de maneira direta, por meio da extensão universitária. Na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Erechim existem, atualmente, quatro programas e 26 projetos de extensão em andamento. Dois desses projetos, e um programa, terão as experiências compartilhadas no 30º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul (Seurs).

Serão socializados os artigos “A produção textual como atividade de extensão: o projeto Comunica Erechim”; “Programa de Extensão Sinestésicos 2012: arte, cultura & comportamentos altissonantes”; e “Erechim para quem quiser ver, discutir e intervir: socializando o processo de democratização das informações socioambientais da cidade”.

O 30º Seurs acontecerá na Universidade Federal do Rio Grande (Furg) e, neste ano, terá como tema Extensão, Memória e Patrimônio. Conforme os organizadores, essa é uma homenagem aos 30 anos de encontros e interlocuções de saberes a partir da experiência extensionista das instituições públicas de Ensino Superior da Região Sul. O evento acontece no período de três a cinco de setembro.

Conforme a coordenadora do projeto Comunica Erechim, Ani Carla Marchesan, o 30º Seurs é um evento específico para a troca e transmissão de informações sobre projetos de extensão. “Assim, a motivação primeira de nossa participação é justamente socializar as experiências desse projeto de extensão com outras instituições. Além disso, objetivamos divulgar a nossa universidade e conhecer projetos de extensão que estão sendo realizados em outras instituições”, explica.

Opinião semelhante tem o coordenador do projeto Sinestésicos, Atílio Butturi Júnior. Segundo ele, é sempre importante poder discutir os projetos com extensionistas de outras instituições. “Além disso, no caso do Sinestésicos, há uma preocupação com a participação dos acadêmicos, bolsistas e voluntários, que têm a oportunidade de apresentar trabalhos, artigos de que são coautores e entender um pouco do funcionamento da vida acadêmica para além das atividades do campus”, pontua.

Comunica Erechim

O Comunica Erechim iniciou suas atividades em março de 2011 e é vinculado ao Programa Institucional Comunica (implantado em todos os campi da UFFS). As principais ações realizadas dentro do projeto são: seleção de pautas; produção de textos sobre o cotidiano da UFFS; divulgação desses textos através do blog Comunica Multicampi, do blog Comunica Erechim e do Jornal Mural; e participação em atividades formativas (leituras orientadas, oficinas de produção textual, congressos, entre outros).

Segundo a coordenadora Ani Carla, independente da área de formação do sujeito, uma das exigências da contemporaneidade é o desenvolvimento de habilidades e competências relativas à produção textual. “O Comunica se configura em espaço de promoção de um sujeito crítico capaz de fazer a mediação entre o conhecimento acadêmico e a comunidade, resolver situações-problema, compreender o seu entorno, fazer a leitura de sua realidade social e atuar com desenvoltura em uma sociedade letrada”, argumenta.

Sinestésicos

O programa Sinestésicos: Arte, Cultura & Comportamentos Altissonantes, teve sua primeira edição em 2010. “Nosso objetivo fundamental é a formação de público para arte e cultura, o que fazemos levando em consideração a necessidade de socializar de forma contínua o acesso aos bens artístico-culturais”, explica Butturi Júnior.

Em 2012 os eventos dos cinco projetos do Sinestésicos (Festival de Bandas, Altissonâncias, Diálogos, Cinema e Saberes, Partilhando Leituras) tiveram público, até julho, de mais de 1500 pessoas. “Contamos, desde o início das atividades do programa, com a participação de mais de 50 artistas locais e regionais e com a participação de diversos palestrantes e 'oficineiros', de diversas instituições e áreas do saber”, lembra o coordenador.

Ver, discutir e intervir

O projeto de extensão “Erechim para quem quiser ver, discutir e intervir: socializando o processo de democratização das informações socioambientais da cidade” iniciou suas atividades em 2011. O objetivo é socializar e analisar, por meio de exposições temáticas e ciclos de debates, informações sobre o espaço urbano de Erechim, coletadas e sistematizadas em materiais cartográficos.

Essas informações abrangem aspectos diversos (infraestruturais, populacionais, econômicos, ambientais, sociais, entre outros). A meta é constituir um acervo com informações acessíveis aos estudantes, organizações, pesquisadores, gestores públicos e à comunidade.