Realizada Aula Inaugural de curso oferecido numa parceira entre UFFS e Incra

Publicado em: 26 de setembro de 2013 13h09min / Atualizado em: 06 de janeiro de 2017 10h01min

Um grupo de 50 jovens participou, na última segunda-feira (23), da aula inaugural do curso de História-Licenciatura, em Veranópolis (RS). A graduação é resultado do convênio entre o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera), do Incra, e a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), em parceria com o Instituto Técnico de Capacitação e Pesquisa da Reforma Agrária (Iterra). O curso é vinculado aoCampus Erechim.

A aula inaugural foi realizada no salão de atos do Instituto de Educação Josué de Castro.

O curso superior de História foi um dos aprovados pelo Incra em chamada pública realizada no ano passado. O superintendente substituto do Incra/RS, Francisco Lemos, comentou que as parcerias com as instituições de ensino são fundamentais para ampliar o acesso à educação: "Estamos construindo juntos caminhos para modificar a própria sociedade", observou.

O reitor da UFFS, Jaime Giolo, que participou da atividade, destacou a relevância da parceria – primeira com o Pronera – para a qualificação do meio rural, especialmente pela metodologia diferenciada que o programa oferece (tempos específicos para teoria e prática).

Etapas

O ato de abertura marcou a primeira fase das aulas, iniciadas no dia 16. Em regime de alternância – dividido entre tempo-escola e tempo-comunidade – o primeiro período será de 60 dias, quando os educandos receberão noções teóricas e também se ambientarão com as instalações do instituto onde ficam hospedados. As aulas do tempo-escola são ministradas no Iterra.

A turma é composta por jovens de nove estados brasileiros (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Rondônia, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Bahia e Pará), em sua maioria filhos de assentados e que atuam em escolas do campo, como educadores ou colaboradores.

O coordenador pedagógico do curso, Miguel Stedile, explicou que a base é o projeto curricular da universidade vinculado à demanda político-pedagógica da sociedade. "Não queremos apenas acessar o conhecimento, mas também a que ele serve: para a formação de uma sociedade baseada em seres mais plenos e humanos, feita através da educação".