Texto vencedor do concurso "A minha história na UFFS"

Publicado em: 08 de setembro de 2011 13h09min / Atualizado em: 05 de janeiro de 2017 08h01min

A minha História na UFFS

 Autora: Elisete Verginia De Toni

Acadêmica do curso de Arquitetura e Urbanismo

Comecei na UFFS pelos bastidores, pois era professora estadual e como integrante do sindicato de professores, estive em todas lutas da categoria e também da comunidade. Lembro-me de uma audiência pública pela implantação da universidade, no Centro de Cultura e nós, professores, estávamos reunidos com lideranças políticas, comunitárias e alunos.

Dois anos depois de me aposentar, despretensiosamente, fiz o ENEM e para surpresa de todos, principalmente de meus filhos, realizo um sonho adiado por mais de 30 anos: Ingressar no curso que sempre quis. E o melhor, novamente numa federal, na UFFS, aqui em Erechim. Minha idade? 52 anos. Dá para imaginar a surpresa de meus colegas uma meninada de 17/18 anos? Se me senti deslocada? Nem um pouco! Penso que até hoje nunca fui tão bem recebida. Sou o motivo de muitas brincadeiras, que adoro! Queriam chamar-me “tia”, mas pedi que me chamassem “vovó”, porém me chamam “véia”. Tenho aprendido muito com eles, nos divertimos e essa diferença de gerações só tem acrescentado. São adoráveis! Somos uma turma ímpar, nosso curso é puxado, forte e estou tendo uma segunda chance de juventude e conhecimento. Agora, minha perspectiva não é envelhecer, é aprender.

Esta universidade precisa ser o cartão de visita de Erechim. Temos professores tão apaixonados pelo que fazem que até nos atrapalham. Esquecem-se de nos dar intervalo, nos atrasam as refeições e estamos mais na faculdade do que em casa. Praticamente deixei de ser mãe e passei a ser colega de “república”. Sim, pois meus filhos e eu dividimos os afazeres domésticos e também compartilhamos uma vida universitária, entre resenhas, fichamentos, croquis e lanchinhos.

Tive muitas alegrias ao retornar à universidade nessa fase de minha vida. Tenho até ex-alunos como colegas. É tão gratificante ver que o acesso ao ensino superior gratuito e de qualidade é viável a todos. Almejar uma faculdade não é mais um sonho, é possibilidade. E está aqui, na minha cidade. Agora, a cidade de muitos estudantes, de outras cidades e de outros estados, novos costumes, novas culturas, novas oportunidades.

Estar na faculdade é como retornar a um tempo excelente que voltou a fazer parte de meus dias. Acordar cedo, aulas, trabalhos, pesquisas, grupos de estudos, tudo tão conhecido e tudo tão novo, de novo!