Dia do Químico é comemorado com debate sobre ciência e religião no Campus Realeza
O debate permitiu uma reflexão envolvendo aspectos históricos, ambientais, éticos e políticos.

Assessoria de Comunicação do Campus Realeza

Publicado em: 21 de junho de 2017 15h06min / Atualizado em: 21 de junho de 2017 16h06min

Na noite desta terça-feira (20), o curso de Licenciatura em Química da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Realeza promoveu um diálogo sobre a diversidade religiosa e as relações entre os saberes científicos. O evento foi realizado para celebrar o Dia do Químico, comemorado no dia 18 de junho. Com a temática “A Química do Candomblé: Ciência e Religião”, o evento contou com aproximadamente cem pessoas da comunidade acadêmica e regional.

Foram convidados para o debate os professores da UFFS Jackson Luís Martins Cacciamani e Ronaldo Aurélio Gimenes Garcia, a professora da rede básica de ensino de Santa Izabel do Oeste Mayra Alonço, o coordenador da Fraternidade Espírita Chico Xavier de Realeza, Darci Gehm, o pastor da Igreja Evangélica, Eliseu de Lima, e a terapeuta holística, Janaina Corrêa de Melo.

Cada debatedor buscou apresentar alguns princípios a respeito das diferentes religiões e crenças. Apesar da polêmica e dos conflitos em relacionar religião e ciência, os debatedores abordaram a importância do respeito e da tolerância. "Ciência e religião são duas linguagens diferentes, apresentam formas diferentes de apresentar o mundo, mas não são concorrentes. Cada uma dentro do seu universo tem recursos para explicar fenômenos", resumiu o professor Ronaldo Aurélio Gimenes Garcia.

O debate permitiu uma reflexão envolvendo aspectos históricos, ambientais, éticos e políticos, conforme explicou a professora Gisele Louro Peres. "Optamos por esse tema por ser pouco discutido na Graduação. Por esse motivo, tivemos o cuidado de trazer vários debatedores de diferentes regiões", destacou.