Realeza: abertura do 1º Encontro Acadêmico das Licenciaturas discute formação de professores

Publicado em: 06 de setembro de 2016 09h09min / Atualizado em: 11 de janeiro de 2017 11h01min

Na segunda-feira (5), foi iniciado o 1º Encontro Acadêmico das Licenciaturas da UFFS - Campus Realeza. Promovido pelas coordenações dos cursos de Licenciatura, em conjunto com os centros acadêmicos, o evento tem por objetivo tornar-se referência para a Formação Inicial e Continuada na Região Sudoeste do Paraná, além de abordar questões específicas e interdisciplinares nas áreas de Ciências Biológicas, Física, Química e Letras. As atividades do evento seguem até sexta-feira (9).

Para a abertura, que ocorreu na noite de segunda-feira, na Casa da Cultura de Realeza, um dos primeiros temas em debate foi a "Formação Continuada de Professores". Entre os palestrantes, estava um dos maiores nomes da Sociolinguística do país, professor Marcos Bagno, da Universidade Nacional de Brasília (UNB). Também participaram Marcos Paim, diretor da Stem Brasil, um projeto dedicado à formação de educadores em Física, Química, Biologia e Matemática, utilizando uma metodologia baseada em projetos, e Paulo Henrique Schwalm, coordenador da equipe pedagógica do Núcleo Regional de Educação de Francisco Beltrão.

Língua & Sociedade no Brasil: hora de lutar contra os mitos históricos

Sendo a Sociolinguística uma área do saber que estuda as relações entre língua e sociedade, o professor Marcos Bagno fez uma contextualização do momento atual, citando estudos e matérias jornalísticas, evidenciando, por exemplo, dados sobre a alta concentração de renda, a crescente morte de indígenas, o assassinato de mulheres e homossexuais, entre outros assuntos, assim como abordando fatos históricos sobre o processo de construção do Brasil e da nossa língua portuguesa.

A apresentação buscou romper mitos culturais, como a democracia racial, a tolerância do povo brasileiro, a hospitalidade, a índole pacífica, etc. "Ao publicar o livro Preconceito Linguístico, tentei mostrar os mitos que circulam na cultura brasileira em relação à língua. Hoje pergunto: existe, realmente, um preconceito linguístico? Digo que há um profundo e entranhado preconceito social. A língua, na nossa sociedade, é utilizada como mais um dos instrumentos para o exercício daquela violência simbólica e física", enfatizou Bagno.

Stem Brasil

As áreas da Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (Stem, na sigla em inglês) são o foco do Projeto Stem Brasil, que foi apresentado pelo diretor Marcos Paim. O objetivo é oferecer qualificação a professores da rede pública partindo para o uso prático de conhecimentos teóricos. As técnicas de ensino são baseadas em projetos, o que facilita o aprendizado. O projeto é coordenado pela Worldfund, que conta com parcerias governamentais e não governamentais.

O projeto conta ainda com uma Comunidade de Aprendizagem Virtual (CAV), na qual os professores podem compartilham vídeos, fotos, experiências e boas práticas. "Professores que passam por esse tipo de formação desenvolvem aulas mais contextualizadas, engajando os alunos para se tornarem futuros profissionais nessas áreas", enfatizou Paim.

NRE Francisco Beltrão

Para abordar o tema de Formação de Professores na região Sudoeste, foi convidado o coordenador da equipe pedagógica do NRE – Francisco Beltrão, professor Paulo Henrique Schwalm. Entre os assuntos apontados pelos professores para formação, estão mediação de conflitos e formação disciplinar.

Outro ponto abordado foi o Programa de Desenvolvimento Educacional (PDE), que tem como base o movimento contínuo de aperfeiçoamento de formação dos professores no espaço escolar, fortalecendo a articulação entre a Educação Básica e o Ensino Superior.