Semana do Diversa promove integração entre comunidade acadêmica e regional no Campus Realeza

Publicado em: 23 de outubro de 2015 09h10min / Atualizado em: 11 de janeiro de 2017 08h01min

A Semana do Diversa trouxe várias atividades acadêmicas e culturais para a  Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Realeza. A finalização foi nesta sexta-feira (23), quando alunos de colégios e escolas visitaram a Instituição e conheceram a estrutura do campus, bem como as atividades desenvolvidas pelos seis cursos de graduação ofertados em Realeza. O evento, realizado entre os dias 19 e 23 de outubro, promoveu a participação de estudantes, servidores e comunidade regional.

O diretor do Campus Realeza, professor Antonio Marcos Myskiw, avaliou o evento como positivo. "Cada Diversa é uma reconstrução e ao mesmo tempo uma inovação. Essa edição tem sido bastante trabalhosa pela quantidade de minicursos, debates e oficinas que envolvem a comunidade interna (discentes, docentes e técnicos), além da comunidade externa. Temos uma receptividade significativa e muitas questões estão sendo apontadas durante as atividades, observando os limites, as deficiências e as perspectivas de futuro para a Instituição", destacou.

Confira mais fotos do evento AQUI

Visitação

Os alunos da rede Básica de Ensino da região conheceram os diversos espaços acadêmicos da UFFS, como laboratórios, salas de aula, biblioteca, entre outros. A cada local visitado, os alunos eram convidados a participarem de pequenas oficinas, algumas com duração de até 20 minutos. Nesse tempo, eram apresentados os estudos realizados por professores e acadêmicos dos cursos de graduação em Química, Física, Ciências Biológicas, Letras: Português/Espanhol, Medicina Veterinária e Nutrição.

Minicursos e Oficinas

Realizados nos dias 19 e 20 de outubro, foram ofertados cinco minicursos que trouxeram discussões sobre "Astronomia: do senso comum ao conhecimento científico", dos professores Eduardo de Almeida e Julio Murilo Trevas dos Santos; "A potencialidade da linguagem na formação de professores", coordenado pelo professor Jackson Luis Martins Cacciamani; "O meu aluno 'fala errado': sobre o processo de aquisição da linguagem pela criança", com a professora Sabrina Casagrande; "Flores didáticas – Tema Botânica", atividade da professora Berta L. P. Villagra; e "Animais peçonhentos: mitos e verdades", do professor Ruben Alexandre Boelter.

Ao todo, foram realizadas quatro oficinas com os temas: "Física dos Instrumentos Musicais", coordenada pelo professor Wagner Tenfen; "Uma história da astronomia: dos gregos até Galileu", com o professor Tobias Heimfarth; "A construção argumentativa e a persuasão: uma análise de sermões do padre António Vieira", do professor  Saulo Gomes Thimóteo; e "Introdução à Doceria Portuguesa", orientada pelo professor Rafael Plaza da Silva.

5º Seminário de Ensino, Pesquisa e Extensão (Sepe)

Inserido na Semana do Diversa, o Sepe é um evento que promove a visibilidade da produção científica de professores e estudantes da UFFS, integrando, dessa forma, as áreas de ensino, pesquisa e extensão, princípio orientador de atuação da UFFS. No Campus Realeza, cerca de cem produções acadêmicas foram apresentadas em comunicações orais.

Para o coordenador acadêmico do Campus Realeza, Marcos Antonio Beal, esse é o momento  que a universidade reflete sobre suas práticas. "A grande importância disso é promover a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. Além de ser um momento de autorreflexão sobre a função social da universidade e suas práticas. Por isso, neste ano pautamos um conjunto de debates para aprofundarmos e qualificarmos nossa inserção e compromisso social", comentou.

Debates e Palestras

Os debates tiveram a participação de estudantes, docentes e técnicos-administrativos em educação. O primeiro deles foi sobre "Caminhos da Pós-Graduação no Campus Realeza", uma reflexão sobre as possibilidades de novos cursos latu e strictu sensu.

Outro tema foi a "Política de Assistência Estudantil", um debate conduzido pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE), que abordou as possibilidades para melhorar o acesso e a permanência de acadêmicos na Universidade.

Em discussão também estava a "Evasão Estudantil no Campus Realeza". Na ocasião, foi apresentado um estudo prévio do índice de evasão. Além disso, o debate contribuiu para apontar novos caminhos de análise em relação ao tema, assim como alternativas que visem minimizar os números de evasão.

Também foi tema de debate a "Saúde Pública e Educação: Interfaces na consolidação do projeto institucional do Campus Realeza", com a participação dos professores Solange de Fátima Reis Conterno (Unioeste – Cascavel), Edival Sebastião Teixeira (UTFPR – Pato Branco) e pró-reitor de graduação da UFFS, João Alfredo Braida.

Para palestrar, foi convidada a escritora e historiadora catarinense Urda Alice Klueger. Na apresentação, intitulada "Tessituras literárias: fazeres e descobertas", a escritora contou parte de sua experiência na composição de narrativas de ficção, detalhando ainda algumas particularidades quanto ao processo de criação das histórias, como faz a seleção de temas e os escreve.

Cultura

Os projetos culturais da UFFS também participaram do evento, nos dias 21 e 22 de outubro. A primeira intervenção foi do Projeto AcroYoga: Coletivo em Equilíbrio, coordenado pela professora Elis Carolina de Souza Fatel. Pelo Projeto Feira de Poesias, das professoras Denise Mello e Susana Regina de Mello Schlemper, os estudantes fizeram uma Poesia Performática, interpretando a consagrada poesia de Carlos Drummond de Andrade: "E agora José?".

A música ficou por conta do Projeto Intervalo Musical, coordenado pelo professor Marcos Antônio Beal.

Outro espaço bastante visitado foi a "Tenda das Sensações". Nela, os participantes tinham uma nova percepção do mundo por meio dos sentidos. A atividade faz parte do Projeto "O Teatro como Ferramenta de Educação Humanitária", das professoras Susana Regina de Mello Schlemper e Denise Mello.