Plano de Desenvolvimento Institucional


O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) está estruturado em eixos temáticos, compreendendo o período 2019-2023. A estrutura do documento foi adaptada conforme o disposto no Decreto nº 9.235, de 15 de dezembro de 2017 (revogou o Decreto nº 5.773, de 9 de maio de 2006). De acordo com o Art. 21 do Decreto 9.235/2017, o Plano de Desenvolvimento Institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos:


I - missão, objetivos e metas da instituição em sua área de atuação e seu histórico de
implantação e desenvolvimento, se for o caso;


II - projeto pedagógico da instituição, que conterá, entre outros, as políticas
institucionais de ensino, pesquisa e extensão;


III - cronograma de implantação e desenvolvimento da instituição e de cada um de seus
cursos;


IV - organização didático-pedagógica da instituição;


V - oferta de cursos e programas de pós-graduação lato e stricto sensu, quando for o caso;


VI - perfil do corpo docente e de tutores de educação a distância;


VII - organização administrativa da instituição e políticas de gestão;


VIII - projeto de acervo acadêmico em meio digital, com a utilização de método que garanta a integridade e a autenticidade de todas as informações contidas nos documentos originais;


IX - infraestrutura física e instalações acadêmicas;


X - demonstrativo de capacidade e sustentabilidade financeiras;


XI - oferta de educação a distância (quando houver);

 

Etapas:

Precisamente, o processo de elaboração da versão preliminar do PDI 2019-2023 da UFFS teve início no ano de 2016, seguindo várias etapas.
Etapa I - Foram feitas as primeiras alterações de ordem textual, a partir do PDI anterior, conforme solicitado pelo Conselho Universitário (CONSUNI) no Parecer nº 14/2013. A construção do documento buscou subsídios nos documentos oficiais, atentando-se às questões legais que norteiam os principais eixos que formam a estrutura do documento e nos documentos internos da instituição, produzidos pela sua comunidade universitária. Assim, nessa etapa, foram consultados e aglutinados.
Etapa II - Levantado junto aos setores da UFFS, um conjunto de informações administrativas, orçamentárias, físicas e pedagógicas relacionados às atividades fins (acadêmicas) e atividades-meio (administrativas) da universidade.
Etapa III - Construção de uma minuta ou versão preliminar do documento (etapa 3). Tal versão retornou aos setores da universidade, que enviaram recomendações, sugestões e correções no documento.
Etapa IV – Sistematização das informações por uma equipe de trabalho na Diretoria de Planejamento.
Etapa V - Com base no Relatório Final da II COEPE, o PDI foi sistematizado pela DPLAN/PROPLAN e disponibilizado as Direções de Campi da UFFS para que promova os debates com os representastes de cada Campus e a comunidade universitária.
Etapa VI - Após a fase de debates, coordenadas pelos Campi, as informações acolhidas foram sistematizadas, pela DPLAN/PROPLAN visando a elaboração da versão a ser encaminhada ao CONSUNI.
Etapa VII – Em sessão do Conselho Universitário definiu-se a versão final da redação dos eixos temáticos que compõem o PDI.

 

Vinculação do Plano de Desenvolvimento Institucional com a II Conferência de Ensino, Pesquisa e Extensão.

Dado o papel estratégico e a importância da Conferência de Ensino, Pesquisa e Extensão (COEPE) para a UFFS, no PDI estão contempladas as proposições resultantes dos debates que ocorreram na conferência, sistematizadas em ações e objetivos a serem implementados nos próximos anos na instituição.
A Conferência de Ensino, Pesquisa e Extensão (COEPE) da UFFS foi realizada pela primeira vez entre junho a setembro de 2010, alguns meses após o início das atividades letivas da universidade. A COEPE foi uma iniciativa das três Pró-Reitorias acadêmicas – Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, Pró-Reitoria de Graduação e Pró-Reitoria de Extensão e Cultura – e dos então cinco campi da UFFS (Chapecó, Cerro Largo, Erechim, Laranjeiras do
Sul e Realeza), cujos propósitos fundamentais foram a definição das políticas norteadoras do Ensino, Pesquisa e Extensão, além de aprofundar a interlocução com a comunidade regional, visando eleger as agendas prioritárias da UFFS.
Nessa perspectiva, a realização da II COEPE fortaleceu os princípios norteadores que deram origem à Universidade Federal da Fronteira Sul, garantindo a participação social, a democracia e a cultura da avaliação e do planejamento. A reedição consolidou a própria conferência, enquanto uma dimensão estruturante da vida institucional da UFFS e um espaço de discussão sobre os grandes temas, agendas e ações que devem orientar o futuro da
instituição.
Por fim destaca-se que o PDI é um documento de construção coletiva, que acolhe uma multiplicidade de ideias e concepções, pode ser considerado um documento norteador do planejamento estratégico da instituição. Por essa razão, espera-se que cada vez mais a comunidade universitária se envolva no processo de construção desse importante documento que refletirá o futuro da UFFS para os próximos cinco anos.

 

Legislação: