Curso de Alfabetização Digital forma duas turmas

Publicado em: 22 de fevereiro de 2012 13h02min / Atualizado em: 05 de janeiro de 2017 10h01min

Contribuir com os projetos públicos de inclusão digital através da criação e realização de minicursos de informática, utilizando infraestruturas públicas de informática como laboratórios de escolas, bibliotecas e telecentros comunitários. Este é o objetivo principal do projeto de extensão “Inclusão Digital em Espaços Públicos Informatizados da Região do Alto Uruguai”, promovido pela Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Erechim e coordenado pelo professor André Gustavo Schaeffer.

 O projeto encontrou nas secretarias municipais de Administração e de Educação de Erechim parceiras que possibilitaram a execução do curso “Alfabetização Digital”. Voltado para crianças, adolescentes e adultos sem acesso às tecnologias de informação, bem como para os pais de alunos de escolas municipais atingidas pela implantação do programa Um Computador por Aluno do município de Erechim, o curso foi realizado no Telecentro Comunitário do bairro Atlântico, entre os meses de setembro e dezembro de 2011, para duas turmas.

Na noite do dia 15, no salão nobre da prefeitura municipal de Erechim, os formandos receberam a certificação pela conclusão do curso. Estiveram presentes entrega dos certificados o prefeito municipal, Paulo Polis, o secretário municipal de Educação, Anacleto Zanella, o secretário adjunto de Administração, Renato Toso, a diretora de Tecnologia e Informação, Marister Giovine, a monitora do Telecentro Comunitário, Vera Lúcia Gollo, o instrutor do projeto, Pablo Giacomini Cavanhi e o professor da UFFS e coordenador do curso de Alfabetização Digital, André Gustavo Schaeffer.

De acordo com Schaeffer, para a maioria dos alunos, o curso representou o primeiro contato com um computador. Eles puderam desenvolver noções sobre a organização de arquivos, realizar pesquisas na internet, criar e trabalhar com contas de e-mail além de conhecer o potencial de editores de texto e planilhas eletrônicas. “Este trabalho possibilita conhecer as diferentes formas de aprender dos alunos, permitindo assim, criar novas metodologias para o ensino de informática”, afirmou o coordenador.