UFFS – Campus Erechim: Mostra fotográfica revela olhar de estudantes sobre cotidiano

Publicado em: 25 de outubro de 2012 13h10min / Atualizado em: 05 de janeiro de 2017 12h01min

Um exercício de enxergar. É com a proposta de socializar as experiências de um grupo de estudantes do Ensino Médio, que se desafiaram a olhar de um modo diferente para o seu cotidiano, que foi aberta, na última quarta-feira (24), a mostra fotográfica 'Olhares'. A exposição é o resultado da Oficina de Fotografia desenvolvida pelo subprojeto do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid)/Sociologia, da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) - Campus Erechim, na Escola Estadual Érico Veríssimo.

 Conforme o coordenador do Pibid/Sociologia, professor Clovis Schmitt Souza, as ações foram desenvolvidas com o apoio dos estudantes da UFFS, bolsistas do programa, e também da escola. Dividida em cinco etapas, a oficina ocorreu em encontros semanais, entre junho e setembro deste ano, como parte das atividades do Seminário Integrado da escola.

Três turmas do primeiro ano do Ensino Médio tiveram a oportunidade de participar da oficina, que incluiu a observação do percurso de alguns alunos até a escola, o desafio de olhar de uma maneira diferente para o que se encontrou nesse caminho, a construção da câmera fotográfica, o registro das fotos e a elaboração de textos sobre elas.

“Cada imagem da mostra fotográfica conta uma história, registra um itinerário do cotidiano dos estudantes da Escola Érico Veríssimo. Descreve uma moldura pelo qual seus autores percebem o caleidoscópio de sentidos que o vai e vem até a escola ajuda a construir”, afirma Souza.

Senso crítico

A estudante da escola Érico Veríssimo, Carina Turski, de 15 anos, conta que ficou muito orgulhosa do resultado do trabalho. “A partir de uma caixinha de fósforo foi criada a máquina com a qual fizemos as fotos para a mostra”, comenta. Ela também destacou a percepção de detalhes do cotidiano para os quais muitos não dão atenção. “Muitas imagens bonitas, aqui perto da escola, onde passamos diariamente, não eram percebidas. Então, quando a gente observa as coisas, você vê que a cidade não tem só lados negativos, tem também lados positivos. Você acaba desenvolvendo o senso crítico e pode mostrar para a sociedade o que você está pensando, o que você está sentindo”, disse.

A mostra ficará na escola Érico Veríssimo até o início de novembro, posteriormente seguirá para o campus provisório da UFFS em Erechim, depois para a Feira do Livro, Secretaria Municipal de Educação, e retornará à escola Érico Veríssimo onde ficará em exposição permanente até o final do ano.