Campus Laranjeiras do Sul realiza palestra sobre piscicultura e serviços ecossistêmicos

Publicado em: 14 de maio de 2014 08h05min / Atualizado em: 19 de janeiro de 2017 10h01min

Foi realizada nesta quarta-feira (14) na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Laranjeiras do Sul a palestra "Piscicultura e serviços ecossistêmicos", com o médico veterinário Jorge de Matos Casaca, da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), localizada em Chapecó. A atividade faz parte do projeto de extensão Aquicultura na Terra Indígena Rio das Cobras: valorização e diálogos interculturais e do Núcleo de Estudos em Aquicultura com Enfoque Agroecológico Cantuquiriguaçu (NEA Cantu).

A palestra trata de uma metodologia que está sendo utilizada para estabelecer a relação entre a atividade zootécnica da piscicultura e o meio ambiente. O médico veterinário Casaca explica que os viveiros não servem apenas para dois serviços: a produção de peixe e a reserva de água. "Nessa proposta de trabalho já se conseguiu identificar que a relação entre a atividade de piscicultura e o meio ambiente pode prestar 85 serviços ecossistêmicos associados", informa o veterinário.

Ele acrescenta que esses serviços podem ser tanto positivos quanto negativos. "Se a atividade for bem conduzida, ela presta muito mais serviços positivos na relação com o meio ambiente do que negativos", aponta Casaca. Um exemplo pode ser a destinação da água residual e do lodo de um viveiro em que foi feita despesca. "Se aquela água residuária que tem lodo for jogada diretamente no ambiente, é negativo porque causa um impacto ambiental no corpo receptor", diz o veterinário. A mesma água com lodo, que é rica em nutrientes, pode também ter uma finalidade positiva quando "o produtor retira esse material do viveiro e o destina, por exemplo, para uma horta ou lavoura", complementa.

Para o acadêmico Leonardo Miguel Cararo, 33, da 9ª fase do curso de Engenharia de Aquicultura, palestras como esta contribuem bastante para sua formação. "Como a gente está numa fase final e decisória para a nossa carreira, essas palestras, hoje em piscicultura e na área econômica, vão ser bem fundamentais e vão enriquecer o nosso currículo", opina o estudante. Sua colega de turma Katiele Cardozo Carriel, 28, é da mesma opinião. "A essa altura da graduação, cada palestra acaba contribuindo um pouquinho, somando no conjunto. Você vai juntando as várias informações e todas são muito válidas", diz a acadêmica.

A professora Betina Muelbert comenta a importância de se trazer um profissional como o médico veterinário Casaca para uma palestra na UFFS. "Ele é renomado no Brasil inteiro na área de piscicultura. Isso é importante para os alunos do curso e todos os envolvidos no setor produtivo. Sempre convidamos os agricultores da região que têm interesse na piscicultura para também escutarem uma pessoa desse nível, que trabalha há muitos anos com piscicultura, trabalha com extensão, conhece o setor produtivo como ninguém, então trazer esse tipo de profissional para a UFFS é muito importante", aponta a docente.